Qual a melhor taxa de financiamento imobiliário em 2021? Fizemos um ranking com as opções!

Reunimos as informações, fizemos uma análise e chegamos à conclusão de qual é a melhor taxa de financiamento imobiliário. Está na dúvida de qual é a melhor opção? Então, você não pode deixar de ler este artigo!

Julyana Andrade
Julyana Andrade

Quer saber qual é a melhor taxa de financiamento imobiliário? É sempre bom conhecer as opções disponíveis antes de tomar uma decisão. Confira a nossa análise a seguir!

O melhor banco para financiamento imobiliário é aquele que reúne as melhores condições, o que inclui a taxa de juros e o prazo para pagamento. Em geral, eles têm propostas mais atraentes para aqueles que já têm algum relacionamento com a instituição, especialmente se as parcelas forem pagas no débito automático.

Continua após a publicidade

A fim de descobrir quais são as melhores taxas de juros de financiamento imobiliário, analisamos 6 bancos e quais condições eles oferecem. Veja como ficou o nosso ranking:

Melhor taxa de financiamento imobiliário em 2021

iDinheiroTaxa de financiamento imobiliário
1. Banco Itaú6,90% ao ano + TR
2. Banco Bradesco6,90% ao ano + TR
3. Banco Santander6,99% ao ano + TR
4. Caixa Econômica Federal7,60% ao ano + TR
5. Banco do Brasil7,69% ao ano + TR
6. Banco Inter8,50% ao ano + TR
Ranking das melhores taxas de juros de financiamento imobiliário em 2021

Veja mais a seguir!

Melhor taxa de financiamento imobiliário: Itaú

O Itaú oferece a melhor taxa de financiamento imobiliário das opções analisadas. Todavia, como você pôde ver na tabela acima ele fica empatado com o financiamento Bradesco, que também tem juros de 6,90% ao ano mais a Taxa Referencial (TR).

Continua após a publicidade

O critério de desempate que utilizamos foi a facilidade na contratação do crédito imobiliário: o Itaú permite fazer todo o processo online, enquanto o Bradesco demanda uma ida à agência, o que aumenta um pouco o nível de burocracia envolvido.

É possível simular um financiamento no site do banco. Nele, você informa o valor do imóvel, o valor de entrada, a sua data de nascimento, em quanto tempo deseja pagar e escolhe a seguradora. A partir daí, o resultado da simulação mostra quais são as condições para o crédito imobiliário.

Veja mais detalhes sobre o financiamento imobiliário do Itaú:

logo itaúCaracterísticas
Taxa de juros para financiamento imobiliário6,90% ao ano + TR
Prazo para pagamentoaté 360 meses (30 anos)
Forma de contrataçãoInternet banking e presencial
Financiamento imobiliário Itaú

Financiamento Santander: o que oferece o maior prazo para pagamento

O financiamento Santander tem uma das melhores taxas, que é de 6,99% ao ano mais a Taxa Referencial. Vale reforçar que esse juro anual é praticado para quem já é cliente do banco. Portanto, para os que não são correntistas, o crédito acaba ficando mais caro (10% ao ano mais a TR).

Ele merece o destaque aqui por oferecer o maior prazo para pagamento entre as opções listadas: o financiamento imobiliário pode ser contratado com até 420 parcelas, o que equivale a 35 anos.

Continua após a publicidade

É possível simular o financiamento Santander no site do banco. Para isso, você precisa informar seus dados pessoais e preencher as informações sobre o imóvel que deseja comprar. Por fim, o sistema mostra o resultado e ainda permite solicitar uma análise de crédito.

logo santanderCaracterísticas
Taxa de juros para financiamento imobiliário6,99% ao ano + TR
Prazo para pagamentoaté 420 meses (35 anos)
Forma de contrataçãoOnline e presencial
Financiamento imobiliário Santander

Conheça o crédito imobiliário com juros de poupança

O financiamento imobiliário com juros de poupança consiste em uma nova modalidade que alguns bancos começaram a praticar no mercado, como o Inter, o Itaú e até a Caixa. Nela, existe a cobrança de uma taxa básica, somada ao percentual de rendimento que a poupança paga.

Vale lembrar que o rendimento da poupança está diretamente ligado à taxa Selic. Ou seja, considerando o cenário atual, com a Selic a 2,75% por ano, a poupança rende 1,925% ao ano.

