Responsabilidade Editorial

Por que confiar no iDinheiro

O iDinheiro tem o propósito de democratizar e simplificar os serviços financeiros. Nossa missão é te ajudar a fazer as melhores escolhas, a partir das mais completas informações e recomendações sobre cada serviço.

O que é o RLP nas corretoras e quando vale a pena ativar?

O Retail Liquidity Provider promete trazer vantagens ao investidor que negocia minicontratos e ações na bolsa de valores.

B612_20210521_152657_024_2
Melissa Nunes Especialista em Finanças Pessoais e Investimentos

Se você opera na bolsa de valores, ou tem interesse em começar a negociar nesse mercado, já deve ter ouvido falar sobre o RLP ou viu algo na sua corretora de investimentos (Inter, Clear, Rico, etc.).

Amplamente utilizada em outros países, como nos Estados Unidos, a ferramenta também está se tornando popular no Brasil, ainda que em fase de testes e, mais recentemente, com aplicação no mercado de ações. No entanto, embora os resultados possam ser promissores, é fundamental conhecer melhor esse recurso antes de contratá-lo, para garantir que você opere com segurança na bolsa.

Continua após a publicidade

Como muitos ainda se perguntam se o RLP é furada ou é vantajoso, preparamos esse guia especial sobre a ferramenta para você poder fazer uma escolha consciente entre ativá-lo na sua corretora ou não. Acompanhe a leitura!

O que é RLP?

RLP é a sigla em inglês para Retail Liquidity Provider, ou Provedor de Liquidez ao Varejo, em tradução livre. Basicamente, esse serviço possibilita que a própria corretora se torne a contraparte de ordens de compra e venda na Bolsa de Valores, ao contrário das negociações comuns, feitas entre investidores.

Continua após a publicidade

O recurso foi desenvolvido pela própria B3 em 2019, baseado na ferramenta utilizada no mercado norte-americano. Como o nome indica, uma das principais finalidades do RLP é fornecer maior liquidez para o investidor em operações de compra e venda de títulos e valores mobiliários.

Isso é possível por conta da liberdade fornecida às instituições financeiras que operam junto ao investidor. Elas poderão elaborar suas próprias propostas para as ordens de negociação, com base nos melhores preços disponíveis no momento. Assim, ao possibilitar que a agência se torne uma contraparte direta das negociações, o RLP permite que o cliente de varejo possa ter acesso às melhores propostas, com maiores chances de lucro.

Além disso, embora seja um recurso que se popularizou entre corretoras, outras companhias também podem utilizar esse sistema, como bancos de investimento ou bancos múltiplos.

No entanto, a contratação do RLP não é obrigatória, e os investidores podem optar, ou não, por ativar o recurso em suas corretoras.

Continua após a publicidade

Inicialmente, o sistema estava disponível apenas para operações com minicontratos. Entretanto, a partir de 31 de janeiro de 2022, a B3 começou a testar o mecanismo também no mercado de ações.

O que são minicontratos?

Ainda que muitas pessoas associem a bolsa de valores com a negociação de ações, ela também opera com outros tipos de ativos, como os contratos futuros. Basicamente, eles representam um compromisso de compra e venda de determinado produto financeiro, em uma data futura e por um preço definido. Alguns dos mais famosos são os contratos de dólar e índices.

Dessa forma, os minicontratos representam nada mais do que frações desses contratos futuros, que os tornam um pouco mais acessíveis.

Por exemplo, um contrato de Ibovespa, que trabalha com índice, custa R$ 1,00 para cada ponto. Assim, caso a cotação indique 100.000 pontos, o contrato pode ter valor de R$ 100 mil. No entanto, a negociação é feita apenas em lotes-padrão de 5 contratos, o que eleva os custos para R$ 500 mil.

Continua após a publicidade

Com o minicontrato, cada ponto passa a custar R$ 0,20, de modo que a operação se torna mais acessível e fácil de negociar.

