IPCA: o que significa e qual a importância desta sigla?

Entenda como o IPCA impacta no seu dinheiro e nos seus investimentos.

B612_20210521_152657_024_2
Melissa Nunes

Ao assistir um jornal ou na hora de estudar sobre economia, é normal que a gente escute falar sobre inflação ou o índice IPCA, certo? Você certamente já se deparou com informações sobre taxa de inflação, metas inflacionárias e outros termos relacionados. Mas, e na prática, você sabe como a inflação é medida?

A verdade é que existem diferentes índices para determinar a taxa de inflação de um período, sendo o IPCA o índice oficial brasileiro. Ele é um dos índices mais relevantes da nossa economia, mas, embora a gente sempre ouça falar dele, nem sempre fica claro o que é IPCA, para que ele serve e como influencia nossas vidas.

Continua após a publicidade

Você sabe como ele impacta no seu dia a dia, seu dinheiro e seus investimentos? Se não sabe, vamos trazer todos esses pontos no texto a seguir. Assim, você vai entender por que é tão importante entender mais sobre esse indicador!

O que é IPCA?

O IPCA é a sigla para Índice de Preços ao Consumidor Amplo e é o indicador considerado o termômetro oficial da inflação no Brasil.

Continua após a publicidade

A inflação, por sua vez, é um movimento natural de aumento de preços que faz parte da nossa economia. Porém, quando descontrolada, pode ser muito prejudicial. Em alguns momentos, já foi uma grande vilã, como nas décadas de 1980 e 1990, onde o IPCA era muito alto e acabava tirando o poder de compra do dinheiro de um dia para o outro.

É exatamente isso que a inflação faz: desvaloriza seu dinheiro ao longo do tempo. Por outro lado, um aumento controlado é saudável e indica crescimento econômico. De modo contrário, a deflação (ou a redução dos preços) pode ser um sinal de problemas.

Por tudo isso, é fácil entender por que ficar de olho no IPCA é muito importante para todos os consumidores de um modo geral e também para os investidores, já que esse índice está atrelado a vários investimentos.


Controle de gastos pessoais: 5 dicas para não perder dinheiro


IPCA: um dos pilares da economia

O IPCA pode afetar diretamente boa parte dos investimentos. Por isso, conhecer profundamente e acompanhar esse índice é uma das chaves para ser um investidor mais consciente e propenso ao sucesso.

Continua após a publicidade

Contudo, você sabe qual é o real impacto do IPCA na sua vida e nos seus investimentos?

O IPCA é medido mensalmente pelo IBGE, a partir dos preços determinados por segmentos de produtos e serviços, tais como alimentação, moradia e educação. A soma das variações mensais compõe o Índice anual.

O governo monitora a inflação porque os indicadores de preço são um importante reflexo do desempenho da atividade econômica brasileira.

O que faz com que o IPCA aumente ou diminua são as altas ou quedas de preços de produtos e serviços consumidos pelas famílias. Como consumidor, você pode notar que, quando os preços nas prateleiras do supermercado aumentam, o índice acompanha essa subida.

Continua após a publicidade

Além disso, o IPCA tem impacto direto sobre os investimentos, principalmente, os de renda fixa, como:

Mas não pense que outros tipos de investimentos não sofrem com a alta da inflação: muitos desses títulos de renda fixa estão ligados a bancos e empresas que têm ações na bolsa de valores e que também se valorizam. Além disso, empresas varejistas podem ser impactadas por uma queda no consumo, também derrubando o preço de suas ações.


Como investir dinheiro: o passo a passo definitivo!


Inflação e o poder de compra do consumidor

Você já deve ter ouvido falar do período em que a inflação era uma loucura: o poder de compra oscilava muito.

De manhã, um determinado produto tinha um preço e, à tarde, o valor já havia mudado. O consumidor sentia no bolso o peso no descontrole da inflação.

Continua após a publicidade

Se em um cenário de inflação controlada, com R$ 10 você consegue comprar um suco e um sanduíche, em um momento ruim da economia, onde ocorrem variações bruscas, os mesmos R$ 10 seriam suficientes para comprar apenas o suco ou nem isso.

