Cálculo Comparativo Salário CLT x PJ

Este cálculo auxilia na tomada de decisão sobre qual a melhor opção para se trabalhar em uma empresa: atuar como um prestador de serviços (PJ) ou ter carteira assinada (CLT).

Cálculo comparativo salário CLT x PJ

Salário mensal - Salário bruto por CLT
Salário registrado na carteira de trabalho, remuneração que um trabalhador recebe por mês, sem considerar os descontos oficiais obrigatórios.
Vale transporte (valor mensal)
Valor mensal do vale transporte.
Vale refeição (valor mensal)
Valor mensal do vale refeição.
Outros beneficios
Outros benefícios.
Taxa a ser paga de imposto via PJ. Este valor é importante para fazer os ajustes e equivalências entre CLT e PJ.

Salário CLT total bruto

Descrição Valor
Salário
Vale transporte
Vale refeição
Outros benéficios
Provisão 13°
Provisão férias
Provisão 1/3 férias
FGTS
INSS
IRRF
Renumerção líquida

Salário PJ Simples Nacional

Descrição Valor
Salário Bruto PJ
Imposto Simples Nacional
Remuneração Efetiva

As modificações no mercado de trabalho trouxeram novos modelos de contratação e de regimes trabalhistas. Para os profissionais, essas novidades se tornaram motivos de dilemas (como se vale a mudança de salário CLT para PJ) e podem gerar muitas dúvidas. 

Afinal, quais as diferenças de salário entre a carteira assinada e quem é contratado como pessoa jurídica (PJ)? O que muda na contratação? E como escolher a melhor opção? Esses são alguns dos questionamentos que surgem nesse sentido. 

Continua após a publicidade

Além do cálculo comparativo de salário CLT x PJ, outros quesitos também são relevantes para essa tomada de decisão. Entenda a seguir!

Como é feita a contratação CLT?

No Brasil, as relações de trabalho são regulamentadas pela Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT). Implementada em 1943, a CLT visa a proteção dos trabalhadores e a definição de regras e normas para esse tipo de acordo

Continua após a publicidade

Assim, a contratação CLT requer um vínculo empregatício entre o contratado e a contratante. Esse vínculo é registrado na carteira de trabalho do empregado e envolve uma série de procedimentos, burocracias e custos previstos em lei.

Há vários tipos de acordo que podem ser estabelecidos pela CLT. O mais utilizado é o contrato por tempo indeterminado, que não indica a data de término das atividades de trabalho. Mas, dentre as possibilidades de contratação, há também o contrato por tempo determinado, no qual essas datas são estabelecidas. Conheça os demais tipos!

  • Contrato temporário: usado em casos de substituição de profissionais regulares ou aumento eventual da demanda de trabalho.
  • Contrato eventual: não possui vínculo empregatício e é utilizado para atividades esporádicas e de curta duração.
  • Contrato intermitente: regulamenta os dias e horas a serem trabalhados, além de contar com os benefícios de férias, 13º e salário proporcional.

Quais são os descontos em folha de pagamento CLT?

Na contratação CLT, há uma série de descontos que são feitos na folha de pagamentoO trabalhador recebe o salário bruto, o valor que é registrado na carteira.

A partir daí, serão subtraídos os descontos legais e adicionados benefícios e ajudas de custo que a empresa oferece, chegando ao salário líquido, ou seja, aquele que é efetivamente depositado na conta do trabalhador. Veja quais os principais descontos praticados!

Continua após a publicidade

Além disso, há outros benefícios adicionais que podem ser descontados, como vale-transporte, vale-alimentação, vale-refeição e plano de saúde. A solicitação de adiantamento salarial por parte do colaborador também é descontada. A empresa ainda pode aplicar deduções em casos de atrasos e faltas injustificadas.

Quais os custos da contratação CLT para o contratante?

As empresas arcam com diversos custos para contratar um funcionário CLT. Saiba quais são os principais!

