Para solicitar o recebimento do Auxílio Emergencial, os indivíduos que não possem CadÚnico ou não recebem Bolsa Família podem utilizar o site Auxílio Caixa ou o aplicativo, Caixa Auxílio Emergencial, que está disponível para celulares e tablets do sistemas Android e iOS. O processo de uso de ambas as plataformas é muito simples e intuitivo, para que as solicitações possam ser feitas sem quaisquer problemas.

Devem ser informadas algumas informações para realizar o cadastro tanto no app quanto no site, como nome completo, número do CPF, data de nascimento, nome da mãe, número de celular, para receber um SMS com o código de validação, renda individual, ramo de atividade, cidade e estado onde reside, além de número de uma conta corrente, caso o indivíduo já tenha conta em um banco. Ao se depararem com esta última etapa citada, na qual deve-se inserir as informações referentes à conta corrente, para que o benefício seja pago, muitos indivíduos começam a ter dúvidas. Isto porque cerca de 30 milhões de pessoas, que precisam receber este Auxílio Emergencial, não possuem conta bancária. E, como receber este benefício sem ter uma conta bancária?

Continua após a publicidade:

Mesmo nestas situações, a pessoa não bancarizada não precisa se preocupar, pois é possível receber o Auxílio Emergencial mesmo que não tenha uma conta corrente já existente. Conforme pode ser visto nesta mesma etapa citada, que determina como o auxílio será pago, o indivíduo também pode solicitar a abertura de uma conta digital, do tipo poupança, imediatamente. Ou seja, caso não tenha conta em um banco, uma será aberta para você, na Caixa Econômica Federal. Confira como isto irá ocorrer e saiba como funciona esta conta digital.

Não possuo conta bancária, como receber o auxílio?

De acordo com Pedro Guimarães, presidente da Caixa, existem mais de 30 milhões de brasileiros que não possuem conta bancária. Com isto, segundo pesquisa do Instituto Locomotiva, cerca de R$ 820 bilhões é movimentado com  dinheiro em espécie. Logo, visto esta grande quantidade de pessoas não vinculadas à bancos, inciou-se uma discussão acerca de como o Auxílio Emergencial seria pago à esta parcela da sociedade, uma vez que o objetivo é que não seja preciso que os indivíduos vão até as agências.

Como o principal objetivo é manter o isolamento social, seria muito contraditório liberar os saques nas agências da Caixa, onde ocorreriam grandes aglomerações. Devido à este motivo, e visando também realizar uma inclusão social, o governo resolveu adotar outra estratégia, para que o Auxílio Emergencial seja pago aos indivíduos que não possuem acesso a nenhum tipo de conta. Para estas pessoas, será aberta uma conta digital, do tipo poupança. Assim, o benefício poderá chegar a até mesmo quem não estava inserido no sistema financeiro.

Aplicativo Caixa Tem
Os que não possuem conta bancária terão uma conta digital aberta, que pode ter movimentada pelo app Caixa Tem.

Estas contas não podem possuir a cobrança de tarifa, e devem oferecer aos usuários pelo menos uma transferência eletrônica mensal gratuita, por TED ou DOC, para que o pagamento seja enviado para outras contas. Ou seja, ao todo, terão que ser disponibilizadas três transferências, uma vez que o Auxílio Emergencial será pago por três meses. Esta conta digital irá permitir que os indivíduos façam pagamentos e compras no débito online, além de transferências eletrônicas. Pelo aplicativo, os indivíduos poderão consultar o saldo, extrato, pagar boletos bancários, pagar boletos de água, luz, telefone, fazer transferências, etc.

Porém, ainda não será possível sacar o dinheiro, para evitar aglomerações de pessoas em agências e em lotéricas. E, os indivíduos não terão nem mesmo um cartão físico para que este saque seja feito, uma vez que, inicialmente, o único meio de movimentação será pelo aplicativo Caixa Tem.

De acordo com Paulo Henrique Angelo, vice-presidente da Caixa, para que o calendário de saques seja elaborado, é preciso que a instituição analise onde estão os indivíduos que necessitam realizar o saque. Desta forma, podem elaborar um método seguro para que todos acessem o dinheiro. Enquanto isto, o pagamento será feito, mas o dinheiro pode ser usado apenas para transferências e pagamentos eletrônicos.

Publicidade