Responsabilidade Editorial

Por que confiar no iDinheiro

O iDinheiro tem o propósito de democratizar e simplificar os serviços financeiros. Nossa missão é te ajudar a fazer as melhores escolhas, a partir das mais completas informações e recomendações sobre cada serviço.

Confira as profissões que deixaram de existir e quais podem surgir!

Confira nosso guia especial e veja quais profissões que deixaram de existir ao longo do tempo e a transformação do mercado!

perfil
Camille Guilardi Estagiária de Finanças e Investimento

O mercado de trabalho está em constante transformação, e profissões que deixaram de existir dão espaço a novas ocupações para melhor atender às demandas emergentes. Nesse caso, vale a pena acompanhar essa mudança e conhecer as novas tendências.

Dessa forma, os profissionais poderão monitorar as necessidades de serviço, e se adequar conforme as exigências de cada segmento. Afinal, embora alguns cargos tenham se tornado ultrapassados, pela extinção de determinadas áreas, outros segmentos também passaram por transições que visam atualizar as suas funções e, com isso, permanecerem úteis.

Continua após a publicidade

Assim, é importante estar atento para as movimentações do mercado, e, ao mesmo tempo, monitorar a criação de ocupações mais modernas, que nascerão para atender às demandas futuras. Pensando nisso, separamos algumas das profissões que deixaram de existir, cargos que podem ser substituídos e funções que se tornarão uma necessidade para o mercado.

Profissões que deixaram de existir

O mercado, especialmente o setor de prestação de serviços, vivenciou uma série de mudanças nas últimas décadas, principalmente pelos avanços tecnológicos que tornaram algumas funções mais simples, acessíveis, e, outras, ultrapassadas.

Continua após a publicidade

No entanto, com essas inovações, muitas áreas tiveram profissões que deixaram de existir, por conta da falta de demanda ou pela modernização das atividades realizadas. Conheça algumas das mais marcantes, e veja os cargos que substituíram ofícios populares do passado.

Telefonista

Quatro telefonistas sentadas de costas trabalhando.
Cena da série “Telefonistas”.

A profissão de telefonista foi fundamental até a década de 1980, antes da automação desse serviço. Nesse caso, as operadoras de telefonia dependiam de profissionais que passassem os sinais de comunicação da central para ramais específicos.

Os repasses eram feitos, majoritariamente, por mulheres, treinadas para operar de forma discreta. Assim, elas repassavam as ligações, desde que o comunicador informasse o número e outros dados, como cidade para a qual desejava falar.

No entanto, com a automação das linhas telefônicas e o avanço da tecnologia de dispositivos móveis, essa foi uma das profissões que deixaram de existir para o público. Atualmente, ainda é possível encontrar telefonistas em grandes corporações e órgãos públicos, que repassam ligações internas ou informam os números de um setor. Contudo, o cargo está em extinção.

Continua após a publicidade

Acendedor de poste

Homem acendendo um poste.

Algumas pessoas devem se lembrar do acendedor de poste, uma das profissões que deixaram de existir por conta dos avanços dos centros urbanos. Até o final do século XIX, os postes de rua funcionavam à base de lamparinas a gás, ou com querosene. Dessa forma, deveriam ser acesas manualmente todos os dias, a fim de iluminar as localidades públicas.

Em alguns casos, a composição dos postes permitia que ficassem acesas até o período necessário, como o amanhecer. No entanto, alguns lugares também precisavam de pessoas para apagar os postes com o nascer do dia.

Com a descoberta, e posterior implementação, da eletricidade nas cidades, o acendedor de poste deixou de ser necessário, especialmente pela tecnologia que liga e desliga as lâmpadas automaticamente.

Lanterninha de cinema

Lanterninha do cinema em frente ao cinema.

O chamado lanterninha de cinema era um funcionário dos cinemas e teatros que ajudava as pessoas com seus lugares quando as luzes se apagavam, evitando problemas ou acidentes. Além disso, também eram responsáveis por monitorar as atividades do local, identificando, por exemplo, pessoas que utilizavam o local inapropriadamente.

