Planejamento financeiro pessoal: veja 13 passos simples e estratégicos para (finalmente!) fazer o seu

Entenda todos os conceitos relacionados a planejamento financeiro e veja um passo a passo bem completo para criar, finalmente e de forma prazerosa, o seu ainda hoje.

Victor Leitao
Victor Leitão

Planejamento financeiro pessoal: veja 13 passos simples e estratégicos para (finalmente!) fazer o seu

Quem acompanha as postagens do iDinheiro já sabe que para se livrar das dívidas, realizar seus sonhos ou alcançar outros objetivos financeiros, é necessário um bom planejamento.

Porém, apesar de ser uma resposta bem simples, colocar a mão na massa não é tão simples.

É comum encontrar algumas pessoas não sabem por onde começar, enquanto outras, simplesmente, estão estão sem ânimo por achar que trata-se de um processo complexo e demorado.

Continua após a publicidade

Você se identifica com alguma dessas situações? Não se culpe, eu te entendo.

Finanças pessoais com ou sem emoção?

Mas, se me permite uma breve reflexão, o ano de 2020 e a explosão da pandemia do novo coronavírus mostrou que precisamos nos preparar para o que der e vier, certo?

É claro que pessoas com e sem planejamento financeiro pessoal conseguiram lidar com as adversidades financeiras.

Todavia, para quem estava sem suas finanças sob controle, os desafios com a inflação, aumento do preço dos alimentos, redução de carga horária no trabalho, dentre outros, funcionaram como uma montanha-russa de emoções, e sem freio!

Continua após a publicidade

Sem um planejamento financeiro pessoal, os desafios econômicos tornam a vida financeira em uma montanha-russa
Montanha-russa dos desafios financeiros

Então, é melhor dedicar um tempo para fazer seu planejamento financeiro e sair desse sobe e desce sem controle, certo?

Neste artigo, você vai descobrir o que é, qual a importância, características, vantagens e desvantagens do planejamento financeiro.

Além disso, vou te mostrar que o que você acha difícil, demorado ou chato pode ser feito em 13 passos simples e, até prazerosos! Agora virou um desafio para você e para mim, certo? Que ótimo, vamos juntos.

O que é planejamento financeiro?

Planejar é um ato composto basicamente por 3 etapas: definir metas, traçar estratégias e gerar feedbacks para melhorar o processo.

O conceito de planejamento financeiro, por sua vez, não está muito longe do supracitado. Ele pressupõe capacidade de organização para lidar com o seu dinheiro.

Continua após a publicidade

A ideia principal é que você antecipe situações que possam comprometer suas finanças e desenvolva estratégias para o atingimento de suas metas financeiras.

Ademais, o planejamento financeiro deve envolver também um processo permanente de retroalimentação para constante melhoramento do plano inicial.

Ou seja, você deve sempre analisar o que deu certo e o que deu errado no seu planejamento financeiro, e fazer os ajustes de acordo com os seus objetivos financeiros.

Assim, o alicerce de um planejamento financeiro bem feito são informações precisas (a partir de seus hábitos de consumo) que irão servir de base para as projeções de possíveis cenários da sua vida financeira.

Hábitos financeiros podem mudar o jogo

A verdade que ninguém te conta é que melhorar as finanças pessoais não é “algo de outro mundo”, mas você deve sempre tentar aprimorar seus hábitos financeiros.

Continua após a publicidade

Quer algum exemplo deles? Aqui vai:

  • evitar compras parceladas, preferindo poupar o dinheiro para negociar à vista;
  • criar uma reserva de emergência;
  • acompanhar a fatura do cartão de crédito;
  • fazer um curso de planejamento financeiro;
  • usar planilha de planejamento financeiro.

Por isso, é fundamental que você leia e aprenda constantemente sobre dinheiro, seja disciplinado no controle dos seus gastos e se preocupe em analisar/revisar periodicamente seu orçamento e objetivos financeiros.

Para isso, recomendo que você assine a newsletter do iDinheiro. Nos comprometemos a trazer conteúdos sobre tudo o que importa sobre seu dinheiro.

Nesse sentido, publicamos desde as notícias econômicas que afetam o mercado financeiro, até dicas dos melhores cartões de crédito sem anuidade ou negócios para gerar uma renda extra aos finais de semana.

Então, tente pôr em prática os passos mostrados neste post e, com certeza, sua vida financeira irá melhorar.

Qual a importância do planejamento financeiro?

Planejamento é crucial em qualquer área da vida, quem nunca ouviu aquela célebre frase de Sêneca: “Se você não sabe onde quer chegar, nenhum vento lhe é favorável”?

Continua após a publicidade

Tempos depois, essa frase também foi parar no livro Alice no País das Maravilhas: “Para quem não sabe aonde vai, qualquer caminho serve”.

