Responsabilidade Editorial

Por que confiar no iDinheiro

O iDinheiro tem o propósito de democratizar e simplificar os serviços financeiros. Nossa missão é te ajudar a fazer as melhores escolhas, a partir das mais completas informações e recomendações sobre cada serviço.

Entenda o que são criptomoedas e como funciona o mercado das moedas digitais

Entenda o que são criptomoedas, veja como funciona o mercado, suas vantagens e riscos e saiba se vale a pena investir nesses ativos!

B612_20210521_152657_024_2
Melissa Nunes Especialista em Finanças Pessoais e Investimentos

Você já ouviu falar em criptomoedas e no Bitcoin, mas você sabe o que são as criptomoedas, para que servem e como funciona esse mercado? Se não sabe, veio ao lugar certo!

É inegável a popularização que esses ativos digitais assumiram na última década, não só por suas características revolucionárias para o mercado financeiro como pela valorização exponencial e facilidade de negociação.

Continua após a publicidade

Mesmo assim, muitos investidores acabam entrando nesse ambiente sem saber, exatamente, o que são criptomoedas, como funcionam as negociações e quais os riscos aos quais expõem seu dinheiro. Contando que você não quer ser uma destas pessoas, criamos este guia inicial para quem quer investir em Bitcoin ou outras moedas virtuais de maneira mais segura e informada.

O que são criptomoedas?

Criptomoedas são um tipo de moeda muito parecido com o real ou o dólar, mas com algumas diferenças fundamentais. Para começar, elas são totalmente digitais, ou seja, não conseguimos guardar Bitcoins em um cofrinho, por exemplo. Além disso, o papel-moeda que conhecemos é um ativo centralizado, produzido por cada país no seu próprio Banco Central. Enquanto isso, as criptomoedas existem globalmente e são criadas pelos próprios usuários, sem um intermediário financeiro.

Continua após a publicidade

Mas isso não quer dizer que elas não tenham regras: cada criptomoeda é criada a partir de um projeto, chamado white paper, que especifica todas as suas características e como elas serão geradas.

Fundamentalmente, trata-se de um sistema de pagamentos global, descentralizado, virtual e inovador, com uma proposta democrática que permite que os usuários das moedas sejam os próprios controladores do sistema.

Parece tudo muito bacana, certo? Porém, por outro lado, as criptomoedas são altamente voláteis, já que seu preço é todo baseado na dinâmica de oferta e demanda do mercado. Isso quer dizer que elas podem valorizar ou desvalorizar muito e rapidamente em relação à outras moedas e, assim, usar esses ativos como forma de investimento ou reserva de valor deve ser feito com muita cautela.

Mineração: como as criptomoedas são criadas

A mineração é o nome que se dá ao processo de criação das criptomoedas. Antigamente, quando o dinheiro era feito de metais preciosos, esses também precisavam ser minerados (literalmente, nesse caso). Já a mineração de moedas virtuais se dá por meio de cálculos matemáticos que, quando são resolvidos, formam códigos únicos de informações.

Continua após a publicidade

Quando juntamos vários códigos, dizemos que formamos blocos de informações – é a chamada tecnologia blockchain. A partir disso, forma-se uma rede global de dados que não pode ser alterada nem apagada, apenas conferida pelos seus usuários.

É assim que nascem os ativos digitais e entender esse processo faz parte de compreender o que são criptomoedas e como acontecem as transações no sistema.

A quem faz o processo de mineração damos o nome de minerador, e seu trabalho é conhecido como proof of work (ou prova de trabalho). Por esse empenho, cada minerador ganha frações da criptomoeda a qual mineram, como uma espécie de salário mesmo. Mas se pensou em explorar essa carreira, não se anime muito: tudo isso exige uma capacidade de processamento de dados absurda, tanto é que existem as chamadas “fazendas de Bitcoin”, que não passam de grandes galpões cheios de computadores enormes resolvendo cálculos matemáticos.