Continua após a publicidade

Usualmente, esse cargo era atendido por pessoas mais jovens, visto que não se tratava de uma profissão com muitas exigências. No entanto, com o passar do tempo e a redução de custos nesses estabelecimentos, o lanterninha deixou de ser necessário, integrando as profissões que deixaram de existir.

Vendedor de enciclopédias

Várias enciclopédias em uma prateleira.

Embora pareça difícil de acreditar, plataformas de busca na internet, como o Google, só foram desenvolvidas nos anos 90.

Antes disso, as pessoas tiravam dúvidas e realizavam pesquisas por meio de livros, em bibliotecas, ou com as conhecidas enciclopédias. Geralmente vendidas em conjuntos, costumavam trazer informações completas sobre determinado assunto ou temática.

Além de serem disponibilizadas em locais públicos de consulta, também era possível adquirir esses livros por meio dos vendedores de enciclopédias. Eles realizavam as vendas de porta em porta, oferecendo as obras em conjunto, de um assunto específico ou várias curiosidades, com valores mais acessíveis.

Continua após a publicidade

No entanto, o surgimento da internet e a popularização desse mecanismo de pesquisa fez com que essa fosse uma das profissões que deixaram de existir com o tempo.

Leiteiro

homem tirando leite da vaca.

O leiteiro é um profissional conhecido, e, inclusive, ainda opera em algumas cidades menores, longe dos grandes centros urbanos. Sua função era distribuir garrafas de leite fresco para os clientes, por meio de combinação prévia. Além disso, alguns também ofereciam o produto nas ruas, por meio de carros ou carroças.

Essa profissão era necessária porque nem todas as pessoas viviam na área rural, ou possuíam suas próprias fontes de leite. Nesse caso, era cômodo combinar a entrega diretamente com o leiteiro, que fazia a retirada do produto fresco, entregando nas portas das casas.

Embora essa função ainda exista em algumas localidades, o avanço da urbanização e o acesso a esse produto fez com que a demanda diminuísse gradativamente.

Continua após a publicidade

Linotipista

Imagem de um Linotipo.

O linotipista é uma das profissões que deixaram de existir por conta da popularização das tecnologias, especialmente computadores e outros equipamentos modernos.

Essa função manuseava o linotipo, uma evolução da máquina de escrever tradicional. Isso porque seu depósito de linhas armazena um número muito maior de frases prontas, o que otimiza o trabalho de digitação e impressão das folhas.

Assim como os datilógrafos, essa máquina também exigia cursos de especialização, e os linotipistas eram comuns em editoras e jornais, por exemplo. Contudo, máquinas mais modernas e impressoras revolucionaram esse mercado, e a profissão deixou de existir.

Operador de mimeógrafo

criança reproduzindo desenhos em folhas pelo mimeógrafo.

O mimeógrafo, assim como o linotipo, é uma das máquinas precursoras das modernidades de escrita. Sua função era a de reproduzir folhas, como uma impressora, utilizando a tecnologia do papel estêncil.

Continua após a publicidade

Seu uso foi bastante popularizado nas redes de ensino, uma vez que se tornou possível imprimir provas e conteúdos didáticos. Contudo, para agilizar essa atividade, algumas pessoas treinaram o uso da máquina, sendo os operadores de mimeógrafos.

No entanto, assim como outras máquinas e funções do passado, o operador de mimeógrafo foi uma das profissões que deixaram de existir com as tecnologias.

Ator e atriz de rádio

Dois atores em frente a um microfone lendo suas falas.

Os cargos de ator ou atriz de rádio eram muito cobiçados por pessoas que desejavam atuar na área de teatro, principalmente pela popularidade das radionovelas.

Realizadas ao vivo durante a programação, era preciso que os profissionais tivessem treinos e soubessem transmitir as cenas somente pela voz. Contudo, o surgimento do cinema e, posteriormente, da televisão, fez com que essa atividade caísse, cada vez mais, em extinção.

Continua após a publicidade

Uma vez que os espectadores passaram a acompanhar as novelas e seriados na TV, os atores de rádio deixaram de atuar nesse canal.