Então, é justamente por isso que um planejamento financeiro é importante, você quer estar no controle de suas finanças ou quer que elas sigam qualquer caminho?

Quando não se tem controle das finanças, o caminho tomado por elas geralmente é o do endividamento e muitos se perguntam como se afundaram tão rápido nas contas.

A resposta é simples, falta de planejamento financeiro pessoal!

Ignorar sua situação financeira é o pior erro que se pode cometer, pois isso não fará os problemas desapareceram, apenas os fará se multiplicarem.

Continua após a publicidade

Sem um planejamento eficiente, há alguns comportamentos financeiros predominantes:

  • você gasta tudo que ganha;
  • gasta mais do que ganha e fica endividado; ou
  • perde dinheiro não investindo de forma estratégica.

Sim, sabemos que muitas pessoas que não fazem o planejamento financeiro não estão endividadas e, algumas delas até investem dinheiro, mesmo que na poupança (aliás, você já viu qual o rendimento da poupança hoje?).

Todavia, fazem isso sem nenhuma estratégia, o que pode acabar trazendo prejuízos.

Exemplos práticos do comportamento financeiro

Investimentos com rendimentos abaixo da inflação, como foi o caso da poupança em 2020, fazem com que seu dinheiro tenha o poder de compra reduzido.

É como se R$ 2 depositados em julho que poderiam pagar um café na época, não fossem suficiente para fazer o mesmo em setembro, entende?

Café servido na xícara, assim como outros produtos, são afetados pela inflação. Assim, é preciso escolher bons investimentos para não ser afetado por essas variações de preço.
Escolher investimentos errados pode diminuir seu poder de compra

Continua após a publicidade

A poupança, inclusive, é só um exemplo. Você certamente tem um amigo que investiu dinheiro em uma aplicação porque outro conhecido disse que era ótima.

De fato, ela até poderia ser, porém, para seu amigo que iria usar o dinheiro no curto prazo, tal investimento era um grande “tiro no pé”.

Com pouca liquidez (capacidade de tornar o investimento em dinheiro disponível), ele teve que tomar um empréstimo para lidar com despesas inesperadas, amargou descontos altos no momento do resgate antes do vencimento da aplicação e, resumidamente, perdeu dinheiro.

Histórias como essa são mais comuns do que você imagina, e qualquer bom planejador financeiro tem meia dúzia delas para contar.

Você pode evitar isso fazendo o seu planejamento financeiro pessoal que também contempla suas finanças no futuro.

Ou seja, ele ajuda a distribuir sua capacidade de investimentos de forma estratégica, pensando no dinheiro que você precisa agora, mais adiante e, talvez, na sua aposentadoria.

Continua após a publicidade


Os 15 melhores apps para controle financeiro pessoal


Características do planejamento financeiro

Então, agora concordamos que o planejamento financeiro é uma ferramenta muito útil para você correr atrás dos seus objetivos de forma organizada, certo?

Ótimo, porque agora vamos partir para sua execução e, conforme prometido, não vai ser nada chato! Começemos, portanto, por suas características.

Representação da realidade financeira

Um planejamento financeiro bem feito deve ser capaz de mostrar claramente a situação atual em que suas finanças se encontram.

Nesse sentido, ele deve ser capaz de responder a perguntas como:

  • Quanto ganho e quanto gasto por mês?
  • Qual meu custo fixo de vida?
  • Estou endividado?
  • Se sim, qual o montante da dívida?
  • A quem devo?
  • De quanto preciso para garantir uma reserva de emergências?
  • Quanto tenho investido?
  • Entre outras.

Continua após a publicidade

Esse exercício vai ajudar a mapear sua realidade financeira atual, ou seja, vai delimitar seu pontapé inicial que estará no seu planejamento financeiro familiar ou pessoal.

Teto de gastos

Criar o seu orçamento é uma das partes mais importantes de um planejamento financeiro, porque esta ferramenta ajuda você a economizar muito mais.

Orçar é justamente se basear no seu montante de despesas e receitas atuais (a partir dos seus registros financeiros) e definir valores que você pretende alcançar nos próximos períodos.

Dessa maneira, você deve estabelecer um teto de gastos para cada categoria de despesa.

O foco é manter o maior fluxo de dinheiro nas áreas mais importantes e evitar gastos desnecessários.

Sabe qual o resultado?

Você poderá controlar muito melhor as suas despesas mensais, conseguirá poupar bastante dinheiro e terá condições de atingir suas metas financeiras muito mais rápido.


15 despesas mensais para cortar e economizar dinheiro


Divisão por horizonte temporal

O planejamento financeiro pessoal deve ser dividido por horizonte temporal, ou seja, deve se desdobrar em curto, médio e longo prazos, cada um desses com metas bem definidas e estratégias para realização das mesmas.

