Cross docking: o que é, como funciona, vantagens e como usar

Saiba o que é o cross docking, seus principais tipos, como essa prática logística funciona e como implementá-la com sucesso na sua empresa!

Escrito por Vitor Braga

Por que confiar no iDinheiro?

Responsabilidade editorial: Nosso editores são especialistas nas áreas e isentos nas avaliações e informações. Nosso objetivo é democratizar e simplificar o acesso a produtos e serviços financeiros sem viés. Conheça nosso código editorial.

Como ganhamos dinheiro?

Podemos ser comissionados pela divulgação e cliques nos parceiros. Isso também pode influenciar como alguns produtos aparecem na página, sempre com a devida identificação. Entenda como o site ganha dinheiro.

Política de Cookies: Nosso site utiliza cookies para estatísticas gerais do site e rastreamento de comissões de forma anônima. Nenhum dado pessoal é coletado sem seu consentimento. Conheça nossa política de privacidade.


Sugestão iDinheiro

Controlle

Controlle

Controlle Solicitar
  • Planos a partir de R$ 62,10
  • Emissão de notas fiscais em alguns planos
  • Registro de fluxo de caixa

No mundo acelerado do e-commerce, a logística desempenha um papel crucial no sucesso das empresas. E quando se trata de agilizar o processo de entrega e minimizar os custos de armazenamento, o cross docking surge como uma solução eficiente e inteligente. 

Então, se você está procurando uma maneira de otimizar sua cadeia de suprimentos e melhorar a experiência do cliente, o cross docking pode ser exatamente o que você precisa.

Neste artigo, vamos explorar melhor essa estratégia, apresentando as suas vantagens e desvantagens, além de dar dicas para você conseguir implementar esse modelo de logística com sucesso em seu negócio. Acompanhe a leitura!

O que é cross docking?

O cross docking nada mais é que um sistema logístico em que as mercadorias são encaminhadas para um centro de distribuição (CD) especializado. Nesse espaço, as entregas são preparadas e enviadas diretamente para o consumidor final, sem a necessidade de passarem pelo processo de armazenagem.

Por essa razão, é um sistema de entrega especialmente indicado para produtos de alta rotatividade, como itens perecíveis, produtos sazonais ou com demanda constante.

Ao eliminar a etapa de armazenamento, o cross docking permite que as mercadorias cheguem mais rápido aos consumidores reduzindo, assim, o tempo de entrega e aumentando a eficiência logística da operação. Como consequência, reduz os custos e aumenta a satisfação do cliente. 

Leia também: Fulfillment: o que é, como funciona + 6 empresas do setor!

Como funciona o cross docking?

O processo de cross docking envolve várias etapas e pode variar dependendo da configuração e das necessidades específicas de cada empresa. Mas para você ter uma ideia de como essa estratégia funciona, preparamos uma descrição geral de como o cross docking é colocado em prática. Veja só!

  1. Recebimento de pedidos: o cliente faz o pedido do produto que deseja;
  2. Verificação do pedido: o lojista verifica o pedido, confirma o pagamento e encaminha para o fornecedor;
  3. Solicitação ao fornecedor: o lojista solicita os produtos de acordo com a demanda do pedido. Essa solicitação é feita com base no princípio Just-in-Time, que evita a formação de estoque;
  4. Separação e envio ao centro de distribuição: o fornecedor separa os itens solicitados e os encaminha ao centro de distribuição de cross docking, por meio do inbound;
  5. No centro de distribuição: as mercadorias recebidas passam por um processo rápido de conferência e triagem e são enviadas diretamente ao consumidor final.

Quais são os tipos de cross docking?

Existem diferentes tipos de cross docking que podem ser utilizados de acordo com as necessidades e características de cada empresa. Aqui, estão os três tipos principais de cross docking. Confira!

Movimentação contínua

Nesse tipo de cross docking, os produtos são recebidos e encaminhados diretamente ao cliente, sem qualquer armazenamento intermediário. O processo é rápido e contínuo.  

Movimentação consolidada ou híbrida

Já na movimentação híbrida, a empresa recebe os produtos de múltiplos fornecedores e os submetem a um processo de consolidação antes de serem encaminhados para o transporte.

O que isso significa na prática? Significa que o centro de distribuição aguarda a chegada de todos os produtos solicitados pelo cliente, para serem encaminhados em um único pedido. 

