Por que as falas do Elon Musk afetam tanto o mercado?

Elon Musk é como um Midas moderno: tudo e qualquer coisa que toca, vira ouro.

Tiago Reis Suno
Tiago Reis

Elon Musk é o homem mais rico do planeta. De acordo com o recém publicado 36º ranking anual da Forbes, o dono da Tesla e da SpaceX possui uma fortuna de US$ 219 bilhões (R$ 1 trilhão) e, por isso, este ano, ele lidera a lista dos afortunados pela primeira vez.

Para se ter ideia, em 2021, o patrimônio líquido de Musk era de US$ 151 bilhões. Ou seja, sua fortuna cresceu US$ 68 bilhões em apenas um ano, o que significa que o magnata ganhou cerca de R$ 10 mil por segundo em 2021. Não é pouca coisa! 

Continua após a publicidade

É natural que um homem tão rico seja também tão influente. Afinal, ele é como um Midas moderno: tudo e qualquer coisa que toca, vira ouro. E, sabendo de sua importância e poder, Musk encontrou na internet, em uma rede social como o Twitter, a plataforma perfeita para falar diretamente com seus seguidores, fãs, clientes, com o mundo. Tudo isso sem assessoria de imprensa, como qualquer ser humano que faz um comentário deitado de sua cama ou antes de entrar no banho. É como se fôssemos muito próximos de alguém que tem uma vida completamente distante da nossa realidade e isso, por si só, já é muito atraente. 

Diante disso tudo, quando Musk opina, ele praticamente decreta. “Não vou vender minhas posições em criptos”. Criptomoedas sobem imediatamente. “Comprei parte do Twitter”. Ações da rede social sobem imediatamente. “Floki Frunkpuppy” (o nome do cachorrinho de estimação de Musk e uma foto do cão). Criptomoeda Shiba Inu (que é o nome da raça do cachorro do magnata) sobe 150% na hora. 

E não é só sobre o mercado financeiro que Musk opina. Assuntos geopolíticos, como a guerra da Rússia e Ucrânia, também estão no radar dele. Sobre isso, ele chegou a desafiar o presidente russo Vladimir Putin e o Kremlin a um “combate individual” valendo a Ucrânia. 

Elon Musk está voando e sabe disso. Não tenham dúvidas, ele nunca será esquecido, já marcou seu nome na história como um dos maiores empreendedores e inventores do nosso século, atuando em áreas diversas: neurotecnologia, internet, produção de energia limpa, projetos aeroespaciais, inovação automobilística e inteligência artificial.

Sua principal empresa, a Tesla, da qual se tornou sócio e CEO em 2008, investe em um negócio que é o futuro da mobilidade urbana: carros elétricos, que não poluem o ambiente e não necessitam de combustível fóssil, a cara e desgastada gasolina, para sua utilização. Tanto que fez entrega recorde de mais de 310 mil veículos elétricos no primeiro trimestre de 2022, salto de 68% em relação ao mesmo período de 2021.  

Por isso, as ações da Tesla são negociadas na casa dos US$ 1000 e ainda assim é uma das mais vendidas no mundo todo. Sobre isso, tenho lá minhas ressalvas pessoais. Acredito que a Tesla esteja valendo muito mais do que deveria e por isso não sou comprador da empresa. Mas tenho consciência que posso estar bem errado. 

No momento, nesse patamar de preço, acho que a relação risco x retorno não compensa, então não compro. Acredito de verdade que quem comprou essas ações vai em algum momento ter elas precificadas de acordo com seus fundamentos e, na minha opinião, é muito mais para baixo do que a avaliação atual.  

Mas que Elon Musk é um visionário, isso é inegável. É uma personalidade importante e o investidor antenado precisa sim estar de olho no que ele fala. Sem fanatismo, com análise crítica, mas é sempre muito válido saber o que pensa uma mente brilhante.

Continua após a Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.