Continua após a publicidade

Homem sobe uma escada que representa seu planejamento financeiro em busca do sucesso
Cada degrau de uma escada é um momento do planejamento financeiro e leva para um objetivo maior

Para esse fim, normalmente, considera-se curto prazo como até 1 ano, médio prazo (1 a 5 anos) e longo prazo (mais de 5 anos).

Deve conter um plano de investimentos

Como já adiantei para você, o planejamento financeiro deve englobar na sua estrutura um plano específico de investimentos.

Isso vale, inclusive, para quem está endividado ou com o nome sujo no mercado.

Sendo assim, você deve determinar quais são os percentuais da sua renda líquida a serem investidos e em quais aplicações financeiras, de acordo com seu perfil de investidor e objetivos de curto, médio e longo prazo.

Assim, é provável que seu planejamento financeiro pessoal tenha os custos fixos, despesas temporárias (como empréstimos, financiamento de veículos), e, ao mesmo tempo, investimentos para reserva financeira e aposentadoria, por exemplo.

Sugiro, inclusive, que você avalie quais os melhores investimentos para 2021. Com eles você pode revisar suas aplicações atuais ou, começar a aplicar em boas alternativas.

Continua após a publicidade


Como investir dinheiro: o passo a passo definitivo!


Análise periódica e atualização

Outra característica, na verdade, atitude estratégica para seu planejamento financeiro, é a necessidade constante de atualização da situação financeira e monitoramento das metas.

Então, você vai aumentando ou diminuindo valores de investimentos, aquisições, dentre outros, no decorrer do tempo para se adaptar à realidade daquele momento.

Desse modo, um bom planejamento financeiro, precisa ser um instrumento de fácil adaptação e deve ser periodicamente atualizado para que represente de forma fiel a situação financeira atual.

Você pode criar uma planilha para planejamento financeiro, usar um planner personalizado ou mesmo, comprar um caderno especialmente para isso. O importante é ter um ponto de consulta.

Continua após a publicidade

Vantagens e desvantagens do planejamento financeiro

Benefícios é o que não faltam para aqueles que elaboram um planejamento financeiro pessoal.

Melhores hábitos de consumo e qualidade de vida

Infelizmente, muitas vezes somos influenciados pelas campanhas de marketing, gastamos mais do que o necessário e sucumbimos ao consumismo.

A consequência mais comum disso é que não conseguimos alcançar nossos objetivos maiores e, por isso, acabamos nos frustrando.

Rapaz com carteira vazia percebe que gastar excessivamente atrapalha seu planejamento financeiro pessoal
Gastar excessivamente atrapalha seu planejamento financeiro pessoal

No entanto, quem se preocupa em ter e seguir um planejamento financeiro não sofre com esse problema.

Ao se planejar, você consegue aprimorar seus hábitos de consumo, realizar os seus desejos e, consequentemente, ter qualidade de vida, sem ter que se endividar para isso.


Você não precisa de tudo: aprenda a diferença entre necessidade e desejo!


Controle da vida financeira

Pode-se, também, citar o autoconhecimento sobre a própria realidade financeira e o controle efetivo do seu dinheiro.

Você saberá exatamente quanto ganha, quanto pode gastar e terá maior previsibilidade sobre seu futuro financeiro.

Quem se planeja, não tem a necessidade de recorrer constantemente a empréstimos ou a outros tipos de crédito para pagar as suas obrigações mensais e alcançar seus objetivos financeiros.

Percepção do seu perfil de consumo

Quando você começa mapear seus investimentos e despesas na sua planilha de planejamento financeiro, pode identificar padrões no seu comportamento de consumo.

Se for bom em matemática, pode quantificar suas despesas de acordo com uma classificação, por exemplo: alimentação cotidiana, alimentação por lazer (delivey, comemorações etc), transporte (público, individual, que poderia ser substituído por outro mais barato etc) e assim por diante.

Continua após a publicidade

Com isso, você vai identificar um padrão de consumo e, para deixá-lo ainda mais eficiente no processo de autoconhecimento, pode cruzar dados do seu planejamento financeiro com eventos do cotidiano.

Será que seu consumo de delivery aumentou depois que você passou a viver um problema de relacionamento interpessoal no trabalho? Ou, está comprando muita roupa depois que se recuperou de uma doença?

Comer para esquecer os problemas não resolve a situação e também atrapalha suas finanças
Comer para esquecer os problemas não resolve a situação e também atrapalha suas finanças

Essas reflexões são importantes, justamente, para que você interrompa o processo quase automatizado de gastar dinheiro para esconder ou compensar questões de ordem emocional.

Vai por mim, além de ser ótimo para suas finanças, também vai permitir que você foque no problema real!

Proteção da família

Uma das melhores consequências de reassumir o controle da sua vida financeira é justamente o fato de que você conseguirá proteger sua família de riscos financeiros indesejados.