Arquivista

arquivista mexendo nos arquivos.

Os arquivistas são uma das profissões que deixaram de existir no mercado, mas ainda podem operar em algumas empresas ou localidades.

Isso porque eles são responsáveis por organizar documentos de arquivos institucionais e pessoais, avaliando o grau de importância para decidir o tempo de arquivamento adequado, além de administrarem esses papéis.

Geralmente, era possível encontrar um arquivista na maioria das grandes corporações, além de escritórios e bibliotecas. No entanto, a popularização dos arquivos digitais, junto da facilidade que eles oferecem nas questões de organização e armazenamento, fez com que essa profissão deixasse de ser uma demanda geral.

Continua após a publicidade

Computadores humanos

Mulheres sentadas em suas mesas fazendo contas como

Os computadores humanos eram profissionais, geralmente mulheres, que trabalharam até os anos 1960 em algumas das principais instituições de pesquisa e ciência em todo o mundo. Sua função era processar números, como os computadores, de fato.

Esses cargos realizavam verificações matemáticas, conferiam contas e comparavam números, para certificar o resultado.

Até os anos 60, os computadores humanos eram utilizados, inclusive, em organizações como a Nasa. No entanto, foi uma das profissões que deixaram de existir com o tempo, sendo substituídas por computadores digitais.

icon

Dicas

É possível conhecer melhor a profissão através do filme “Estrelas Além do Tempo”, que retrata a história de três mulheres que trabalhavam como computadores humanos para a Nasa.

Profissões que deixarão de existir

Por outro lado, além das profissões que deixaram de existir no passado, alguns cargos já apresentam sinais de que podem ser substituídos no futuro. Isso acontece por conta das demandas e do surgimento de tecnologias que, assim como as funções anteriores, também tornam seu serviço pouco útil.

Nesse caso, vale a pena acompanhar essas tendências, e verificar quais as carreiras que podem deixar de existir em pouco tempo:

Continua após a publicidade

Corretor de imóveis

corretor de imóvel entregando a chave de uma casa.

Em 2017, uma análise feita pela empresa de consultoria Ernst & Young previu a extinção do corretor de imóveis até 2025. Isso aconteceria por conta do avanço da tecnologia, que faz com que os clientes busquem auxílio digital, seja por meio de robôs ou de plataformas inteligentes, para encontrarem um imóvel.

Apesar do encerramento dessa função não acontecer abruptamente, é possível que ela se torne menos procurada com o tempo, especialmente se não acompanhar as modernidades de comunicação.

Afinal, a maioria dos consumidores ainda prefere ter a ajuda de um profissional para atividades como a compra ou aluguel de um imóvel. Entretanto, é importante que esse suporte seja rápido e pouco burocrático, como acontece no meio digital.

Caixas de supermercado

caixa de supermercado.

Da mesma forma, espera-se que os caixas de supermercado estejam entre as profissões que deixaram de existir no futuro. Isso se tornou ainda mais claro com a recente pandemia de coronavírus, cuja medida mais popular de prevenção foi o distanciamento social.

Continua após a publicidade

Nesse caso, os consumidores passaram a conhecer, e utilizar, outras alternativas para atividades do cotidiano, como as compras, descobrindo caixas automáticos e sistemas inteligentes de pagamento.

Diversos supermercados, inclusive, já adotam essa prática, com carrinhos que somam as compras e permitem finalização automática, ou caixas automáticos. Assim, a tendência é que cada vez menos seja necessário utilizar caixas de supermercado.

Secretariado

Mulher digitando em um computador.

A profissão de secretariado é uma das mais populares no mercado, e opera em diversos segmentos. No entanto, espera-se que essa função diminua com o tempo.

Isso também acontecerá por conta das novas tecnologias de atendimento, especialmente os sistemas inteligentes, que permitem administrar as atividades realizadas por secretários.

Continua após a publicidade

No futuro, pode ser necessária uma adaptação de cargo, onde o secretariado se torne apto a operar, ou trabalhar em conjunto, com esse sistema. Contudo, a profissão como conhecemos atualmente pode cair em desuso.