Como funciona o RLP?

Durante negociações comuns de compra e venda de ativos na bolsa de valores, o investidor emite uma ordem de operação de acordo com o que deseja adquirir ou vender. Do outro lado, é preciso que exista outro investidor para fechar negócio. No entanto, não existem maneiras de garantir que o preço proposto seja o final.

Enquanto isso, com o RLP ativo, as corretoras também podem disponibilizar suas ofertas ao cliente, seguindo as intenções do investidor. Entretanto, a principal característica é que o acordo deve apresentar o melhor preço disponível no momento da proposta.

Isso garante que o investidor não apenas possa finalizar a operação que deseja, contando sempre com a disponibilidade de compra ou venda, como também tenha acesso ao melhor preço. Dessa forma, a corretora (ou instituição financeira envolvida) também passa a agir como um agente de mercado, e não apenas intermediadora.

Continua após a publicidade

ilustração de negociações com rlp ativo e sem rlp ativo
Ilustração de negociações com RLP ativo e sem RLP ativo.

Outra vantagem dessa ferramenta é proporcionar uma maior liquidez para o mercado e para a Bolsa, uma vez que, em teoria, sempre existirá dois agentes interessados na negociação.

Ainda, um diferencial de ativar o RLP é a possibilidade de realizar a compra e venda de contratos de maneira mais facilitada, sem precisar dividir os lotes para conseguir finalizar uma negociação, por exemplo. Nesse caso, a corretora se compromete a agir como a contraparte, tornando as operações mais acessíveis e, por vezes, vantajosas.

Regras do RLP

Para o Provedor de Liquidez ao Varejo funcionar adequadamente, é necessário cumprir algumas regras determinadas pela B3:

  • o sistema está disponível para minicontratos e um grupo de 20 ações;
  • funciona para negociações feitas por clientes do varejo, ou seja, pessoas físicas que atuam na bolsa;
  • o limite para utilizar o RLP não pode ultrapassar de 15% do volume negociado;
  • o ajuste dos preços deve ser feito automaticamente, ou seja, se o mercado se movimentar, o intermediador deve atualizar a oferta seguindo os mesmos parâmetros;
  • caso a negociação não seja feita, a oferta RLP da corretora é cancelada no final do dia.

Ainda, o investidor deve ter a opção de habilitar (opt-in) ou desabilitar (opt-out) o RLP livremente e a qualquer momento, além de não ser cobrado de nenhuma maneira pelo uso da ferramenta.

Continua após a publicidade

Como funciona o RLP no mercado de ações?

No Ofício Circular 003/2022-VPC a B3 anunciou que, a partir de fevereiro de 2022, começou a implementar o RLP também no mercado de ações. Porém, vale ressaltar que essa condição se aplica, até o momento, apenas para 20 ativos, que foram divididos em 2 grupos:

RLP com spread abertoRLP com spread aberto e fechado
PETR4VALE3
ITUB4BBDC4
ABEV3BBSE3
LEVE3ARZZ3
AGRO3ROMI3
CASH3LWSA3
RDOR3ASAI3
BMOB3MODL11
DASA3BLAU3
APER3FESA4

O spread nada mais é do que a diferença de preços entre compra e venda de um mesmo ativo. Quando essa diferença é maior que R$ 0,01, dizemos que é um spread aberto, já que o fechado limita-se a 1 centavo.

Assim, para que a corretora possa utilizar o RLP nas negociações das ações do primeiro grupo, a diferença dos preços entre comprador e vendedor precisa ser de, pelo menos, R$ 0,02. Já no segundo grupo, não há essa limitação e todas as ordens com diferença de preço podem ser consideradas.

É importante saber que as corretoras precisam ser transparentes em relação às ordens executadas por RLP, mas apenas após o fechamento das negociações. Porém, quem utiliza plataformas gráficas como o Profit, da Nelogica, é possível conferir em tempo real as execuções por RLP, basta utilizar a ferramenta Times and Trades.