Continua após a publicidade

Pessoas que se endividam por não ter controle dos gastos acabam comprometendo boa parte da renda familiar apenas para pagar dívidas.

Isso implica em diminuição da qualidade de vida e uma maior exposição a situações emergenciais.

Por isso, inclusive, você pode fazer um planejamento financeiro familiar, que contemple diferentes fontes de renda e despesas.

Acabar com as dívidas

Caso você esteja endividado, o planejamento financeiro é aquela “luz no fim do túnel” que vai te ajudar a sair desta situação financeira complicada.

Pode até demorar um pouco, dependendo do seu montante de débitos, mas é certo que, ao fazer seu plano financeiro, mais cedo ou mais tarde você vai conseguir se livrar das dívidas.


Como sair das dívidas rapidamente: 7 passos simples


Sem desvantagens

Não há desvantagens em se programar para o futuro. Com as características e benefícios que descrevi até aqui, você já conseguiu perceber que ele é uma ferramenta de aprendizado também.

Continua após a publicidade

Ou seja, você vai gastar algumas horas do seu dia para fazer um planejamento financeiro pessoal que é uma jornada de autoconhecimento.

Aonde estão suas fraquezas, suas forças? Suas ameaças e oportunidades financeiras?

No mundo dos negócios, a matriz SWOT ou, FOFA em português, é uma ferramenta que ajuda na otimização da estratégia e planejamento de uma empresa.

Quando você faz seu planejamento financeiro pessoal, está, justamente, fazendo o mesmo, ou seja:

  • F (fraquezas): hábitos financeiros ruins, despesas que poderiam ser cortadas etc;
  • O (oportunidades): renegociação de dívidas, realocação de investimentos, cashback, etc;
  • F (forças): recurso disponível, oferta de cartão de crédito sem anuidade, entre outros;
  • A (ameaças): dívidas em atraso, pouca (ou nenhuma) diversificação nos seus investimentos etc.

Bacana, não é mesmo?

Se eu fosse obrigado a criar uma desvantagem em relação ao planejamento financeiro, a única resposta possível seria: não ter um!

Então, se você “vive” essa desvantagem atualmente, vamos resolver ela agora mesmo com aqueles passos simples que te prometi.

Como fazer um planejamento financeiro pessoal incrível e organizar sua vida financeira

Se você tinha dúvidas sobre como fazer um planejamento financeiro e achava que ele era trabalhoso demais, vai perceber agora que ele não é nenhum monstro assustador. 

1. Acompanhe diariamente as suas despesas e receitas

Homem usando uma lupa
Anote todas as suas entradas e saídas de dinheiro

Essa primeira dica é fundamental e, para mim, a mais importante de todas!

Você precisa acompanhar, diariamente, as suas receitas e despesas. Você poderia se perguntar: mas por que devo fazer isso?

Quando você não acompanha suas receitas e, principalmente, as despesas diariamente, você estará jogando seu futuro financeiro para a sorte.

Você não quer fazer isso, não é mesmo?

Entenda, quanto mais controlarmos as variáveis que envolvem o nosso sucesso financeiro, menos dependeremos da sorte para alcançar os nossos objetivos.

Dessa maneira, para facilitar o controle das despesas e receitas diárias, você deve utilizar um aplicativo gerenciador financeiro no celular.

Esta é a maneira mais moderna e diria até, a mais eficiente de gerenciar suas finanças, pela praticidade de estar sempre com o celular em mãos, o que evita os esquecimentos e furos no controle de gastos.

Obs.: não esqueça de anotar todas as suas despesas, principalmente aquelas que compra com dinheiro quando está na rua. Você irá se surpreender ao ver a influência dos “pequenos valores” no seu resultado final.

2. Compre somente o que você realmente precisa

Ilustração de pessoas levando suas cabeças dentro de sacolas simbolizando o consumismo
Atenção aos gastos desnecessários

Isso não é tão fácil e, pode acreditar, poucas pessoas têm consciência de tudo que compram no dia-a-dia.

Cada um tem os seus pontos fracos, mas você não pode deixar se levar pelo consumismo. O importante é você saber qual é o seu ponto fraco para aprender a contorná-lo.

Já falamos neste conteúdo sobre compras que fazemos para compensar tristezas e outros sentimentos, mas compras por impulso, aquelas que as promoções envolventes querem fisgar, também entram nessa classificação aqui.

Uma forma de evitar que você compre mais do que precisa é elaborar uma lista de compras. Toda vez que você necessitar comprar algo, anote isso numa lista.

Isso ajuda a controlar seus impulsos consumistas e evita que você fique tentando lembrar do que precisa.

Então, a regra dessa lista vai ser muito simples: só compre o que estiver escrito nela. O que não está ali não deve ser comprado!