Taxistas

taxista dentro do táxi.

Assim como outras profissões que deixaram de existir relacionadas à automação, os taxistas também podem precisar reinventar o seu cargo.

A chegada de aplicativos de transporte já foi suficiente para modificar esse cenário, impactando diretamente as atividades tradicionais, que consistem em uma série de burocracias e formas de cobranças diferentes.

Dessa forma, espera-se que os taxistas, em sua forma tradicional, sejam extintos, dando lugar à novos cargos que se adequem mais à realidade vivida atualmente no mercado.

Continua após a publicidade

Atendentes de banco

mulheres trabalhando de atendente.

Seguindo a mesma linha dos caixas de supermercado, os atendentes de banco também podem estar, no futuro, na lista de profissões que deixaram de existir.

Além da adaptação para as novas demandas de serviços presenciais e inovações que tornam essa rotina mais simples, como caixas eletrônicos e aplicativos, o surgimento dos bancos digitais também irá colaborar para essa extinção.

Isso porque surgem cada vez mais instituições que operam unicamente pela internet, inclusive seu suporte e a realização de operações cotidianas. Claro, esses bancos podem trazer novos cargos para o mercado, inclusive atendentes digitais. No entanto, a função convencional, como é conhecida atualmente, pode deixar de existir no futuro.

Profissões que devem surgir no futuro

Por fim, as profissões que deixaram de existir deram espaço para outros cargos que nascem das demandas e necessidades de serviço. Nesse caso, o mesmo acontecerá no futuro.

Continua após a publicidade

Embora a tecnologia tenha sido a principal responsável pelas funções extintas, ela também acompanha outras exigências, e novos profissionais deverão estar atentos para isso. Assim, vale a pena acompanhar as futuras tendências do mercado de trabalho, e como elas irão modificar as relações vividas na atualidade:

Walker/Talker

Mulher cuidando de uma idosa de cadeira de rodas.

Uma das profissões que já começaram a apresentar demanda são os walkers ou talkers. Em tradução, esses termos podem ser traduzidos como “passeadores” e “conversadores”. Basicamente, são pessoas que fazem companhias para idosos por meios virtuais

Embora a tecnologia tenha facilitado a interação entre as pessoas e as comunicações pessoais, alguns grupos também deixaram de ser atendidos, como a terceira idade. Nesse caso, existem profissionais que se especializaram somente para esse público, fazendo companhia para conversações, interações e para atender outros tipos de demandas.

Além disso, a demanda pode ser atendida de forma individual, contratados por familiares, por exemplo, ou também em centros de repouso. Algumas instituições já estão adotando essa prática para seus residentes, com horários de interação dos walkers/talkers.

Continua após a publicidade

Diretor de portfólio genômico

microscópio com tubos de ensaio ao fundo.

Com as profissões que deixaram de existir nos meios científicos, outros cargos podem ser esperados para preencher essas lacunas, como o diretor de portfólio genômico. Trata-se de um especialista que trabalha com estratégias para desenvolvimento de produtos biotecnológicos.

As pesquisas de inovação na área da saúde e da medicina, por exemplo, seguem acompanhando as modernidades do mercado. No entanto, também exigem profissionais que possam cumprir com cargos de alto nível, para supervisão ou liderança de projetos importantes nesse segmento.

Assim, o diretor de portfólio genômico irá apresentar todas as habilidades necessárias para trabalhar com biotecnologia, alinhando ambos os conceitos em prol da ciência e do desenvolvimento de novas soluções.

Alfaiate digital

Alfaiate medindo um casaco.

O alfaiate está entre as profissões que deixaram de existir no mercado, em grande demanda, mas, curiosamente, esse cargo digital pode voltar a atender novas demandas no futuro. Nesse caso, ele se torna responsável pela elaboração de roupas feitas sob medida em cabines especiais, diretamente pela internet.

Continua após a publicidade

Essa solução foi pensada, principalmente, com base no metaverso e na realidade aumentada, tecnologias que possibilitam interações com avatares completos. Além disso, existem outras ramificações junto dessa profissão, como cabines digitais inteligentes, que propõem medidas mais justas e acertadas na confecção dos pedidos dos clientes.