Continua após a publicidade

Vantagens e desvantagens do RLP

O RLP se popularizou no Brasil principalmente por conta das vantagens que pode oferecer ao investidor. Por outro lado, o investidor deve se atentar para alguns pontos menos positivos quanto à contratação do RLP. Por isso, se você está considerando contratar esse serviço, é importante conhecer os dois lados:

Vantagens do RLPDesvantagens do RLP
vantagem Maior liquidezdesvantagens Conflito de interesses
vantagem Negociações pelo melhor preçodesvantagens Menor volume de negociações
vantagem Isenção de taxas

Veja cada ponto com mais detalhes a seguir.

Vantagens do RLP ativo

1. Maior liquidez

Como o próprio nome indica, a principal vantagem do RLP é aumentar a liquidez do mercado e para o investidor. Uma vez que as corretoras passam a participar ativamente nas negociações, o agente interessado sempre poderá encontrar ofertas que atendam aos seus interesses.

Inclusive, as instituições podem se posicionar em ambos os lados, como compradoras ou vendedoras. 

Além disso, com a elevação da liquidez, a bolsa de valores também recebe uma movimentação positiva, aquecendo as operações.

2. Negociações pelo melhor preço

A segunda principal vantagem do RLP são as negociações pelo melhor preço ao investidor. Isso porque as ofertas feitas pelas corretoras sempre devem cobrir os principais valores do book de ofertas, mesmo com as movimentações do mercado.

Continua após a publicidade

Outra vantagem para as negociações é a disponibilidade de acordo, uma vez que as corretoras poderão cobrir as ofertas e realizar a compra ou venda dos minicontratos.

3. Isenção de corretagem e outros serviços

Muitas corretoras estão zerando os custos de corretagem caso o investidor realize suas operações pelo RLP. Com isso, é possível obter descontos nas taxas de administração ou comissão, um benefício interessante para os clientes da instituição.

Além da corretagem, também é possível encontrar ofertas em plataformas gráficas que são pagas, ampliando as possibilidades de análise do investidor ou trader.

Desvantagens do RLP ativo

1. Conflito de interesses

Discussões em fóruns e plataformas da internet apontam um possível conflito de interesses quanto à atuação direta da corretora nas negociações. Isso porque a instituição, como intermediadora e, muitas vezes, como consultora do investidor, pode realizar indicações para determinadas operações que possam ser vantajosas à ela.

Continua após a publicidade

Ao mesmo tempo, a corretora também estaria negociando contra seus clientes e suas próprias recomendações, causando um conflito de interesses para a organização e para o investidor.

2. Redução no volume de negociações

Enquanto isso, o RLP também promove uma mudança no fluxo de ordens que partem de clientes do varejo. Essa mudança pode causar insegurança nos demais investidores, e, com isso, diminuir o volume de negociações, por conta da intervenção das corretoras.

Afinal, vale a pena ativar o RLP?

Muito se discute de o RLP é bom ou ruim, especialmente porque o mecanismo gera ganhos para a corretora, que consegue comprar o ativo por um preço menor e vendê-lo ao investidor nas ordens à mercado, ficando com o lucro do spread, apesar de não ser um ganho garantido (já que o mercado pode variar bastante).

A princípio, o RLP modifica as operações de minicontratos e o grupo de 20 ações, apenas. Nesse caso, é interessante que apenas os investidores que atuam nesse segmento avaliem se o sistema vale a pena. Assim, os traders que estão considerando ativar esse recurso podem realizar um período de teste, para tirar suas próprias conclusões, ou analisar a opinião de outros traders que já utilizam a ferramenta.