A partir daí, já podemos começar a mostrar como é feita a cobrança do crédito imobiliário com juros atrelados à poupança. Na prática, os bancos têm uma taxa fixa, definida internamente, a qual serve de base para o cálculo. É em cima dela que se aplica a taxa anual da poupança (para facilitar o cálculo, vamos arredondá-la para 1,93%), mais a TR, que está zerada há mais de dois anos.

Continua após a publicidade

Veja como fica o ranking dos bancos e qual é a melhor taxa de juros de financiamento imobiliário nessa modalidade:

iDinheiroTaxa de financiamento imobiliário com juros de poupança
1. Caixa Econômica FederalA partir de 5,28% ao ano (taxa base a partir de 3,35% + poupança a 1,93%)
2. Banco ItaúA partir de 5,92% (taxa base de 3,99% + poupança a 1,93%)
3. Banco InterA partir de 5,93% ao ano (taxa base de 4% + a poupança a 1,93%)
Melhores taxas de financiamento imobiliário com juros de poupança

Atenção ao Custo Efetivo Total (CET) das operações

Na hora de contratar um crédito imobiliário, não se prenda apenas às taxas de juros mostradas, pois nem sempre elas representam a realidade.

O ideal é considerar o Custo Efetivo Total (CET), que é composto tanto pela taxa de juros quanto por outras tarifas que são aplicadas pelos bancos. Isso inclui o IOF e cobrança por abertura de crédito, por exemplo.

Isso significa que, no final das contas, o banco que tem a melhor taxa de juros de financiamento imobiliário pode não ser aquele que vai oferecer o crédito mais barato. Portanto, sempre compare bem as propostas antes de fechar qualquer negociação que envolve pegar empréstimo com uma instituição.

Continua após a publicidade

Concluindo

Como você pôde ver, a melhor taxa de financiamento imobiliário em 2021 é de 6,90% ao ano (mais a TR) e pertence tanto ao Itaú quanto ao Bradesco.

Fazer um comparativo entre as alternativas oferecidas no mercado é a melhor forma de tomar boas decisões. Afinal, estamos falando de um compromisso de longo prazo. Então, imagine quanto de juros a mais você pode acabar pagando em todos os anos?

Além disso, lembre-se sempre de se planejar para que as parcelas fiquem sempre do seu orçamento pessoal, de forma que não prejudique as suas finanças, combinado?

Por fim, não se esqueça que as condições oferecidas pelos bancos podem variar de acordo com o valor do imóvel, a região onde ele está localizado e até mesmo o seu perfil, obtido por meio da análise de crédito. As taxas de juros também podem sofrer variação ao longo do tempo. Por isso, busque as informações atualizadas com os bancos.

Gostou deste artigo? Então, aproveite para ler também a nossa análise com o melhor banco para empréstimo! E assine a nossa newsletter para receber nossos conteúdos em primeira mão!

Continua após a publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔

25 comentários

  1. Edilma maria

    Fiz um financiamento pelo Itaú com a taxa 5,39, porém não fui orientada pela correspondente que seria com a correção mensal pela poupança, falaram que seria pela TR . Entrei em contato com o banco para mudar meu contato estou aguardando ,porém vou ficar com a taxa TR com percentual 6,90 espero que seja mais vantajoso

    1. Julyana Andrade

      Ei, Edilma! Tudo joia?
      É preciso ter muito cuidado antes de assinar o contrato, pois podem ter cláusulas que eles não deixam claro na hora da negociação.
      Dito isso, a taxa de 6,90% + TR (que atualmente está zerada) está boa, considerando a média praticada pelos principais bancos.

  2. Eduardo

    Tenho interesse no financiamento de um ap e já dei andamento no processo mais nada até agora já faz 6 meses qual banco vcs me indicaria o valor do ap e de 175mil reais

    1. Julyana Andrade

      Ei, Eduardo! Como vai?
      As condições do financiamento dependem de quanto você tem a oferecer de entrada, qual é a renda, em quantos meses pretende pagar, entre outras coisas.
      Só com essas informações, acredito que o Itaú e o Bradesco são as melhores opções, por terem a menor taxa de juros.
      Também vale fazer uma simulação na Caixa Econômica para ver como ficaria o financiamento com juros de poupança.
      Assim, você consegue saber qual é a melhor opção para você e o seu bolso. =)

  3. BRUNO BISARIAS

    Sim, muito obrigado novamente…..Parabéns pela explicação!!! 🙂

  4. Continua após a publicidade

  5. Juliana

    Olá, tudo bem?
    Gostaria de saber se essas taxas de juros valem para financiar a metade de um imóvel, tenho um imóvel com meu ex marido e gostaria de comprar a parte dele, porém através de financiamento.