Dessa forma, a empresa responsável pelo envio otimiza a capacidade dos veículos e reduz os custos com o transporte. Portanto, a movimentação híbrida é útil quando há produtos de vários fornecedores sendo enviados para um mesmo destino.

Movimento de distribuição

No momento de distribuição, o veículo outbound é abastecido com matérias-primas que serão enviadas apenas para uma empresa. Sendo assim, é um modelo de logística bastante utilizado no B2B. 

Quais são os tipos de stages ou toques dessa logística?

Na logística, o conceito de “toques” (touches) se refere ao número de vezes que uma mercadoria é movimentada ou manipulada durante o processo de armazenamento e distribuição. No cross docking, as encomendas são submetidas a dois tipos de toques. Veja só!

One-touch (um toque)

No one-touch, também conhecido como “movimentação direta” ou “movimentação única”, o produto é movido apenas uma vez durante todo o processo logístico. Em tal caso, a mercadoria é recebida, classificada e direcionada para o transporte ou entrega sem passar por nenhum outro estágio de armazenamento intermediário.

Two-touches (dois toques)

No two-touch, também conhecido como “movimentação dupla”, o produto passa por dois estágios ou etapas de manipulação durante o processo logístico. Nesse caso, a recepção e a classificação dos produtos é feita em um centro de distribuição e enviados para o armazenamento temporário antes de serem direcionados para o transporte ou para outro local de entrega. Embora haja um estágio intermediário de armazenamento, o processo de envio é rápido e eficiente.

Leia também: Amazon Dropshipping: veja como funciona e se vale a pena!

Quais são os tipos de horário de chegada e de saída?

No cross docking, há dois tipos de horários para chegada e para saída. Cada um visa atender uma demanda específica de entrega. Veja só! 

Horário de chegada concentrado

No horário de chegada concentrado, os produtos são recebidos com agendamento prévio ou quando os fornecedores têm acordos para entregar os produtos em determinados momentos do dia. Nesse caso, a chegada concentrada possibilita um planejamento mais eficiente das atividades de recebimento e pode ajudar a minimizar congestionamentos e alocar recursos adequados.

Horário de chegada disperso

Ao contrário do horário de chegada concentrado, o horário de chegada disperso envolve a chegada dos produtos em diferentes momentos ao longo do dia. Isso pode ocorrer quando os fornecedores têm horários de entrega variados ou quando há uma demanda constante ao longo do dia. 

Em tal caso, o horário de chegada disperso requer maior flexibilidade na programação das atividades de recebimento e pode exigir uma capacidade de resposta mais ágil para lidar com os produtos à medida que chegam.

Horário de saída restrito

No horário de saída restrito, os produtos são expedidos em horários específicos e limitados. Sendo assim, é aplicado quando a logística possui restrições operacionais ou regulatórias que determinam os horários disponíveis para envio.

Desse modo, o horário de saída restrito requer um planejamento cuidadoso das atividades de expedição para garantir que os produtos sejam enviados dentro do horário estabelecido.

Horário de saída não-restrito

Já no horário de saída não-restrito, não há restrições específicas em relação aos horários de envio dos produtos. Isso significa que os produtos podem ser expedidos em qualquer momento considerado adequado.

Logo, oferece maior flexibilidade e pode ser utilizado quando não há restrições operacionais ou regulatórias significativas.

Qual o prazo máximo do cross docking?

O prazo máximo do cross docking pode variar dependendo dos requisitos específicos de cada empresa bem como os acordos definidos entre os parceiros. Mas em geral, os centros de distribuição têm no máximo 72 horas para enviarem as mercadorias ao consumidor final.

Qual a diferença entre dropshipping e cross docking?

Embora sejam duas estratégias logísticas semelhantes, o dropshipping e cross docking possuem algumas diferenças. Veja só!

Dropshipping

  • No dropshipping, o varejista não mantém estoque dos produtos que vende;
  • Quando uma venda é feita, o varejista repassa o pedido e os detalhes de entrega ao fornecedor ou fabricante;
  • O fornecedor é responsável por embalar e enviar diretamente os produtos ao cliente final, sem que o varejista tenha que lidar com o estoque ou a logística de envio;
  • O varejista atua como um intermediário entre o cliente e o fornecedor, sendo responsável pelo marketing, vendas e atendimento ao cliente;
  • O dropshipping permite ao varejista oferecer uma ampla variedade de produtos sem a necessidade de investir em estoque, reduzindo os custos operacionais.