Rapaz sinaliza que regras não devem ser quebradas.
Não compre nada além da sua lista de compras!

Outra dica importante: faça a lista e tome decisões sobre as compras ainda em casa.

Os shoppings e lojas estão cheios de armadilhas para estimular o seu consumo. É a mesma coisa que ir a uma lanchonete com fome.

3. Compare os preços antes de comprar produtos

Hoje em dia é muito fácil comparar os preços dos produtos, principalmente porque temos a internet para nos ajudar.

Portanto, sempre verifique o preço do produto em outras lojas antes de comprá-lo.

Pode parecer pouco, mas se você conseguir economizar de 10 a 20% nas compras que faz (algo que não é nada impossível), você terá de 10 a 20% daquele valor a mais no final do ano, pelo menos.

Mais um motivo para destruir o mito de que você não consegue poupar dinheiro.

4. Utilize o cartão de crédito apenas quando for benéfico

Mão segurando um cartão de crédito
Use o cartão de crédito com sabedoria

Uma vantagem do cartão de crédito é que você pode parcelar suas compras em várias vezes.

Isso é vantajoso quando você quer comprar um produto em uma loja que não lhe dá desconto à vista, mas possibilita que você compre a prazo em várias vezes sem juros.

Se você não paga juros, vale a pena comprar parcelado, porque você poderá aplicar seu dinheiro em outros investimentos e ter algum rendimento.

Outros benefícios do cartão de crédito (quando bem utilizado)

Além disso, alguns tipos de cartões dão milhas ou mesmo cashback, que é uma parte do seu dinheiro de volta.

Assim, tudo que você comprar com esses cartões será revertido em pontos que lhe permitirão fazer viagens ou trocar por novos produtos.

No cartão de crédito e programa da Méliuz, inclusive, você pode converter seu cashback em dinheiro na conta corrente.

Quem tem muitos gastos mensais e utiliza o cartão para pagá-los, consegue vários pontos.

Alguns locais também oferecem outras vantagens para determinados cartões, como direito a descontos em shows, cinemas, acesso a salas VIP.

Enfim, você tem que verificar quanto é a anuidade do seu cartão. Se todos os benefícios que ele lhe dá compensam a anuidade, ele pode ser interessante.

Por exemplo: se você vai ao cinema 2 vezes por mês e economiza 20 reais/mês utilizando o desconto que o cartão lhe dá, não haveria problema em pagar uma anuidade de até 240 reais por ano.

Entretanto, você deve sempre lembrar de negociar a anuidade, nunca pague o valor cobrado, pois em muitos casos é excessivo.

Cabe ressaltar, ainda, que já existem vários cartões que não cobram anuidade, então procure as melhores opções.


O que fazer para escapar dos altos juros do cartão de crédito


5. Pague à vista quando tiver desconto

Pessoa segurando várias cédulas de 20, 50 e 100 reais
Negocie valores à vista

Pagar à vista quando tiver desconto sempre é vantajoso, porque é uma forma de você comprar o produto a um preço mais barato.

Com um planejamento financeiro em curso, você pode destinar parte dos seus investimentos para uma reserva de oportunidades ou capital de giro.

Assim, sempre que tiver uma oportunidades bacana, pode usar esse dinheiro sem atrapalhar o restante do seu plano.

Uma boa dica para construir essa “reserva de oportunidade” é começando o desafio de 52 semanas. Já fiz e recomendo, até mesmo para planos de curto prazo, como comprar o material escolar dos filhos à vista.

6. Tenha metas bem definidas no seu planejamento financeiro

Vários alvos e um dardo atingindo um deles simbolizando metas
Defina metas no seu planejamento financeiro

Você precisa ter metas bem definidas para alcançar seus objetivos. Não adianta saber qual a importância de um planejamento financeiro se não souber definir seus objetivos, não é mesmo?

As metas são muito importantes, porque você transforma em números os seus resultados e consegue verificar se tudo está indo conforme o planejado ou não.

Imagine um grupo de amigos que resolveu fazer uma dieta de controle calórico para alcançar um determinado percentual de gordura.

Desde que começaram eles controlam toda quantidade de carboidratos, de proteínas e de gorduras que ingerem diariamente, além da qualidade dos alimentos ingeridos.

Também fazem uma avaliação física periodicamente, o que permite que eles verifiquem se tudo está indo de acordo com o planejado.

Agindo assim, é muito difícil que eles não tenham sucesso, pois eliminaram ao máximo as chances de fracasso.

Estão controlando o maior número de variáveis possíveis, fazendo metas e verificando se tudo está funcionando como deveria.

Com as suas finanças o processo não é diferente.

Você deve fazer um planejamento financeiro, segui-lo e verificar periodicamente os resultados obtidos. Até para saber como contornar desvios que possam vir a ocorrer.