    1. Julyana Andrade

      Ei, Juliana! Tudo joia?
      A taxa de juros efetiva costuma ser a mesma. O que pode mudar, dependendo das condições do financiamento, é o custo efetivo total.
      Minha sugestão é fazer simulações com os bancos e avaliar qual deles tem a melhor proposta (pensando também no longo prazo).

  6. Erika Coutinho

    Olá boa noite! Desculpa não entendi porque considerou o Itaú e o Bradesco a melhor taxa de financiamento imobiliário (6,90%), e não a CEF com financiamento atrelado ao juros de poupança (5,28%)?
    Grata

    1. Julyana Andrade

      Ei, Erika! Tudo joia?
      Quando escrevi o artigo, o financiamento com juros de poupança ainda era bem novidade. Com isso, optei por deixar o modelo tradicional primeiro e só mencionar os juros de poupança depois.
      Em breve vai sair uma atualização em que vou colocar a lista já incluindo todos os formatos disponíveis. Aí vai fazer mais sentido. 🙂

    2. ADRIANO LIMA

      A TR está congelada, a melhor opção é juros mais TR.

  7. Valesca

    Oi, Julyana!
    Tenho um financiamento imobiliário, realizado em 2017, com CET de 10,71% com 315 parcelas restantes. A instituição bancária não ofereceu possibilidades de renegociação dos juros. Vendo as taxas atuais oferecidas pelos bancos, seria vantajoso tentar uma portabilidade de crédito? Parabéns pelo conteúdo.

    1. Julyana Andrade

      Olá, Valesca! Como vai?
      A portabilidade é uma alternativa que pode ser sempre considerada quando falamos de crédito. Porém, meu conselho é buscar o máximo de informações possíveis sobre as ofertas dos outros bancos. Entre as que não podem faltar, estão o CET, o prazo para pagamento e as condições oferecidas, como é o caso de renegociar os juros (ou amortizar de alguma forma – usando FGTS ou antecipando parcelas, por exemplo).
      Veja se as mensalidades ficam satisfatórias, mas avalie também o valor total do financiamento, pois pode ser que acabe pagando bem mais no longo prazo.

      Obrigada pelo feedback. Se tiver mais alguma dúvida, estou à disposição! =D

  8. Priscilla Lopes

    Que página útil!!!
    Gosto e acho imprescindível ler e aprender mais sobre assuntos financeiros.
    Obrigada pelo artigo, Juyana. ????????

    1. Julyana Andrade

      Ei, Priscilla! Que bom que gostou.
      Fico feliz com o seu feedback.
      Continue acompanhando os conteúdos para ampliar ainda mais seus conhecimentos. Conte com a gente! =D

  9. Yadis

    Olá Juliana tenho interesse de solicitar um financiamento para um imóvel usado de 450mil tenho contas no Itaú ,Santander e BB , queria financiar em 15 anos qual seria a melhor opção ? Poderiame orientar ?

    1. Julyana Andrade

      Ei, Yadis! Tudo bem por aí?
      Primeiramente, escolher o banco do qual você já é correntista pode ser uma boa escolha, já que eles costumam oferecer melhores condições para quem já é cliente.
      Para saber qual é a melhor opção no seu caso, é preciso avaliar algumas questões, como o valor de entrada. Também é muito importante saber qual é o Custo Efetivo Total da operação. Temos um conteúdo aqui sobre ele: https://www.idinheiro.com.br/custo-efetivo-total/
      Você pode tentar fazer uma simulação nos sites desses bancos e ver quais condições eles oferecem para o financiamento. Se for o caso, tente bater um papo com o gerente da conta para ver se há algum outro benefício para quem é correntista. Assim, você consegue encontrar a melhor opção (que nem sempre é a que terá a menor taxa de juros).

