Taxa Selic baixa ajuda na recuperação da economia segundo CNI

A CNI emitiu nota afirmando que a taxa Selic baixa ajuda na recuperação da economia. Veja as razões na nota do presidente da entidade.

Amanda Gusmao
Amanda Gusmão

De acordo com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), a taxa Selic baixa ajuda na recuperação da economia e, por isso, deveria continuar nesse patamar em 2021.

A nota da entidade diz que as decisões do Copom ao longo de 2020 foram acertadas.

Continua após a publicidade

Isso contribuiu para controlar o endividamento, barateando o custo do crédito para as empresas.

As informações são da Agência Brasil, publicadas nesta quinta-feira, 10.

Importância da taxa Selic baixa na recuperação da economia

A taxa Selic é o índice que define os juros básicos da economia. Portanto, é uma referência para as taxas de empréstimos, por exemplo.

A taxa básica de juros reduzida, combinada com programas de incentivo para liberação de crédito às pessoas jurídicas, deu fôlego para as indústrias em 2020.

Segundo a CNI, a manutenção da taxa Selic baixa não prejudicaria o controle da inflação, uma das principais preocupações do governo de Jair Bolsonaro.

De acordo com a argumentação do órgão, apesar do impacto da taxa Selic atual no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo em 2020, o IPCA deve terminar o ano dentro do esperado.

Ou seja, o IPCA ficaria por volta dos 4% com tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.

Outros pontos da nota emitida pela CNI

Além disso, a CNI defendeu a reforma administrativa e a preservação do teto de gastos.

De acordo com a nota, tais medidas ajudariam a manter os juros baixos em 2021.

“Uma vez que o Copom (Comitê de Política Monetária) leva em consideração as perspectivas para a política fiscal nas suas decisões, a manutenção da regra de teto dos gastos públicos e o avanço nas discussões em torno da reforma administrativa são imprescindíveis para permitir a manutenção dos juros baixos por um período mais prolongado de tempo”, considera o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade.

Ainda em nota, a CNI apontou que as projeções do IPCA das instituições financeiras para os próximos anos estão baixas, ou seja, 3,75% para 2021 e de 3,50% para 2022.

Dessa forma, esse é mais um argumento para manter a taxa Selic baixa em 2021.

Quer acompanhar outras notícias e desdobramentos sobre a economia brasileira? Então, assine a newsletter do iDinheiro e acompanhe todas as notícias que importam para suas finanças.

Continua após a Publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

    Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.