Dessa forma, podemos entender que uma inflação alta representa aumento de preços. O problema é que, em geral, nossos salários não são reajustados mensalmente, de acordo com as variações do índice. Assim, acabamos sempre perdendo poder de compra de alguma forma.

Mas, fique atento: só porque o peço dos produtos que você consome subiram, não quer dizer que o IPCA está alto. Por ser uma média de preços de diversos itens e com pesos relativos para cada segmento, conforme citamos anteriormente, o IPCA está sujeito a alterações.

Como é calculado o IPCA?

O período de pesquisa do IPCA vai do dia 1º ao dia 30 ou 31, dependendo do mês. A pesquisa é realizada em estabelecimentos comerciais, prestadores de serviços, residências e concessionárias de serviços públicos.

Continua após a publicidade

Os preços obtidos são os efetivamente cobrados ao consumidor, para pagamento à vista.

Dessa forma, o índice IPCA reflete o custo de vida de famílias com renda mensal de 1 a 40 salários mínimos e que são residentes nas regiões metropolitanas de:

  • São Paulo;
  • Rio de Janeiro;
  • Belo Horizonte;
  • Porto Alegre;
  • Curitiba;
  • Salvador;
  • Recife;
  • Fortaleza e Belém;
  • Além do Distrito Federal e do município de Goiânia.

A partir do IPCA, o IBGE também divulga os índices IPCA-15 (coletado o dia 16 do mês anterior ao dia 15 do mês de referência) e o IPCA-E (acumulado trimestral do IPCA-15).

Para ver as variações mensais do IPCA, neste ano e nos anteriores, consulte a nossa Tabela IPCA.


Os 15 melhores apps para controle financeiro pessoal


Para que é usado o IPCA?

Como já mencionado, é utilizado pelo Banco Central como medidor oficial da inflação do país. O governo usa o IPCA como referência para verificar se a meta estabelecida para a inflação está sendo cumprida. É assim que são formuladas e implementadas medidas de governança econômica e políticas monetárias que possam conter a situação.

Continua após a publicidade

O seu bolso e suas contas básicas também podem ser afetados, já que muitos comerciantes e fornecedores de serviços podem reajustar seus preços com base na alta do índice.

Até mesmo contratos de aluguel costumam ter cláusulas específicas de reajuste anual pela variação do índice IPCA ou pelo IGP-M, um índice de inflação calculado pela FGV.

O que as variações significam?

Variações positivas do IPCA indicam que os itens de consumo do dia a dia estão ficando mais caros — ou seja, estão sofrendo inflação. Em outras palavras, isso quer dizer que, quando o índice sobe, a população precisa de mais dinheiro para comprar exatamente o mesmo que comprava antes. Nesse cenário, o poder de compra diminui.

Caso a alta do IPCA em um mês seja menor que a alta do mês anterior, isso não significa que os preços baixaram. Quer dizer apenas que a inflação foi menor, com os preços não tendo subido na mesma velocidade.

Continua após a publicidade

Só quando o índice anual for negativo é que haverá diminuição nos preços (deflação) — o que nunca aconteceu no Brasil. Mas, por mais que pareça atraente, um cenário de deflação indica problemas na economia do país e, portanto, não é desejado.

Impacto nos investimentos

Além de impactar o bolso da população, o IPCA também afeta todos os tipos de investimento. Isso porque, independentemente da aplicação escolhida, o investidor precisa garantir que sua rentabilidade seja, idealmente, superior à inflação do período.

No entanto, alguns ativos são afetados de forma mais direta, como as aplicações atreladas à Selic, taxa básica de juros da economia. Quanto maior é a inflação, maior tende a ser também a Selic, já que o governo aumenta os juros para frear a alta dos preços.

Com isso, investimentos como o Tesouro Selic, que tem a Selic como base de cálculo, são impactados. Nesse caso, uma inflação maior significa um rendimento maior da aplicação. Porém, o ganho real continua sendo prejudicado, pois a inflação “consome” boa parte do rendimento.

Continua após a publicidade

O mesmo vale para investimentos em que a rentabilidade é calculada a partir do próprio IPCA. É o caso do Tesouro IPCA+, título público atrelado ao índice de inflação. Assim, em períodos de alta inflação, a rentabilidade desta aplicação também sobe.

Investimentos ligados ao IPCA

A grande vantagem dos investimentos atrelados a este índice é que eles, em condições normais, terão rentabilidade acima da inflação. Por isso, em períodos de inflação alta, essa pode ser a grande saída para a rentabilidade em seus títulos de renda fixa.

Veja os principais investimentos ligados ao IPCA:

1. Tesouro IPCA+

No caso deste título do Tesouro Direto, a rentabilidade será a variação do IPCA somada a uma taxa de juros preestabelecida no momento da compra do título. Por isso, dizemos que ele é um título híbrido, já que uma parte é fixa (expressa em %) e outra varia de acordo com as oscilações do índice.

Além dele, também existe o Tesouro IPCA com Juros Semestrais, cuja característica difere do Tesouro IPCA comum pelo seu pagamento de juros a cada 6 meses.

Continua após a publicidade

2. Letra de Crédito Imobiliário (LCI)

Este título de renda fixa é muito encontrado em bancos comuns e tem a grande vantagem de não sofrer desconto de imposto de renda no seu resgate.

Em geral, as LCI são ligadas ao índice CDI, mas alguns podem ser remunerados pelo IPCA. Além disso, a modalidade híbrida da LCI também pode ser atrelada ao índice IPCA, rendendo uma taxa prefixada, determinada no momento da compra, somada à variação do índice.

3. Letra de Crédito do Agronegócio (LCA)

A LCA, idêntica à LCI a não ser pela destinação dos seus recursos, também pode estar atrelada ao IPCA em sua modalidade híbrida, embora essa variação do título seja menos comum. Quando encontrada, normalmente possui um prazo maior.

De qualquer forma, o grande segredo para se tornar um investidor de sucesso é conhecer as opções que o mercado oferece e saber em qual cenário eles terão melhor rentabilidade.

Continua após a publicidade


Conheça os 5 melhores investimentos para iniciantes


Conclusão

Agora você já sabe o que é o Índice de Preços ao Consumidor Amplo e para que ele serve, certo?

Sabemos que este não é um dos assuntos mais fáceis de se entender, nem mesmo é comum em uma conversa entre amigos, por exemplo. Mas a inflação está presente em nossas vidas e, por isso, é muito importante que sejamos capazes de entender como ela nos afeta.

Além disso, para quem investe, o IPCA é muito relevante e também influencia em todos os tipos de investimentos. Então, entender aspectos econômicos é fundamental para ter sucesso nas finanças.

Por fim, ao entender que seu dinheiro desvaloriza ao longo do tempo, sabia que você também é capaz de calcular essa desvalorização? Experimente a nossa calculadora de correção de valores por índice e veja, por exemplo, quanto vale hoje algo que você adquiriu anos atrás ou quanto seu salário deveria vale hoje se fosse corrigido pela inflação.

Perguntas frequentes sobre IPCA

  1. O que é IPCA anual?

    O IPCA anual é a variação média dos preços de produtos e serviços para o consumidor final ao longo de 1 ano.

  2. O que é IPCA acumulado?

    O IPCA acumulado é a soma das variações do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo em determinado período, podendo ser de meses, anos ou o histórico completo.

  3. Como é calculado o IPCA?

    O IPCA é medido pelo IGBE mensalmente, compreendendo um conjunto de produtos e serviços comercializados no varejo. Em seu cálculo, abrange famílias com rendimentos de 1 a 40 salários mínimos e que vivem em 16 cidades brasileiras.

  4. Para que serve o IPCA?

    O IPCA é considerado o índice oficial de inflação do Brasil e representa o aumento generalizado dos preços de produtos e serviços. Além disso, também serve como indicador em diversos tipos de investimentos.

 

Continua após a Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.