  10. Bruno Bisarias

    Fianalmente encontrei um artigo bem explicado e por isso agradeço muito. Porém gostaria de saber se vale criar um relacionamento com a Caixa Econômica visto que é um banco onde são alocados nossos recursos de FGTS e que as regras de financiamento e uso do FGTS são notificados aos demais bancos pela mesma ou isso não tem relevância?
    No momento acredito ser melhor investir um pouco mais e ir a procura de um imóvel nos próximos 2 anos, mas me intrigo se na hora da contratação a relação com o banco na época pesará na decisão, se sim, como saber em qual migrar meus recursos?desculpa a complexidade da pergunta…hahaha

    1. Julyana Andrade

      Oi, Bruno! Tudo joia?
      A Caixa é muito utilizada por ser a referência em financiamento imobiliário e também por geralmente oferecer taxas de juros menores. Porém, é sempre bom fazer uma simulação no banco em que você tem conta, pois o relacionamento com a instituição pode trazer algumas vantagens e tornar a oferta mais atrativa.
      No final das contas, o ponto mais importante é o custo efetivo total, pois ele engloba, além da taxa de juros, outras tarifas (como IOF, seguros e taxas administrativas).
      Ah, vale lembrar que, mesmo financiando em outros bancos, você ainda poderá usar o seu FGTS para dar a entrada e fazer amortizações.
      Minha sugestão é fazer simulações no site dos bancos, informando valor de entrada, prazo para pagamento e outros dados. Isso já vai ajudar a ter uma ideia de qual oferta é a melhor. Caso seja a da Caixa, é possível que abrir uma conta para ter relacionamento seja mesmo vantajoso.
      Não deixe de conversar com os gerentes antes de tomar a decisão. Quanto mais informações, melhor.

      Consegui sanar a sua dúvida?
      Qualquer coisa, estou à disposição.
      Abraços!

  11. Tatiana

    Adorei o artigo, Julyana. É dificil encontrar algo tão bem explicado. Obrigada. Estou procurando entender se estou fazendo um bom negócio pra não entrar numa furada. Veja, um imovel usado, no valor de 150.000,00, com taxa de financiamento de 0,25%, em 204 parcelas de 939,00 (inicial) que serão reajustadas anualmente. A financiadora, por hábito, usa o IGP-M, mas me proporam usar outro indice como IPCA ou Selic. Vamos financiar o valor total do imovel. Qual sua opinião?

    1. Julyana Andrade

      Olá, Tatiana! Tudo bem? Que bom que gostou do artigo. Obrigada pelo feedback. =)
      Sobre a proposta, primeiro é importante entender como esses indicadores estão se comportando. O IGP-M fechou 2020 em 23,14% no acumulado anual. Se ele fosse usado como parâmetro para reajustar a sua parcela hoje, ela passaria a ser R$1.156,28. Já a Selic e o IPCA estão bem menores.
      O IPCA e a Selic acumulados de 2020 foram de 4,52% e 2,74%, respectivamente. Baita diferença, né?
      Apesar da perspectiva de aumento da Selic para os próximos períodos (a previsão do último boletim Focus é que ela feche o ano em 5,50%), ela ainda pode ser vantajosa. Só é preciso analisar se continuará sendo no longo prazo, visto que serão 204 parcelas.
      Nós temos algumas tabelas e calculadoras que ajudarão você a fazer uma simulação e entender melhor esses valores. Dá só uma olhadinha:
      https://www.idinheiro.com.br/calculadoras/calculadora-correcao-de-valor-por-indice/
      https://www.idinheiro.com.br/tabelas/tabela-igp-m/
      https://www.idinheiro.com.br/tabelas/tabela-ipca/

      Espero ter ajudado. Abraços e até breve!

      1. Luciane Lacerda

        Nossa!!! Era tudo que precisava! Obrigada por responder, me ajudou muito.????

        1. Julyana Andrade

          Olá, Luciane!
          Que ótimo! Se tiver mais alguma dúvida, pode perguntar, tá bem?

  12. Gabriel

    Conclusao do artigo está errada, não é 5,90% ao ano, mas sim 6,90% (conforme a tabela 1) 😉

    1. Julyana Andrade

      Corrigido, Gabriel. Obrigada por sinalizar! =D

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.