7. Analise os seus objetivos mensalmente

Homem marcando vários quadrados representando objetivos alcançados
Confira e ajuste sua rota, se for necessário

Você já pensou o que aconteceria se uma pessoa fosse fazer uma viagem para uma distância muito longa e não analisasse se a rota estava sendo seguida como ele planejou?

Pois é, a maior parte das pessoas não faz isso com os seus objetivos financeiros.

Por isso, quando fizer um planejamento financeiro para um prazo muito longo, não se esqueça de fazer metas de curto prazo.

As metas de 20 anos podem ser transformadas em metas de 10 anos, depois em metas de 5 anos, 1 ano, 3 meses e assim por diante.

Isso ajuda tanto para saber o que você precisa fazer hoje para conquistar os objetivos de amanhã, como também para motivar, afinal de contas, as pequenas conquistas fazem você acreditar na sua capacidade e plano.

8. Viva de acordo com a sua condição financeira

Homem pedalando na orla
Não gaste além das suas capacidades financeiras atuais

A maior parte dos brasileiros gosta de viver o momento presente.

Muitas pessoas querem distância da palavra economizar e amam ir ao shopping fazer compras, preferem viver de aparências, mesmo que elas não sejam sustentáveis a longo prazo.

Pense nisso: qual o percentual da sua renda que você gasta com seu carro e com outros bens?

Uma coisa é um multimilionário ter um carro extremamente caro (que corresponde a menos de 1% do patrimônio dele), outra coisa é uma pessoa que compra um carro que não consegue bancar, porque o carro consome 50% do salário dessa pessoa.

A mensagem essencial é: viva de acordo com o seu padrão de renda e não exceda seu custo de vida. Caso contrário, você pode se complicar bastante em relação às suas finanças.

Lembre-se: os juros compostos a seu favor são excelentes, mas contra são extremamente danosos. Portanto, evite se endividar a qualquer custo!

9. Busque informações sobre investimentos

Quanto mais cedo você começar a ler sobre investimentos, mais rápido poderá pôr em prática o que está aprendendo.

O tempo que seu dinheiro fica investido é algo que influencia fortemente no seu resultado (lembra, juros compostos trabalhando para você!).

Alguém que começa a investir 10 anos antes de outra pessoa com a mesma quantia estará muito à frente porque potencializou os juros compostos (juros sobre juros).

Além disso, ao estudar sobre investimentos, você poderá entender melhor sobre onde deve colocar seu dinheiro e onde obterá melhores resultados.


Conheça os 5 melhores investimentos para iniciantes


10. Trace objetivos realistas

Mão desenhando uma escada com um homem no último degrau que ilustra a definição de objetivos do planejamento financeiro
Objetivos precisam de racionalidade

É muito importante que você seja realista na hora de traçar seus objetivos, principalmente quando eles dependem de outras variáveis além do que está no seu controle.

Você pode definir que investirá R$ 500,00 mensalmente, porque só depende de você. Mas é mais complicado determinar que terá R$ 200 de rendimento mensal porque não sabe qual será o comportamento dos indicadores que remuneram seu investimento, concorda?

Além disso, também vale moderar nos valores e metas estabelecidas. Se, depois de mapear suas despesas e enxugar os gastos desnecessários, tiver 40% da sua renda livre, estabeleça um objetivo de 35% para aplicações.

Com isso, em situações adversas, você ainda estará cumprindo sua meta e, com o tempo, a sobra mensal também poderá ser convertida em aplicação, fazendo com que você supere os resultados inicialmente traçados.

Muitas pessoas se dão mal nos investimentos porque acreditam que vão ganhar muito dinheiro facilmente ou passam a poupar menos quando melhoram seus rendimentos.

Enfim, tome muito cuidado quando começar a fazer seu planejamento financeiro e, principalmente, mantenha o foco e não desacelere. O máximo que vai acontecer é você ter um ganho financeiro maior ainda.


Como manter o foco, fazer o que é necessário e ter sucesso


11. Regra 50-30-20 no planejamento financeiro

Já ouviu falar da regra 50-30-20?

A saúde financeira depende de como você vai gerenciar os gastos e as despesas. Estima-se que a regra é essencial para você ter como equilibrar os custos.

Funciona assim: 50% do seu salário deve ser destinado aos pagamentos dos itens essenciais e básicos, como conta de luz, telefone, água, condomínio, parcela do carro, aluguel.

Apenas 30% serão destinados ao lazer e a atividades extracurriculares (academia, passeios, viagens).

Com os outros 20% você deverá quitar (aos poucos) as dívidas que tiver. Caso não tenha débitos, esse dinheiro deve ser economizado e investido para o seu futuro.

Dessa forma, é possível estabilizar-se e fazer um bom planejamento financeiro na prática.