Cross docking

  • No cross docking, os produtos são recebidos de fornecedores e direcionados diretamente para o transporte ou para outro local de entrega;
  • O cross docking geralmente envolve um centro de distribuição onde os produtos são recebidos, classificados e encaminhados rapidamente;
  • Diferente do dropshipping, o varejista ou a empresa que realiza o cross docking normalmente possui estoque dos produtos, mesmo que seja apenas temporariamente durante o processo de movimentação e distribuição;
  • O cross docking é uma estratégia para otimizar a eficiência logística, reduzindo o tempo de armazenamento e minimizando os custos de estoque;
  • É comumente utilizado em setores com alto volume de produtos e onde a movimentação rápida é essencial, como varejo e comércio eletrônico.

Desse modo, enquanto o dropshipping envolve a terceirização completa do estoque e envio dos produtos, o cross docking é uma estratégia logística que visa otimizar a movimentação e distribuição dos produtos mantidos temporariamente em estoque.

Vantagens e desvantagens do cross docking

O cross docking apresenta várias vantagens e desvantagens. Aqui estão algumas delas!

Vantagens do cross docking

Primeiro, é preciso saber as vantagens para compreender os motivos dessa prática logística ser atrativa, Confira alguns desses pontos positivos a seguir:

Redução de custos de armazenamento

O cross docking permite minimizar os custos de armazenamento, uma vez que os produtos são movidos rapidamente do ponto de recebimento para o transporte ou para o destino final. Isso elimina a necessidade de manter grandes estoques em armazéns ou centros de distribuição.

Redução de tempo de entrega

Ao eliminar a necessidade de armazenamento intermediário, o cross docking acelera o tempo de entrega dos produtos. Isso é particularmente benéfico em setores com demanda por entrega rápida, como comércio eletrônico.

Aumento da eficiência operacional

O cross docking permite uma movimentação rápida e direta dos produtos, evitando atrasos associados ao armazenamento e à manipulação excessiva. Isso melhora a eficiência das operações logísticas e reduz o tempo gasto em processos de armazenamento e picking.

Redução de danos aos produtos

Como os produtos são movidos rapidamente e não passam por várias etapas de manipulação e armazenamento, há uma redução do risco de danos ou deterioração dos produtos.

Desvantagens do cross docking

Agora que você já sabe as vantagens, é necessário conhecer o pontos negativos do cross docking que podem torná-lo uma escolha menos atrativa. Veja só:

Maior dependência de uma logística coordenada

O sucesso do cross docking depende de uma coordenação precisa entre fornecedores, transportadoras e centros de distribuição. Por essa razão, tenha um bom planejamento e comunicação eficiente.

Risco de problemas de qualidade e precisão

Como os produtos passam por menos verificações e inspeções durante o cross docking, há um risco maior de problemas de qualidade ou erros na classificação dos produtos. Por isso, é importante implementar controles de qualidade adequados para minimizar esses riscos.

Limitações na variedade de produtos

O cross docking é mais adequado para produtos de alto giro e de demanda constante. Produtos com características especiais, tamanhos não padronizados ou requisitos de armazenamento específicos podem apresentar desafios no processo de cross docking.

Necessidade de uma infraestrutura adequada

O cross docking requer uma infraestrutura logística adequada, incluindo instalações de recebimento e distribuição, equipamentos de movimentação de carga e sistemas de TI eficientes. Essa infraestrutura pode exigir investimentos significativos.

Leia também: Dropshipping é crime: confira como fazer ele legalmente!

Como implementar o cross docking em um negócio?

Para implementar o cross docking em um negócio, aqui estão algumas etapas e considerações importantes.

Avalie a viabilidade

Antes de implementar o cross docking, avalie se a estratégia é adequada para o seu negócio. Considere o tipo de produtos que você lida, a demanda dos clientes, a capacidade logística e outros fatores relevantes.

Tenha um sistema integrado de gestão empresarial

Um sistema de gestão empresarial (ERP) eficiente e integrado é fundamental para gerenciar as operações de cross docking. Ele deve abranger desde o recebimento de pedidos até a movimentação e entrega dos produtos, facilitando a rastreabilidade e a comunicação entre as partes envolvidas. Alguns exemplos de ERPs populares são o Conta Azul e o Controlle.