  • Pagamento do salário bruto.
  • Pagamento de 13º salário.
  • Pagamento de férias remuneradas.
  • Pagamento de FGTS.
  • Pagamento de Contribuição Previdenciária Patronal (CPP) de 20% do salário bruto.

Como é feita a contratação PJ?

A crise econômica, os cortes de gastos e as alterações efetuadas pela Reforma Trabalhista são alguns dos fatores que influenciam na mudança de modelo de contratação. Nesse cenário, é comum a celebração de contratos entre as organizações e os profissionais que trabalham como pessoa jurídica, autônomos e freelancers.

Para isso, o acordo é firmado quando o trabalhador possui um CNPJ e pode prestar serviços como empresário individual, microempreendedor individual (MEI) ou empresa individual de responsabilidade limitada (EIRELI). 

Continua após a publicidade

A contratação não é registrada na carteira de trabalho e prevê apenas um contrato com detalhes do tipo de prestação de serviço, a remuneração e a emissão de notas fiscais pelo trabalhador PJ.

Qual o desconto da remuneração como PJ?

Geralmente, ao ser contratado como PJ, o funcionário não tem descontos ao receber o pagamento. No entanto, nesse tipo de contrato, algumas empresas também oferecem benefícios adicionais, como plano de saúde e vale-alimentação, o que pode gerar descontos.

Quais os custos da contratação PJ para o contratante?

Normalmente, o único gasto da empresa em relação ao trabalhador contratado como pessoa jurídica é o do pagamento do serviço acordado.

Quais os custos da contratação PJ para o profissional?

Ao se tornar PJ, o colaborador passa a atuar como uma empresa que presta serviços para outras organizações. Por isso, a cobrança de impostos varia de acordo com o enquadramento nos regimes Simples Nacional, Lucro Presumido ou Lucro Real. 

Continua após a publicidade

Para quem trabalha como pessoa jurídica, a alternativa mais utilizada é o Simples Nacional, que detalhamos a seguir.

Impostos do Simples Nacional

Nessa categoria, a pessoa jurídica paga entre 6% a 15% de impostos em relação ao valor recebido, que pode ser de até R$ 300 mil por mês. 

Ainda dentro do Simples Nacional, estão inseridos os Microempreendedores Individuais (MEIs). Como MEI, é possível receber até R$ 6.750 e pagar tributos fixos a partir de R$ 50. 

Outros custos

Além da carga tributária, existem outros gastos que devem ser considerados por quem considera trabalhar como PJ. Dentre eles, os mais relevantes são:

Continua após a publicidade

  • férias e 13º salário;
  • contribuição ao INSS;
  • plano de saúde;
  • gastos com alimentação e transporte;
  • gastos com equipamentos de trabalho, luz e internet;
  • gastos com contabilidade, dentre outros.

Logo, para que esse tipo de contratação seja vantajosa, é preciso que tais custos estejam previstos na composição do valor a ser recebido como salário. 

CLT x PJ: quais as diferenças entre os contratos?

Diferentemente da CLT, na contratação PJ, as questões que configuram uma relação trabalhista não podem ser exigidas. Além disso, para o trabalhador, a CLT oferece diversas vantagens, como as descritas abaixo.

Para outros profissionais, os benefícios de ser pessoa jurídica também são considerados, confira!

  • Auxílio-doença.
  • Licença maternidade e paternidade.
  • Horário de trabalho flexível.
  • Remuneração acima da média.
  • Mais autonomia profissional, dentre outros.

Portanto, ao optar por um modelo, o trabalhador precisa compreender quais são as suas prioridades e objetivos de carreira. Em alguns casos, a segurança da carteira assinada é determinante, mas, em outros, a flexibilidade e a autonomia podem falar mais alto.

Então, para fazer uma boa escolha, é preciso considerar os gastos e burocracias de cada opção, além das oportunidades oferecidas pelo mercado. Quer saber mais? Faça o cálculo comparativo de salário CLT x PJ! 

Continua após a Publicidade