Tabela Seguro Desemprego

Tabela com faixas de salários e parcelas do Seguro Desemprego 2021. Veja quanto você vai receber e tire outras dúvidas.

Tabela Seguro Desemprego 2021
Faixas de salário médioValor da parcela
Até R$ 1.686,79Multiplica-se salário médio por 0.8 (80%)
De R$ 1.686,80 até R$ 2.811,60O que exceder a 1.686,79 multiplica-se por 0.5 (50%) e soma-se a 978,22.
Acima de R$ 2.811,60O valor da parcela será de R$ 1.911,84 invariavelmente.
O valor da parcela não pode ser inferior ao salário mínimo vigente (R$ 1.100)
Tabela Seguro Desemprego 2015
Faixas de salário médioValor da parcela
Até R$ 1.222,77Multiplica-se salário médio por 0.8 (80%)
De R$ 1.222,78 até R$ 2.038,15O que exceder a 1.222,77 multiplica-se por 0.5 (50%) e soma-se a 978,22.
Acima de R$ 2.038,15O valor da parcela será de R$ 1.385,91 invariavelmente.
O valor da parcela não pode ser inferior ao salário mínimo vigente (R$ 1.100)
Tabela Seguro Desemprego 2014
Faixas de salário médioValor da parcela
Até R$ R$ 1.151,06Multiplica-se salário médio por 0.8 (80%)
De R$ 1.151,07 até R$ 1.918,62O que exceder a 1.151,06 multiplica-se por 0.5 (50%) e soma-se a 920,85.
Acima de R$ 1.918,62O valor da parcela será de R$ 1.304,63 invariavelmente.
O valor da parcela não pode ser inferior ao salário mínimo vigente (R$ 1.100)

O que é o seguro-desemprego?

O seguro-desemprego é um benefício pago ao trabalhador que foi demitido sem justa causa, ou seja, involuntariamente.

Ele é garantido pela Seguridade Social e tem como objetivo dar uma assistência financeira ao trabalhador enquanto ele busca uma recolocação e/ou nova fonte de renda.

Para descobrir o valor e quantas parcelas vai receber, a tabela do seguro-desemprego pode ajudar.

Quem tem direito ao seguro-desemprego?

Para ter direito ao seguro-desemprego, o trabalhador deve:

  • ter sido desligado da empresa sem justa causa;
  • ainda estar desempregado quando requerer o benefício;
  • ter recebido salários advindos de CNPJ ou pessoa física inscrita no CEI em três situações, sendo: 1 – pelo menos 12 meses dos últimos 18 meses na sequência da data da dispensa, 2 – pelo menos 9 meses dos últimos 12, na mesma condição anterior, quando solicitado pela segunda vez e, 3 – cada um dos 6 meses anteriores as demais solicitações de seguro desemprego referente aos últimos 12 meses;
  • não ter renda própria para seu sustento e/ou de sua família;
  • não receber outros benefícios da Previdência Social na categoria de prestação continuada, excetuando pensão por morte e auxílio-acidente.

Nesses casos, quem está recebendo auxílio emergencial não pode requerer o seguro-desemprego e vice-versa. Pessoas que atuem como freelancer e/ou MEI também não podem requerer o benefício, já que não precisam trabalhar exclusivamente para um empregador e, portanto, tem outras fontes e formas de ganhar dinheiro.

Continua após a publicidade

Qual o prazo para solicitar o seguro-desemprego?

Atenção aos prazos para solicitar o seguro-desemprego a partir da situação geradora do direito (demissão sem justa causa, períodos de proibição do trabalho etc):

  • Empregado doméstico: a partir do sétimo dia até o 90º da dispensa;
  • Trabalhador formal: a partir do 7º dia até o 120º da dispensa;
  • Pescador artesanal: em até 120 dias do início da proibição, sendo este durante o período de defeso;

Ainda, para empregados afastados para qualificação, durante a suspensão do contrato de trabalho e, no caso de trabalhadores resgatados, até 90 dias contados a partir da data do resgate.

Como calcular a parcela do benefício usando a tabela do seguro-desemprego em 2021?

O cálculo do benefício foi alterado recentemente. Assim, é preciso ter bastante atenção na hora de usar nossa tabela do seguro-desemprego para seu cálculo.

Conforme a tabela, você deverá usar o salário médio do período em que esteve empregado para fazer o cálculo.

Continua após a publicidade

Se o valor médio for de até R$ 1.686,79, basta multiplicar por 0,8 (o mesmo que 80%).

Em um salário médio de R$1.500, por exemplo, multiplica-se esse valor por 0,8 e obtém-se R$ 1.200.

Todavia, se a média de salários for superior a R$1.686,79, então você deverá aplicar outra porcentagem ao valor excedente.

Então, em um salário médio de R$2.686,79, subtraímos o R$1.686,79 restando R$1.000. Nesse valor, multiplicamos por 0,5 (o mesmo que 50%), e chegamos ao resultado de R$500.

Por fim, somamos aos R$ 500 a quantia de R$978,22, que vai dar o valor da parcela do seguro-desemprego de R$ 1.478,22. 

Perguntas frequentes

  1. Qual o valor mínimo do seguro desemprego?

    O valor da parcela do seguro-desemprego não pode ser menor que o salário mínimo vigente. Em 2021, conforme nossa tabela do seguro-desemprego, isso equivale a R$1.100.

  2. Como o seguro desemprego é pago ao trabalhador?

    O tempo de vínculo empregatício influencia em quantas parcelas de seguro desemprego o trabalhador vai receber, variando de 3 a 5 pagamentos mensais.
    Com no mínimo 6 meses de trabalho, o beneficiário vai receber 3 parcelas do seguro-desemprego.

  3. Em qual conta da Caixa o benefício é depositado?

    O benefício é pago na Caixa e agora pode ser depositado em qualquer tipo de conta da instituição.
    Se você não possuir uma conta, ela será aberta para que o depósito seja feito, lembrando que desde abril de 2021, a Caixa está realizando esse procedimento nas Contas Poupanças Sociais Digitais.
    Então, caso já tenha feito sua solicitação, pode usar o aplicativo Caixa Tem e outros canais da Caixa Econômica Federal para consultar se sua parcela já está liberada.

Continua após a publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.