Continua após a publicidade

De forma geral, o recurso pode oferecer diversas vantagens para o investidor, como isenção na corretagem e plataformas gratuitas de operação. No entanto, uma vez que o RLP não oferece influência em outros segmentos, é importante analisar o custo-benefício de realizar a contratação. Também é válido fazer testes com a ferramenta ativa e inativa, a fim de entender se realmente há alguma diferença prejudicial ou não.

O que esperar do RLP?

Por enquanto, o RLP está ativo apenas para alguns ativos, mas a B3 tem planos de expandir o recurso para outros mercados, para operar de forma semelhante a outras bolsas no exterior. Nesse caso, vale a pena acompanhar o sistema e suas atualizações após o período de teste, para verificar quais serão seus próximos passos no mercado.

Além disso, outros benefícios podem surgir com o tempo, conforme os investidores e as corretoras se familiarizarem com esse sistema, assim como a correção dos pontos menos positivos.

De forma geral, os investidores podem esperar novidades quanto ao RLP, além da possibilidade de testar o sistema na prática, para entender como ele funciona e ter a melhor experiência possível.

Para aprender mais sobre trade e operações de renda variável, dê uma olhada nos artigos a seguir:

Perguntas frequentes

  1. O que é RLP?

    RLP é a sigla em inglês para Retail Liquidity Provider, ou Provedor de Liquidez ao Varejo, em tradução livre. Basicamente, esse serviço possibilita que a própria corretora se torne a contraparte de ordens de compra e venda a mercado na Bolsa de Valores, ao contrário das negociações comuns, feitas entre investidores. Ele é válido para minicontratos de índice e dólar e para um grupo de 20 ações.

  2. Como funciona o RLP?

    Ao contrário das negociações comuns, onde compradores e vendedores são os próprios investidores PF ou PJ, o RLP permite que a corretora de valores seja a contraparte nas ordens de compra e venda. Assim, o investidor consegue executar suas operações pelo melhor preço disponível em ordens a mercado, mesmo que não haja vendedores ou cotas o suficiente do lado oposto.

  3. Vale a pena ativar o RLP?

    Em geral, para os investidores, o RLP pode valer a pena, visto que muitas corretoras oferecem vantagens pela sua ativação. Para os traders, o ideal é fazer testes e entender se o RLP tem impacto significativo nas suas operações.

  4. Quais ações são impactadas pelo RLP?

    Até o momento, o RLP pode funcionar para negociações de apenas 20 ações. São elas: PETR4, ITUB4, ABEV3, VAMO3, AGRO3, CASH3, RDOR3, BMOB3, DASA3 e APER3 com spread aberto; VALE3, BBDC4, BBSE3, ARZZ3, ROMI3, BIDI4, ASAI3, MODL11, BLAU3 e ALLD3 com spread aberto e fechado.

  5. O que são minicontratos?

    Os minicontratos representam um compromisso de compra e venda de determinado produto financeiro, em uma data futura e por um preço definido. Alguns dos mais famosos são os contratos de dólar e índices. São chamados de “mini” pois representam frações de contratos futuros cheios, o que os tornam um pouco mais acessíveis.

Continua após a Publicidade

  1. B3. “Oferta Retail Liquidity Provider (RLP)“. Link.

12 comentários

  1. André Ponce

    excelente matéria. simples e enxuta, de fácil entendimento.

  2. Wanderson

    Obrigado pela disponibilidade e pelo conteudo. Ao pesquisar na internet vemos uma enchurrada de propagandas mas pouca informação ilucidativa, como a que voces inseriram neste artigo. Parabens a Melissa e ao portal.

  3. SUZANE PINHEIRO

    Gratidão, excelente conteúdo. Bem elucidativo. Parabéns a equipe. Esclareceu bastante minhas dúvidas.

  4. Continua após a publicidade

  5. Paloma Menezes

    Gratidão pelo conteúdo! Ótima informação.

  6. Jorge Batista

    Matéria muito educativa, para que é iniciante e para aqueles que ja iniciaram mas tenham duvidas. Agradeço

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.