Vale mencionar que nem todas as criptomoedas são criadas assim, mas a grande maioria é, inclusive as mais populares.

Continua após a publicidade

Como funciona o mercado de criptomoedas?

Como não há regulação, o mercado de criptomoedas funciona inteiramente baseado na lei de oferta e demanda. Quer dizer, os preços dos criptoativos variam conforme o interesse dos investidores em comprá-los ou vendê-los.

Assim, quando o interesse aumenta pelo Bitcoin, por exemplo, há muita demanda, fazendo com que o preço suba, pois os interessados aceitam pagar cada vez mais. Por outro lado, se não há compradores, ou seja, muita oferta para pouca demanda, os vendedores são obrigados a baixar os preços para fechar negócio.

Esses movimentos também são impactados por notícias ou declarações de pessoas influentes sobre as criptomoedas. Um exemplo é Elon Musk, que já falou algumas vezes sobre o assunto no seu perfil do Twitter e influenciou o preço do Bitcoin e da moeda Shiba Inu.

icon

Ao contrário do mercado de ações, que depende do funcionamento das bolsas de valores e tem horário certo para começar e encerrar, o mercado de criptomoedas funciona 24 horas por dia, todos os dias da semana! Por esse motivo, ele costuma ser bastante atraente para investidores que não podem negociar nos horários de pregão.

Compra e venda

As negociações diretas de criptomoedas acontecem em plataformas especializadas, conhecidas como exchanges, ou corretoras de criptomoedas. Por isso, para comprar Ethereum, Bitcoin, Ripple ou qualquer outra moeda que você já tenha ouvido falar, é preciso abrir conta em uma dessas instituições.

Continua após a publicidade

Como elas não são reguladas pelas autoridades brasileiras, certifique-se de estar usando uma plataforma de confiança e que seja comprometida com a proteção dos seus dados.

É interessante entender que cada exchange representa um ambiente de negociação isolado. Por isso, é comum ver variações nos valores das criptomoedas de corretora para corretora. É claro que essa diferença normalmente é pequena, pois existe um consenso de mercado que mantém os preços muito próximos.

Observe também as taxas envolvidas, como cobranças por saque e depósito e taxas de intermediação. Elas podem impactar seu lucro, então, prefira plataformas boas, mas que não custem uma fatia muito grande do seu capital.

Quais as principais criptomoedas do mercado?

A principal você já é conhece: é o Bitcoin, criado há quase 15 anos, em 2008. Na verdade, a ideia de usar a criptografia para fins financeiros é anterior a ele, mas foi o Bitcoin que popularizou o conceito de criptomoedas.

Continua após a publicidade

Hoje, existem milhares de opções, mas a maioria vale apenas alguns centavos de dólar ou menos que isso. Abaixo, elencamos algumas das moedas com maior valor de mercado, mas, como seu preço varia constantemente, você pode ver a lista atualizada na CoinMarketCap.

  • Bitcoin;
  • Ethereum;
  • PAX Gold;
  • Maker;
  • BNB;
  • Gnosis;
  • Bitcoin Cash;
  • Monero;
  • Zcash;
  • Aave;
  • Solana;
  • Litecoin;
  • Ripple;
  • Axie Infinity;
  • Polkadot.

É difícil definir quais são as criptomoedas mais promissoras, justamente pela sua característica volátil. Seu valor pode aumentar tão rapidamente quanto pode cair, mesmo em questão de minutos, horas ou poucos dias. Um exemplo (um tanto quanto assustador) é a criptomoeda Terra (LUNA), que valia cerca de US$ 82 no dia 5 de maio de 2022 e, 7 dias depois, valia nada mais do que US$ 0,03.

Por isso, todo investimento em criptomoedas deve ser feito com muita cautela, ainda que se escolha alguma das principais no mercado.

Quais as vantagens e riscos de investir?

