Financiamentos

Como calcular juros de financiamento: saiba por que é tão importante

Karina Carneiro
Karina Carneiro
imagem que mostra uma calculadora e um lápis para ilustrar como calcular juros de financiamento

Entenda porque e como calcular o juros de financiamento para tomar decisões cada vez melhores.

Como calcular juros de financiamento: saiba por que é tão importante.

Na maioria das vezes, quando falamos sobre juros de financiamento, eles estão associados à compra de um bem. Sejam imóveis, terrenos, carros, entre outros.

No entanto, dentro dessa operação financeira, muitas taxas acabam sendo incluídas. E é justamente durante a contratação que a atenção deve ser máxima.

Continua após a publicidade

Afinal, as tarifas podem chegar a dobrar o valor do empréstimo.

Sabendo o valor dos juros pagos todos os meses é muito mais fácil se planejar para quitar a dívida e entender se o financiamento é mesmo a melhor decisão. 

Diante desse contexto, o iDinheiro preparou este artigo para que você aprenda de uma vez por todas tudo que precisa saber sobre financiamentos e suas taxas. 

Continua após a publicidade

Por que é importante calcular os juros do financiamento?

O financiamento é um mecanismo financeiro que permite que as pessoas comprem à vista um bem para o qual não dispõem do valor integral.  

Isso significa que o banco está emprestando dinheiro para que tal desejo seja concretizado. Como consequência deste empréstimo, a instituição contratada cobra um valor além do solicitado, referente aos juros do financiamento.

Dependendo das condições estipuladas no contrato, é possível que a pessoa chegue a pagar o dobro ou, até mesmo, o triplo do valor solicitado inicialmente. 

Diante dessa situação, saber como calcular o juros juros do financiamento se torna fundamental.

Afinal, esse é o meio mais seguro de garantir que a melhor opção seja escolhida. 

Continua após a publicidade

Qual a diferença entre as taxas de juros de financiamentos

Para conseguir chegar ao valor total dos juros cobrados em um financiamento, muitos fatores são levados em consideração.

Dentre eles, estão as garantias dadas e a renda mensal do tomador do empréstimo. 

Vamos analisar algumas nomenclaturas usuais em contratos de financiamentos e entender o que cada uma delas significa.

Taxas de juros nominal

A taxa de juros nominal costuma ser a que vem mais destacada no contrato.

No Brasil, é comum que ela seja ao ano. No entanto, os cálculos não devem ser feitos a partir dela. 

Taxa de juros efetiva

A taxa de juros efetiva é a que deve ser utilizada para a realização dos cálculos matemáticos.

Continua após a publicidade

Inclusive, seu período deve coincidir com a forma de pagamento das parcelas, ou seja, se o débito é mensal a ela deve estar em percentual ao mês (exemplo: 3% a.m.). 

O que levar em consideração na hora de fazer o cálculo

Dentro do financiamento, existem basicamente dois modelos de cálculo e as diferenças estão no valor das parcelas, como veremos a seguir.

Sistema Price

O Sistema Price costuma ser caracterizado por parcelas constantes.

Isso significa que todos os meses do início ao fim do financiamento, um valor específico será pago, sem nenhum tipo de taxa extra. Os valores são fixos. 

Amortização Constante (SAC)

No entanto, também é possível encontrar no mercado o Modelo de Amortizações Constantes.

Este método é bem comum em financiamentos imobiliários. Nele as parcelas decrescem a medida em que são pagas. 

Continua após a publicidade

Custo Efetivo Total

Além do sistema de pagamentos, é imprescindível que se leve em conta o Custo Efetivo Total (CET). 

O custo efetivo total representa a soma de todas as taxas e tarifas que o interessado deve pagar além do principal no decorre do financiamento. Ou seja, sabendo o CET o cliente tem como calcular o valor final do contrato com segurança.

Porém, muitas instituições financeiras divulgavam anteriormente apenas as taxas nominais, não incluindo os demais custos da operação. 

Devido a essa situação, o Banco Central, atualmente, obriga que todos os bancos divulguem o CET antes mesmo de os clientes fecharem o negócios. 

Continua após a publicidade

Por isso, sempre busque essa informação para ter mais clareza das taxas a serem pagas. 

Como calcular juros de financiamento

Para calcular o valor do juros de um financiamento, basta ter em mãos o montante emprestado, o tempo em que ele será pago e a taxa cobrada pela instituição. 

Para exemplificar a situação, pense em um financiamento de automóvel nas seguintes condições:

  • valor financiado do imóvel: R$180.000,00 à vista;
  • número de prestações: 48 prestações;
  • período de pagamento: 4 anos;
  • taxa de juros: 1,5% ao mês. 

Em um primeiro momento, deve-se dividir o valor total do financiamento pelo número de parcelas: 

  1. R$180.000,00/48 = R$3.750,00. 

A parcela mensal será de R$3.750,00, no entanto, é necessário adicionar a taxa de juros de 1,5% ao mês a cada uma das parcelas a serem pagas. Para isso basta:

Continua após a publicidade

2. R$3.750,00 x 1,5% = R$56,25. 

Desse modo, a prestação mensal será o valor acrescido de juros. No exemplo, o valor será de R$3.806,25. 

Levando em consideração o valor total dos juros:
3. R$56,25 x 48 = R$2.700,00.

Nesse exemplo, o valor das prestações é sempre igual. No entanto, há outras modalidades de financiamento com cálculos de juros de mais complexos. 

Simuladores

O mais importante, no exemplo acima, está em entender a necessidade de se calcular.

Isso porque existem simuladores na internet que possibilitam encontrar os valores e taxas de juros de financiamentos sem cálculos manuais. 

Um exemplo bem acessível, costuma ser a Calculadora do Cidadão. Este aplicativo é de autoria do Banco Central e busca facilitar o cálculo de juros de financiamento, tornando o processo mais prático. 

Continua após a publicidade

Para usar a ferramenta é preciso baixar o aplicativo (Android/iOS) ou acessar o site clicando em “financiamento com prestações fixas”.

A partir daí, existem quatro variáveis: número de meses, taxa de juros mensal, valor da prestação e valor financiado, como mostrado na imagem a seguir: 

É importante destacar que pelo menos três dos quatro campos devem estar preenchidos, para que o valor procurado apareça como resposta.

Por que é importante comparar as opções?

Assim como é importante comprar preços das compras do dia a dia, para financiamentos não é diferente. Afinal, seu valor é muito mais expressivo e a melhor escolha pode significar boas economias. 

Continua após a publicidade

Para fazer essa comparação, entretanto, é imprescindível considerar o prazo, as taxas e os valores das prestações. 

É comum que financiamentos mais curtos cobrem taxas de juros menores, no entanto, podem não ser a melhor opção devido às parcelas mais elevadas. 

E o mesmo vale para o oposto. Quando há a possibilidade de quitar o crédito em períodos mais curtos é sempre vantajoso negociar as taxas junto às instituições financeiras e efetuar o pagamento. 

Agora que você já sabe como calcular os juros de financiamentos, faça a comparação sempre que possível, para que você possa avaliar por conta própria se a contratação é vantajosa.

Quer continuar recebendo informações sobre diferentes linhas de crédito? Então, não deixe de assinar a newsletter do iDinheiro para receber as informações em primeira mão.

Publicidade

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

    Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *