Responsabilidade Editorial

Por que confiar no iDinheiro

O iDinheiro tem o propósito de democratizar e simplificar os serviços financeiros. Nossa missão é te ajudar a fazer as melhores escolhas, a partir das mais completas informações e recomendações sobre cada serviço.

Entenda como funciona a Letra Financeira e veja se vale a pena investir

A Letra Financeira é um dos títulos de renda fixa e pode ser uma boa alternativa para você construir seu patrimônio.

B612_20210521_152657_024_2
Melissa Nunes Especialista em Finanças Pessoais e Investimentos

Você tem perfil conservador, mas que aumentar um pouco o seu potencial de ganhos? Então, precisa conhecer a Letra Financeira (LF). Esse é um investimento da renda fixa com uma rentabilidade atrativa. Além disso, os riscos são reduzidos. Por isso, é uma oportunidade de conquistar um objetivo de longo prazo, como a aposentadoria.

Gostou? Veja o que você verá neste conteúdo para entender mais sobre a LF:

  • O que é Letra Financeira e como funciona?
  • Quais os riscos de investir em LFs?
  • Quanto custa investir?
  • Quais as vantagens e desvantagens?
  • Como investir?
  • Quando vale a pena investir?

O que é Letra Financeira (LF)?

A Letra Financeira é um título de crédito emitido por instituições financeiras. Esse investimento faz parte da renda fixa e busca a captação de recursos de longo prazo. Essa é uma das principais características do investimento. Isso porque ele não tem alta liquidez, por isso, não serve para formação de reserva de emergência.

Continua após a publicidade

Devido às suas características, a LF é bastante semelhante a outros títulos privados da renda fixa. Por exemplo, o Certificado de Depósito Bancário (CDB) e as Letras de Crédito Imobiliário e do Agronegócio (LCI e LCA).

Vale a pena destacar que a emissão pode ser feita por várias instituições financeiras. Elas precisam ser autorizadas, conforme a Resolução 4.733/2019, e fazer parte de uma das seguintes categorias:

Continua após a publicidade

  • bancos múltiplos, comerciais, de desenvolvimento e de investimento;
  • sociedades de crédito, financiamento e investimento;
  • caixas econômicas;
  • companhias hipotecárias;
  • sociedades de crédito imobiliário;
  • cooperativas de crédito;
  • Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

O que é Letra Financeira Subordinada?

Ainda existe a chamada Letra Financeira Subordinada. Essa é a denominação da LF cuja emissão leva em conta uma ordem de subordinação. Dessa forma, a remuneração do investidor está ligada a outras dívidas da instituição financeira. Assim, há mais vantagens, como o aumento da rentabilidade.

Por sua vez, o investimento mínimo é maior e chega a R$ 300 mil, limitando essa categoria para investidores com maior poder aquisitivo.

Como funciona a Letra Financeira?

Assim que esse título é emitido, o investidor pode adquiri-lo. Porém, ele tem algumas características específicas. A primeira delas é que o prazo do investimento é mais longo, a partir de 2 anos até 8 anos.

Além disso, a aplicação mínima é de R$ 50 mil. No entanto, algumas instituições financeiras exigem até mais do que isso.

Continua após a publicidade

Em relação à remuneração, ela pode ser prefixada, pós-fixada ou híbrida:

  • prefixada: o percentual de rentabilidade já é conhecido no momento da contratação. Portanto, não se altera ao longo do contrato;
  • pós-fixada: é aquela que oscila de acordo com um índice de mercado. Por exemplo, o Certificado de Depósito Interbancário (CDI);
  • híbrida: é uma mistura da anterior, onde a indexação é feita pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) e existe uma alíquota prefixada também. Por exemplo, 1,5% + IPCA.

A vantagem da última opção é que ela sempre oferece um retorno acima da inflação. No entanto, o mais comum é o rendimento pós-fixado.

Quais os riscos de investir em Letras Financeiras?

O risco das Letras Financeiras é baixo. Ainda assim, alguns deles continuam existindo. Entre eles, podemos destacar:

  • mercado: o desempenho da LF varia de acordo com os componentes financeiros, que são impactados por indexadores, volatilidade na taxa de juros, e questões políticas e econômicas. Ou seja, você pode ganhar menos do que espera na rentabilidade pós-fixada;
  • crédito: consiste no risco do emissor não pagar os rendimentos. Em outras palavras, dar um calote;
  • liquidez: não é possível fazer o resgate dos valores antes da data de vencimento.

Vale a pena deixar claro que as Letras Financeiras não contam com a proteção do Fundo Garantidor de Crédito (FGC). Ou seja, o risco é mais alto do que outros investimentos da renda fixa que são cobertos pelo seguro. Porém, essa característica também permite encontrar rentabilidade maior nas LF, já que o risco é proporcional ao retorno.