Dessa forma, para quem trabalha no setor de confecção, o alfaiate digital pode ser uma possibilidade interessante.

Facilitador de TI

paisagem de uma cidade urbana com a projeção de números sobre ela.

O facilitador de TI é um cargo responsável por criar espaços virtuais personalizados em ambientes colaborativos.

Com as inovações cada vez mais tecnológicas, especialmente na questão de realidade virtual e metaverso, será necessário que existam profissionais para administrar esses cenários de convivência virtual em comum.

Continua após a publicidade

Nesse caso, surge o facilitador de TI, uma solução para criar espaços personalizados como for necessário, e monitorá-los durante o uso colaborativo. A função será especialmente requisitada por companhias e grandes empresas, que já começaram a implementar tecnologias de reunião virtual em suas rotinas.

Técnico de saúde assistida por IA

mãos segurando um estetoscópio e apontando para a projeção de um cérebro.

Por fim, são poucas as profissões que deixaram de existir na área da saúde, uma vez que elas se adaptam às novas exigências do mercado, e não seria diferente com o técnico de saúde assistida por IA.

A inteligência artificial já é uma realidade na medicina, operando não apenas em grandes operações, como cirurgias, mas também em pequenas atividades, como a triagem de hospitais. No entanto, a utilização desses sistemas surgiu de forma colaborativa com os profissionais da área, uma vez que eles continuam sendo fundamentais para o nicho.

Dessa forma, novos cargos relacionados a IA serão necessários no futuro, como o técnico de saúde assistida. Nesse caso, esses especialistas terão os devidos conhecimentos para trabalhar com esses sistemas inteligentes, a fim de otimizar os resultados que podem ser alcançados.

Continua após a publicidade

Enquanto isso, o cargo também será voltado para atendimentos por telemedicina, responsáveis por orientar pacientes e médicos em consultas remotas, além de procedimentos que passarão a ser realizados à distância. Essa função terá uma série de possibilidades de desenvolvimento, o que comprova a sua importância no futuro.

Conclusão: como lidar com as profissões que deixaram de existir?

Embora seja fundamental estar se atualizando e monitorando as tendências, pode ser difícil lidar com profissões que deixaram de existir, ou perderam a sua necessidade no cenário atual.

Nesse caso, o primeiro passo é verificar se existem cargos semelhantes que acompanham as novas demandas. Por outro lado, também pode ser uma possibilidade de conhecer habilidades diferentes e trabalhar competências inovadoras, que abrem novos caminhos de trabalho.

Seja como for, é essencial não se apegar às profissões que deixaram de existir, mas utilizar sua base para uma nova carreira, enquanto acompanha as necessidades que surgem todos os dias, como uma chance de se reinventar.

Quer conhecer outras curiosidades como essas? Ative as notificações do Push e assine a newsletter do iDinheiro!

Perguntas Frequentes

  1. Quais trabalhos deixaram de existir com a tecnologia?

    Algumas das profissões que deixaram de existir por conta da tecnologia são telefonista, operador de mimeógrafo, linotipista, atores de rádio e arquivista.

  2. Por que algumas profissões deixaram de existir com o tempo?

    Muitas profissões perdem a utilidade por conta da tecnologia, ou são extintas pelo aumento da acessibilidade para alguns serviços, como é o caso do leiteiro e acendedor de poste, por exemplo.

  3. Quais empregos irão desaparecer e quais irão surgir?

    Alguns especialistas indicam que empregos que podem desaparecer incluem corretor de imóveis, atendente de banco, caixas de supermercado e secretários, dando lugar a profissões de tecnologia, como walkers, facilitadores de TI e guias de lojas virtuais.

  4. Quais atividades foram ou podem ser substituídas pela tecnologia?

    Diversas atividades podem ser substituídas pela tecnologia, principalmente de atendimento ao público e relações comerciais, que devem se adaptar para o cenário digital.

Continua após a Publicidade

  1. O Globo. “Profissões que devem sumir do mapa em 2025”. Link.
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.