Tipos de renda: quais são eles e como usá-los a seu favor

Sua principal ou única fonte de receita é o seu salário? Saiba que existem diversos tipos de renda e que você pode ganhar muito mais dinheiro!

melissa nunes perfil
Melissa Nunes

Tipos de renda: quais são eles e como usá-los a seu favor

 

Se eu perguntar, provavelmente você consegue me dizer, rapidamente, qual a sua principal fonte de renda, certo?

Vou chutar que é um salário, caso você trabalhe no regime CLT, ou um pró-labore, caso você seja autônomo.

Continua após a publicidade

E é muito provável, também, que essa seja sua única fonte, acertei?

Esse é o cenário mais comum, mesmo. Trabalhamos, recebemos por esse trabalho e usamos o dinheiro para pagar as contas e ter algum lazer.

Porém, o que acontece se essa fonte de renda se vai? No máximo, podemos contar com um seguro-desemprego ou uma reserva financeira que durará algum tempo.

Continua após a publicidade

Por isso, pensar em diferentes fontes de renda pode ser uma forma de nos protegermos das incertezas econômicas do país e das nossas vidas também.

Você já tinha parado pra pensar nesse risco? Se não, não tem problema!

Vou te apresentar, nesse artigo, os tipos de renda que existem por aí. Assim, você pode decidir o que mais faz sentido dentro da sua rotina.

Vamos lá?

O que é renda e por que eu preciso me preocupar com ela?

Renda é todo o tipo de receita financeira, ou seja, tudo o que entra no nosso bolso, concorda? É bem simples, mesmo.

Para a maioria, a principal fonte de receita é o salário. Isto é, aquele dinheiro que é dado em troca do seu tempo. Sim, no fim das contas, compramos as coisas com o nosso tempo de vida.

Continua após a publicidade

Muitas vezes, dedicamos quase toda a nossa existência a isso. Quem nunca precisou trabalhar muito para ganhar um trocado a mais, não é?

Porém, existem tantas outras possibilidades de fazer dinheiro que, geralmente, não enxergamos. Não é culpa nossa, apenas não fomos educados para isso.

Pense nos seus pais e avós. Provavelmente, eles viveram em uma época em que ter um emprego era sinônimo de segurança, estabilidade e comida no prato.

Muitos, inclusive, deram continuidade a negócios familiares, nem sempre por gostarem, mas pela comodidade.

Todavia, será que ainda é assim?

Hoje em dia, um emprego já não é tão fácil de encontrar e, também, não é sinônimo de segurança. Você pode, a qualquer momento, ser demitido ou terceirizado. Triste, não é?

Continua após a publicidade

E é por isso mesmo que você precisa se preocupar em encontrar outras fontes de renda.

Elas podem te trazer mais tranquilidade e menos dores de cabeça, pois você não ficará desamparado caso perca seu emprego ou seu negócio não dê tão certo quanto o esperado.

Então, explore as possibilidades apresentadas a seguir e escolha o que tem mais a ver com seu estilo de vida.

Quais são os tipos de renda mais comuns?

Basicamente, existem dois tipos de renda mais comuns: a renda ativa e a renda passiva. Vamos ver cada uma delas e seus exemplos.

Continua após a publicidade

Renda ativa

Como o nome diz, você precisa estar ativo para receber essa receita financeira. Ou seja, renda ativa é aquilo que você ganha em troca do seu esforço, do seu tempo, do seu trabalho.

Por exemplo, podemos listar as seguintes fontes:

  • salário, 13º e férias;
  • pró-labore;
  • bonificações e comissões;
  • bolsas de estudo;
  • vendas;
  • freelancing;
  • day trade e swing trade;
  • entre outros.

Bem, já dá pra ver que existem muitas possibilidades, certo? E, talvez, algumas delas você nem tinha considerado antes.

Não há nada de errado em ter várias fontes de renda ativa. Inclusive, isso é bastante recomendado, pelos motivos descritos antes.

De toda forma, o que acontece se você, por fatores internos (como ficar doente ou sofrer um acidente) ou externos (uma pandemia, quem sabe), é impedido de produzir tanto quanto antes?

Continua após a publicidade

É aí que entra o conceito de renda passiva, que veremos a seguir.

Renda passiva

Se renda ativa é aquela que depende do seu esforço, renda passiva é aquela que não depende, não é?

Bem, é mais ou menos isso. Na verdade, a renda passiva é o tipo de renda que exige esforço inicial, mas, com o tempo, a tendência é que você não precise mais trabalhar por ela.

Vejamos alguns exemplos:

  • aluguel;
  • juros e rendimentos;
  • royalties, direitos autorais e patentes;
  • lucros, dividendos e juros sobre capital próprio;
  • aposentadoria;
  • infoprodutos;
  • anúncios;
  • marketing de afiliados.

Como você pode ver, existe uma grande diversidade de fontes de renda passiva.

