Preço do frango, ovo e porco pode subir ainda mais em 2021

ABPA alertou o governo federal que o preço do frango e outras proteínas pode sofrer novas elevações nos próximos meses em 2021. Entenda o impacto.

Cristina Boscolo
Cristina Boscolo

No último dia 21 de maio, a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) alertou o governo federal que o preço do frango, do ovo e da carne de porco pode sofrer novas elevações nos próximos meses, devido à alta dos custos de produção do setor.

A notícia vem em meio a uma série de desafios financeiros que as famílias brasileiras vêm enfrentando desde o ano passado – entre eles, a disparada do preço da carne bovina em 2020, que ficou cada vez mais rara no prato dos trabalhadores, após a renda diminuir drasticamente por conta do coronavírus.

Continua após a publicidade

De acordo com economistas entrevistados pelo G1, os valores realmente podem subir, mas as empresas terão dificuldades em repassar todos os custos ao consumidor final neste momento em que a economia doméstica passa por tantas oscilações.

Consumo de carne no Brasil é o menor em 25 anos

A prévia da inflação de maio apontou que o preço do frango inteiro subiu 14% e os pedaços subiram 13,5% nos últimos 12 meses, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Já os valores do ovo subiram 7% no mesmo período, enquanto o preço da salsicha subiu 12% e o da linguiça também disparou 30%.

Entre os frigoríficos, a queixa é de que os preços do milho e da soja, que fazem parte da ração dos animais, e do diesel, usado no transporte, subiram no mercado internacional. De acordo com o Índice de Custos de Produção (ICP), calculado pela Embrapa Suínos e Aves, produzir frango em abril foi 39,79% mais caro do que no mesmo mês em 2020 e ficou 44,5% mais caro no caso dos suínos.

O setor tem pedido medidas ao governo para contornar a situação, como redução de custos em importação, suspensão temporária de PIS e Cofins para comprar milho e soja fora do Mercosul e fretes realizados no mercado interno, políticas de incentivo de plantio de milho e cereais no Brasil, entre outras solicitações.

Preço do frango e outras proteínas vai mesmo subir?

Segundo economistas, é inevitável que o valor do frango, do porco e do ovo suba ainda este ano, já que os preços do milho e da soja devem pesar cada vez mais na conta da produção dessas proteínas.

Especialistas afirmam, porém, que os produtores podem não conseguir repassar todos os seus custos para o consumidor final tão rapidamente, já que o desemprego está em alta e o auxílio emergencial teve seu valor reduzido.

Ainda assim, mesmo o mínimo aumento pode refletir diretamente na alimentação dos brasileiros que, com a renda comprometida, devem sentir a mudança de qualquer maneira.

Por causa do aumento dos custos, os frigoríficos em geral, além das empresas produtoras de ovos, passaram a diminuir as produções do final de 2020 para cá. O mercado, porém, teme que esse cenário traga riscos no médio prazo e o aumento de preços quando a demanda voltar a subir.

Saiba tudo sobre economia doméstica! Assine a newsletter do iDinheiro e ative as notificações. Se inscreva, também, no nosso canal do Telegram para receber todas as novidades.

Continua após a Publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.