Conheça a Regra 50-30-20: um ótimo método de organização do orçamento


12. Evite usar o cartão de crédito se tiver endividado

Mesmo que o cartão de crédito seja algo muito útil e prático, é a partir da utilização desse objeto que as metas financeiras podem sair do caminho.

O orçamento de cada cartão é limitado, e geralmente os juros são altos — principalmente se você parcela em muitas vezes.

Logo no começo dos ajustes financeiros, se você estiver endividado, o recomendado é aposentar o cartão de crédito.

Assim, você também consegue perceber quais são as suas prioridades.

Como já dito acima, pesquisar os valores dos produtos e serviços que você precisa é uma das formas de economizar e fazer um planejamento financeiro eficiente.

Se compensar pagar com o cartão de crédito, faça-o, mas analise tudo com cuidado.


10 dicas para usar melhor seu cartão de crédito


13. Reserve

Outra forma de manter o planejamento financeiro é fazendo um fundo de emergência, retirando do seu salário uma porcentagem pequena em caso de imprevistos, como acidentes, despesas com hospitais, etc.

Tendo essa reserva, você não utilizará o dinheiro guardado para outros fins, facilitando o gerenciamento das suas contas.

Essas dicas serão responsáveis por deixar seu planejamento financeiro mais equilibrado, fazendo do seu futuro, um lugar mais concreto e previsível.

Com algumas atitudes, você consegue ir muito longe, e é possível conquistar seus sonhos.

Dinheiro não traz felicidade por completo, mas ajuda você a construir, bloco por bloco, um futuro promissor.

BÔNUS: Entenda que seu planejamento financeiro é estratégia pura!

Se você joga xadrez, sabe que existem peças de ataque e defesa. No seu planejamento financeiro pessoal, você também vai precisar seguir essa lógica para construir ou fortalecer seu patrimônio.

Isso significa que, em algumas situações, você vai precisar usar crédito do mercado, como para um financiamento imobiliário, por exemplo.

Se você não tem o montante para pagar a casa própria à vista (o que é o mais comum), mas consegue pagar as parcelas de um financiamento bem negociado, esse é o caminho para ter um bem em seu nome e sair do aluguel.

Outra situação, que pode acontecer é na compra de um veículo. Para tal, você pode ter o dinheiro aplicado em um investimento com ótima rentabilidade e, ao mesmo tempo, uma taxa de financiamento de veículo bem baixa.

Assim, sua estratégia vai consistir em analisar suas duas opções:

  • resgatar o dinheiro e pagar o carro à vista, eliminando qualquer comprometimento de renda mensal com parcelas de financiamento; ou
  • manter o dinheiro investido já que o rendimento dele é superior ao gasto que você vai ter com as parcelas do financiamento do veículo.
Gif da série Gambito da Dama da Netflix que mostra que o planejamento financeiro é estratégico
Movimentos de xadrez são estratégicos (O Gambito da Rainha – Netflix)

Note que aqui não tem certo ou errado, mas qual estratégia está mais alinhada com seu perfil, planejamento financeiro e momento econômico, certo?

Planejamento financeiro familiar é a mesma coisa?

Sim, mas nesse caso, contempla as receitas e despesas de toda a família.

Essa visão das finanças é muito importante pois envolve todos os familiares e, nesse sentido, uma boa dica é trazer lições de educação financeira para as crianças.

O principal detalhe sobre o planejamento financeiro familiar é que ele exige que todos estejam em sintonia quanto às metas e objetivos do grupo familiar.

Lidar com os descontroles do cônjuge também é um desafio no âmbito familiar. O ideal é que o planejamento familiar seja feito com o total da renda do casal.

Assim, ambos terão responsabilidades a cumprir, ao invés de deixar uma das rendas total ou parcialmente de fora para que possa ser gasta de forma não planejada – interferindo nas contas do casal – e, pior, trazendo endividamento para a família.

Nesse sentido, o planejamento financeiro familiar serve justamente para alinhar os objetivos de todos os membros da família visando alcançar metas em comum, com uns ajudando os outros.

Outro ponto relevante proveniente desta atitude é que seus filhos serão conscientes desde pequenos e irão entender/valorizar como as coisas são conquistadas no mundo real.


Educação financeira: o conceito que deveria ser aprendido por todos desde a infância


Como manter a saúde do planejamento financeiro?

Agora que você já sabe como criar um planejamento financeiro, é legal conhecer outras medidas que você pode usar no dia a dia.

Primeiramente, você tem de pensar que o seu dinheiro não vai durar para sempre.

Logo, você deve planejar no longo prazo em relação aos seus investimentos e bens materiais — para sua vida ser equilibrada.

Entretanto, é cada vez mais comum as pessoas não pensarem no amanhã e sim no agora.