Até aqui, você já deve ter entendido um pouco sobre o que são criptomoedas, por que o mercado se interessa tanto por elas e também por que esse é um tipo de ativo que não serve para todas as pessoas. De qualquer forma, vale a pena elencar algumas vantagens e desvantagens, ou riscos, para entender se faz sentido para você.

Continua após a publicidade

Vantagens das criptomoedasRiscos das criptomoedas
vantagem São descentralizadasdesvantagens Mercado altamente volátil
vantagem Utilizam tecnologias segurasdesvantagens Instituições não são reguladas no Brasil
vantagem Mercado funciona 24h/dia, 7 dias/semanadesvantagens Alto risco de perda financeira
vantagem Alto potencial de valorizaçãodesvantagens Golpes são comuns
vantagem Contribuem para a diversificação da carteiradesvantagens Há histórico de ataques hackers
vantagem Isenção em vendas de até R$ 35 mil/mês

Assim como todo ativo financeiro, há riscos inerentes às criptomoedas. No entanto, é o seu conhecimento do mercado e as suas medidas de prevenção que vão ajudar a preveni-los. Aqui vão alguns exemplos de como investir com mais segurança:

  • negocie apenas em plataformas reconhecidas;
  • tenha uma carteira (wallet) para guardar suas criptomoedas;
  • nunca invista mais do que 5% do seu patrimônio em criptomoedas;
  • fuja de promessas de ganho garantido em operações que envolvam criptomoedas.

Como investir em criptomoedas?

Agora você já sabe o que são as criptomoedas e talvez já tenha decidido se esse tipo de criptoativo faz sentido para a sua carteira. Porém, saiba que você não precisa investir diretamente via exchange. Na verdade, existem algumas outras maneiras, menos trabalhosas e mais seguras, de alocar seu dinheiro em Bitcoin ou outras moedas. Veja 3 formas:

  1. investimento direto: é a compra da criptomoeda em si, feita nas corretoras especializadas;
  2. fundos de investimento: são ativos que agrupam diversos tipos de investimentos, reduzindo o risco e a volatilidade, além de possibilitar a compra de cotas em uma corretora comum;
  3. ETFs de criptomoedas: são fundos de índice, que seguem uma carteira pré-formatada, baseada em um índice de criptomoedas. Como são negociados em bolsa, permitem a compra em corretoras locais.

Assim, antes de sair abrindo conta em instituições estrangeiras, considere qual opção faz mais sentido para o seu perfil e qual seu verdadeiro objetivo ao investir em criptomoedas. Se você quer apenas diversificar e aproveitar a possibilidade de lucro, um fundo ou ETF pode servir.

É claro que cada método tem suas vantagens e desvantagens, basta avaliar o que tem mais peso na sua decisão. Se quiser saber mais, confira nosso artigo: Como investir em criptomoedas? 3 formas de investimento!

Continua após a publicidade

Conclusão: vale a pena investir em criptomoedas?

Apenas saber o que são criptomoedas não basta para decidir se vale a pena investir. Isso porque essa é uma decisão pessoal e é você quem tem que “colocar na balança” os prós e contras desse tipo de negociação.

Entretanto, o mercado de criptoativos é bastante promissor e, sem dúvidas, veio para revolucionar a forma como lidamos com o dinheiro. Assim, é justificável que as pessoas queiram, cada vez mais, fazer parte dele e lucrar também.

No fim das contas, o que importa é que você esteja ciente das vantagens e riscos, para que possa tomar decisões mais acertadas e que não irão prejudicar a sua vida financeira. Afinal, você trabalha tanto para conquistar seu patrimônio, certo?

Nesse caso, pode contar com a gente para te ajudar nesse caminho. E, se você decidir que vale a pena investir em criptomoedas, saiba que nosso trabalho é sempre informar da melhor maneira e trazer ferramentas para tornar sua jornada mais fácil. Bons investimentos!

Esse texto foi útil para você? Se sim, deixe um comentário e se inscreva para receber outros conteúdos similares na nossa newsletter semanal!

Continua após a Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.