Controlle

1. Controlle

Focado no micro e pequeno empresário e com uma proposta de simplicidade e praticidade, o Controlle apresenta um software de gestão financeira bem completo.

Contando com funções como:

  • Contas a pagar e a receber;
  • Conciliação bancária;
  • Fluxo de caixa;
  • Emissão de boletos e NF-e;
  • Relatórios gerenciais.
Conta Azul

2. Conta Azul

A Conta Azul é uma das maiores e mais populares empresas especializadas em gestão financeira do mercado atualmente. Ela oferece diferentes pacotes de serviços, que incluem os principais recursos de gestão, como:

  • Emissão de nota fiscal;
  • Monitoramento de operações;
  • Plataforma integrada com diversas áreas;
  • Emissão de boletos;
  • DRE gerencial.

Tenha uma boa equipe treinada em logística 

Capacite sua equipe em relação às práticas e processos de cross docking. Todos os seus funcionários devem estar familiarizados com as técnicas de movimentação rápida de produtos, classificação eficiente e coordenação com fornecedores e transportadoras. O treinamento pode incluir aspectos como controle de qualidade, manuseio de carga e uso adequado de equipamentos.

Cuide da comunicação com seus fornecedores e clientes

Estabeleça uma comunicação eficaz com seus fornecedores e clientes para garantir que eles estejam cientes da implementação do cross docking. Compartilhe as expectativas, prazos e processos envolvidos para garantir uma colaboração adequada. Estabelecer canais de comunicação claros e eficientes é essencial.

Teste antes de colocar em prática

Antes de implementar o cross docking em escala total, é recomendável realizar testes piloto. Escolha alguns produtos ou fornecedores específicos para testar o processo e avaliar a eficácia da estratégia. Isso permitirá identificar possíveis problemas e realizar ajustes necessários antes de expandir a implementação.

Leia também: Controle financeiro empresarial: saiba o que é e como fazê-lo!

Monitore e avalie constantemente

Após a implementação, monitore e avalie continuamente os resultados do cross docking. Analise indicadores de desempenho, como tempo de entrega, custos de estoque e eficiência operacional. Faça ajustes conforme necessário para melhorar o processo e maximizar os benefícios.

Lembre-se de que a implementação do cross docking pode exigir adaptações na infraestrutura física, fluxo de trabalho e processos internos. É importante planejar cuidadosamente e garantir que todos os aspectos do negócio estejam preparados para a transição.

Conclusão

Em suma, o cross docking é uma estratégia logística que oferece vantagens significativas, como a redução de custos de armazenamento, o aumento da eficiência operacional e a aceleração do tempo de entrega.

No entanto, sua implementação requer planejamento cuidadoso, incluindo a integração de um sistema de gestão empresarial, treinamento da equipe em logística, comunicação eficaz com fornecedores e clientes, testes prévios e monitoramento contínuo. 

Ao considerar e abordar esses aspectos, as empresas podem aproveitar os benefícios do cross docking e melhorar sua cadeia de suprimentos para atender às demandas do mercado de forma mais ágil e eficiente. Para finalizar, que tal conferir alguns dos nossos outros artigos? Talvez você encontre algum post que possa lhe interessar!

Gostou do conteúdo? Não se esqueça de ativar as notificações do Push e assinar a newsletter do iDinheiro para receber todas as novidades!

Perguntas Frequentes (FAQ) 

  1. O que é o sistema cross docking?

    A estratégia logística conhecida como sistema cross docking envolve a transferência direta dos produtos do ponto de distribuição para o destino final, sem que haja a necessidade de armazenamento em estoque. 

  2. Qual objetivo do cross docking?

    O objetivo do cross docking é agilizar a distribuição de produtos, reduzindo o tempo de armazenamento e otimizando a eficiência logística, resultando em entrega mais rápida e redução de custos operacionais.

  3. Quais são os tipos de cross docking?

    Os tipos de cross docking são:
    Movimentação contínua
    Movimentação consolidada ou híbrida
    Movimento de distribuição

  4. Como utilizar o cross docking?

    Para utilizar o cross docking, é necessário receber os produtos dos fornecedores e direcioná-los imediatamente para o destino final. Para garantir a eficiência do sistema, é fundamental ter uma estrutura logística ágil, com sistemas de gestão integrados, equipe treinada em logística e boa comunicação com fornecedores e clientes.

Referências do artigo
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Participe das comunidades do iDinheiro no Whatsapp