Com isso, a possibilidade de contrair dívidas é maior, dificultando o planejamento financeiro.

O que fazer quando isso acontece? Ter consciência é o primeiro passo para você manter a saúde das finanças pessoais.

A lógica é simples, já que o seu salário deve atender às suas necessidades básicas e de lazer.

Gastar o que é necessário e extrapolar quando dá é permitido, mas você precisa ter consciência dos seus gastos e das suas prioridades.

Portanto, veja o que você deve fazer no seu dia a dia para organizar as finanças pessoais.

Qual o app ideal para seu planejamento financeiro pessoal?

Quer criar seu planejamento financeiro de forma simples e fácil? Conheça os melhores apps de controle financeiro pessoal!

Seu controle de gastos estará sempre à mão em seu smartphone ou em seu computador para que você possa, em tempo real, atualizar seus gastos e ganhos e, ao final, projetar como empregar seu dinheiro da melhor maneira possível.

Você já tinha um planejamento financeiro em uma planilha e não quer ter que passar os dados um por um? Não se preocupe!

Alguns dos aplicativos de gerenciamento financeiro disponíveis no mercado e na nossa lista permitem que você exporte suas planilhas de modo muito tranquilo.

A partir daí, gráficos instantâneos e de fácil compreensão são gerados automaticamente, demonstrando o quanto foi gasto em cada categoria e quanto ela representa do total.

Além disso, existem apps que contam com a funcionalidade “Planejamento”, onde você consegue definir teto de gastos para cada categoria de despesa e ser avisado quando estiver perto de estourar aquele valor.

Livros sobre planejamento financeiro pessoal

Para quem se interessou pelo assunto, gosta de ler e quer aprofundar ainda mais os conhecimentos na área, indicamos 3 livros sobre planejamento financeiro pessoal.

“Gestão financeira familiar: como as empresas fazem” (Jocildo Figueiredo e Érico Veras Marques)

A proposta deste livro é apresentar e adaptar conceitos e técnicas utilizadas por organizações empresariais para a realidade de organizações familiares, como fizemos com a matriz SWOT!

Baseado na premissa de que há certas similaridades entre as gestões financeiras empresariais e familiares, são apresentados assuntos pertinentes à gestão financeira familiar e pessoal que podem ser compreendidos e gerenciados como uma empresa.

“Como organizar sua vida financeira” (Gustavo Cerbasi)

Como organizar sua vida financeira apresenta dicas certeiras para você que deseja tomar decisões mais conscientes sobre o seu dinheiro e fazer seu planejamento financeiro pessoal.

O reconhecido consultor financeiro Gustavo Cerbasi reuniu neste livro todos os temas-chave que você precisa conhecer para alcançar o equilíbrio nas finanças e planejar um futuro mais próspero.

“Planejamento financeiro pessoal e gestão do patrimônio: fundamentos e práticas” (Almir Ferreira de Sousa)

Essa obra compila diversos autores com suas experiências docentes e do mundo corporativo.

Todos com privilegiadas condições para reunir uma abordagem conceitual atualizada com vários exemplos e casos práticos.

Então, o que falta agora para seu planejamento financeiro sair do campo das ideias?

Vamos recapitular tudo que vimos juntos sobre como fazer um planejamento financeiro? Olha só:

  • mapeie sua realidade financeira atual listando suas despesas e receitas;
  • faça uma análise FOFA (Fraquezas, Oportunidades, Forças e Ameaças) das suas finanças;
  • avalie seu comportamento de consumo e investimento para, depois, cortar os hábitos financeiros que podem prejudicar seu planejamento financeiro pessoal;
  • determine seus objetivos e depois, divida-os em pequenas metas de curto prazo, que são mais fáceis de acompanhar e concretizar;
  • determine suas estratégias como renegociação de dívidas, diversificação de investimentos, etc;
  • acompanhe os resultados da sua estratégia e revise suas ações se for necessário;
  • mantenha o foco no seu planejamento financeiro e não desista de você!

Viu, como te disse, fazer o planejamento das suas finanças não é tão chato como você imagina, pelo contrário.

É como se você sonhasse em como gastaria um prêmio da loteria, só que nesse caso, lidando com possibilidades concretas, ou seja, com o que você efetivamente pode fazer com seus ganhos atuais!

E aí, o que achou do artigo sobre como elaborar um planejamento financeiro pessoal? Se gostou, então, compartilhe com seus amigos e familiares através das suas redes sociais.

E se quer seguir aquela dica que te dei sobre ler e entender mais sobre finanças, assine a newsletter do iDinheiro agora mesmo!

Continua após a publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔

4 comentários

  1. JULIANO DA

    Gostei do artigo só não consigo manter aplicativos no celular por muito tempo, vou pegar uma agenda só para isso. Os investimentos podem ser feito direto no banco que temos conta?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.