Quanto custa investir em Letras Financeiras?

O custo ao investir seu dinheiro é relativo ao Imposto de Renda (IR). A cobrança segue a tabela regressiva e a alíquota incide sobre os ganhos. Veja quais são os percentuais:

Continua após a publicidade

Período de investimentoAlíquota do IR
Até 180 dias22,5%
De 181 a 360 dias20%
De 361 a 720 dias17,5%
A partir de 721 dias15%

Como o investimento financeiro é de pelo menos 2 anos, as LF sempre terão uma alíquota de 15%, conferindo uma boa vantagem, apesar da falta de liquidez.

Vale lembrar, também, que a tributação incide sempre sobre os lucros e nunca sobre o total investido.

Fora o imposto de renda, em geral, não há outros custos para investir em Letra Financeira, já que a maioria das instituições não cobra taxa de custódia sobre o produto.

Quais as vantagens e desvantagens de investir?

Se você achou a Letra Financeira interessante, precisa conhecer os pontos positivos e negativos dessa aplicação financeira. A seguir, listamos vantagens e desvantagens. Confira.

Continua após a publicidade

Vantagens

  • Boa rentabilidade: o retorno é atrativo, especialmente porque o prazo é longo.
  • Facilidade no investimento: o acesso é fácil e ainda existem várias opções no mercado. A aplicação é simples, geralmente feita via uma corretora de valores.
  • Diversificação: as LFs são uma boa opção para equilibrar risco e retorno por trazer uma boa rentabilidade com potencial de perdas baixo.
  • Baixa tributação: como o prazo do investimento é longo, a alíquota incidente é de 15%.

Desvantagens

  • Sem proteção do FGC: isso aumenta o risco da aplicação financeira.
  • Investimento mínimo alto: é preciso aplicar R$ 50 mil, pelo menos. Essa quantia era ainda mais elevada, mas foi reduzida em 2019.
  • Falta de liquidez: você precisa esperar até a data de vencimento para resgatar seu dinheiro.
  • Incidência de IR: ainda que seja baixo, a alíquota do Imposto de Renda corrói parte do seu retorno, o que representa uma desvantagem ante investimentos isentos.

Como investir em Letra Financeira?

O investimento nesse produto passa pela abertura de uma conta em uma corretora de valores. Depois de fazer esse procedimento e o teste de perfil de investidor, basta transferir o dinheiro e escolher o ativo desejado.

Vale mencionar que a LF não é um investimento tão comum quanto outros títulos bancários, por isso, são poucas os bancos e corretoras que oferecem. Quando há oferta, as opções são bastante limitadas.

De qualquer forma, a análise deve ser baseada nas características do investimento, cujas informações estão disponíveis na plataforma da instituição. Entre elas, estão:

  • prazo de vencimento;
  • remuneração;
  • valor de aplicação inicial.

Lembre-se de fazer um bom planejamento financeiro antes de investir seu dinheiro. Dessa forma, você evita precisar dessa quantia antes do vencimento.

Continua após a publicidade

Conclusão: quando vale a pena investir?

A Letra Financeira é uma opção de aplicação financeira para investidores com uma quantia elevada para investir. Além disso, é importante buscar a diversificação da sua carteira.

Mais do que isso, é uma alternativa para quem deseja obter uma rentabilidade potencial acima de outros investimentos da renda fixa. Tudo isso desde que você não precise do dinheiro em curto prazo.

Por isso, é preciso ter o seu orçamento pessoal bem organizado. Ainda, pense nos seus objetivos financeiros para garantir que eles serão alcançados com a ajuda da LF. Assim, você terá o melhor resultado possível com o investimento.

Sugestões de leitura do iDinheiro:

Perguntas frequentes:

  1. Letra Financeira tem FGC?

    Não. Esse investimento não tem esse tipo de proteção. Por isso, apresenta um risco um pouco maior.

  2. Qual a diferença entre LF e CDB?

    Os dois investimentos consistem em títulos privados emitidos por instituições financeiras. No entanto, a Letra Financeira tem prazo maior de vencimento e não tem liquidez, além de não ter a proteção do FGC.

  3. Quem emite Letras Financeiras?

    A emissão é feita por instituições financeiras autorizadas.

  4. O que é a Letra Financeira do Tesouro (LFT)?

    A LFT é um título do Tesouro Direto e não tem relação com a Letra Financeira propriamente dita. Essa modalidade também é chamada de Tesouro Selic e sua rentabilidade varia de acordo com a taxa básica de juros da economia.

Continua após a Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.