A sigla TED se refere a um tipo específico de transferência bancária: a Transferência Eletrônica Disponível. Nesse tipo de transação, é possível valores entre contas de bancos diferentes de forma rápida, pois o procedimento não passa pelo sistema de compensação do banco. Por causa dessas vantagens, o número de brasileiros utilizando a TED é cada vez maior. De acordo com dados da FEBRABAN, em 2009 esse tipo de transação representava um volume de 28% das transferências realizadas no Brasil. Em 2013, esse número subiu para 46%.

Limites para transferência

Quando a TED foi criada, em 2002, foi estabelecido um valor mínimo de R$5 milhões para realização da transferência – um montante elevadíssimo para a maior parte dos brasileiros. No ano seguinte esse mínimo caiu bastante, indo para R$5 mil. Nunca houve um valor máximo para as TEDs, diferentes dos DOCs.

Continua após a publicidade


Recentemente, decidiu-se por uma nova redução no valor mínimo para realização da transferência eletrônica, que agora é de R$0,01, ou seja, não há limite mínimo nem máximo.

Como fazer uma TED?

Para fazer uma TED você precisa, primeiramente, possuir uma conta bancária e conhecer os dados bancários do beneficiário, ou seja, quem vai receber o dinheiro. Com relação aos dados do beneficiário, é necessário que você tenha em mãos:

  • Número da agência bancária;
  • Número da conta corrente ou poupança;
  • CPF ou CNPJ.

Atenção: muita gente se esquece do CPF e do CNPJ e acaba não conseguindo efetuar a transferência. Além disso, é muito importante verificar todos esses dados com atenção, porque qualquer erro implicará em um transferência errada. Vale ressaltar que não há possibilidade de sustar um TED já realizado, dificultando, assim, a correção do problema.

Geralmente, a solicitação da transferência pode ser feita de 3 diferentes formas:

  • Diretamente na agência do seu banco;
  • Nos terminais de autoatendimento da instituição;
  • Nos serviços de banco online disponíveis para computadores, tablets e smartphones.

Em cada instituição o processo é feito de forma diversa, mas não há muita complicação. Nos serviços de autoatendimento basta selecionar a opção “transferências” e depois selecionar a opção “TED”. Na boca do caixa a solicitação é ainda mais simples, pois você só precisa repassar os dados do beneficiário ao atendente e informar o tipo de transferência. Como veremos adiante, a escolha desses meios pode interferir nos custos da transação, sendo que as tarifas são menores para solicitação no caixa eletrônico ou pela internet.

Conheça os serviços bancários sem custos
Conheça os serviços bancários sem custos

Quando custa fazer uma TED?

O custo da TED varia bastante conforme o banco. Para facilitar, fizemos uma comparação no sistema Star da FEBRABAN. Os dados são vigentes para 7 de abril de 2015:

Bradesco

  • Na agência – R$14,65
  • No caixa eletrônico – R$7,90
  • Pela internet – R$7,90

Banco do Brasil

  • Na agência – R$14,oo
  • No caixa eletrônico – R$7,80
  • Pela internet – R$7,80

Itaú

  • Na agência – R$14,70
  • No caixa eletrônico – R$7,95
  • Pela internet – R$7,95

Caixa Econômica

  • Na agência – R$12,85
  • No caixa eletrônico – R$6,50
  • Pela internet – R$6,50

HSBC

  • Na agência – R$14,40
  • No caixa eletrônico – R$7,95
  • Pela internet – R$7,95

Santander

  • Na agência – R$14,40
  • No caixa eletrônico – R$7,90
  • Pela internet – R$7,90

Como podemos notar, a CAIXA é o banco com tarifas menores para esse realização da TED. Nas demais instituições, os custos variam bem pouco, sempre com valores reduzidos para transações não presenciais. Por isso, melhor mesmo é recorrer à internet ou caixa eletrônico quando for realizar uma transferência para contas de outro banco.