É claro que nenhuma delas vai cair do céu, simplesmente, mas, em algum momento, todas são capazes de prover receita sem que você precise dedicar seu tempo a isso.

Vale lembrar, também, que cada uma apresenta riscos maiores ou menores, bem como estudo e estratégias que são necessários para que você tenha sucesso.

Continua após a publicidade

Caso você queira saber mais sobre esse tipo de renda, não deixe de ler esse artigo bem completo.

Outros tipos de renda

Anteriormente, já cobrimos quase todo tipo de renda que podemos pensar sobre.

Porém, ainda é possível falar de algumas alternativas que são, na verdade, subgrupos, mas que vale a pena considerar.

Renda vitalícia

Essa é a receita proveniente da aposentadoria, por exemplo, ou de uma pensão, quem sabe.

No caso da aposentadoria, podemos considerar tanto a previdência pública (aquela recebida do INSS) como a previdência privada.

Continua após a publicidade

Esses são tipos de renda passiva que exigem grande esforço inicial (seja tempo trabalhado ou dinheiro investido) para que se tenha direito ao recebimento do dinheiro pelo resto da vida toda.

Renda extra

A renda extra pode ser tanto ativa quanto passiva, a diferença é que ela é considerada como algo à parte ou temporário.

Você pode, por exemplo, fazer um brechó de itens que não usa mais, como roupas e utensílios domésticos, ganhando, assim, uma renda extra.

Ou, quem sabe, cuidar do cachorro da sua vizinha enquanto ela viaja, em troca de uma graninha.

Continua após a publicidade

De toda forma, é claro que a renda extra pode, também, virar uma fonte de renda recorrente, complementar ao seu salário ou principal receita.

O importante é ter alternativas. Elas estão aí, você só precisa enxergá-las.

Como aumentar a renda ativa?

Todo mundo quer ganhar mais dinheiro, certo? Porém, quase nunca é fácil conseguir um aumento de salário, por exemplo. Além do mais, isso poderia te exigir trabalhar mais ainda.

Mas existem outros meios de aumentar sua renda ativa.

Um desses meios é fazendo renda extra, como mencionado acima. E então, esse dinheiro você pode usar para pagar dívidas, comprar algo que deseja, investir ou fazer uma viagem, quem sabe.

Assim, você “alivia” sua principal fonte de receita, que fica livre para outros objetivos.

Outro meio de aumentar sua renda ativa é desenvolvendo seu valor de mercado. Pense: o que você faz hoje e como você pode melhorar?

Continua após a publicidade

Você pode pensar em cursos, capacitações, inovações, etc. Qualquer coisa que ajude seu chefe ou seus clientes a entenderem que você é valioso, e, por que não, único?

O aumento de valor pessoal e profissional pode acarretar em aumento de salário, mudança de cargo, competitividade para a sua empresa ou, quem sabe, uma oferta melhor de emprego.

Dá pra viver de renda passiva?

Agora que você já sabe que existem meios de ganhar dinheiro sem precisar trabalhar a vida inteira, talvez esteja se imaginando numa praia paradisíaca, tomando drinques ou tirando uma soneca, certo?

Porém, viver somente de renda passiva é um processo que demora vários anos (ou décadas). Na verdade, a sua renda ativa é o que pode garantir que você chegue lá mais rápido.

Continua após a publicidade

Por isso, antes de pensar em viver de renda, direcione seus esforços para a produção de capital, aproveitando os períodos de vida em que estiver mais produtivo.

É claro, nada impede que você já comece a formar sua reserva passiva ao longo do caminho. Como você viu, existem várias alternativas, portanto, estude-as, aprenda sobre aquelas que julga mais viáveis e coloque em prática.

Aos poucos, você verá seu patrimônio crescendo e o desafio se tornando cada vez menor.

Conclusão

Se você chegou até esse texto sem poder nomear mais do que dois ou três tipos de renda, esperamos que, após a leitura, você esteja mais aberto às inúmeras possibilidades.

Talvez, você tenha percebido que sua fonte de renda fixa, aquela que cai todo mês na sua conta, não te deixa tão seguro quanto pensava.

Continua após a publicidade

Por isso, não deixe de considerar as ideias apresentadas. Reveja seu planejamento, buscando as melhores formas de aumentar sua renda dentro do tempo que você tem disponível.

E, mesmo que você já tenha certa idade, saiba que nunca se é velho demais para cuidar do seu bem estar e da sua família.

Talvez você não consiga viver 100% de renda passiva, um dia, mas você pode batalhar por um pouco de liberdade financeira, certo?

Enfim, construir uma vida mais tranquila, com mais tempo para o que você gosta e quem você ama e com menos preocupações é o que os diferentes tipos de renda podem te proporcionar.

Aliás, aqui no iDinheiro, nós damos muitas dicas de renda extra e diversas informações que te ajudam a construir sua renda passiva. Portanto, antes de ir, não deixe de assinar a nossa newsletter para receber todas essas informações diretamente no seu e-mail!

Continua após a Publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.