Delivery pesou no orçamento? Veja 7 dicas de como gastar menos

A comodidade de pedir receber em casa pode ser tentadora, mas pode ser necessário gastar menos com delivery para ter um orçamento mais equilibrado. Veja dicas.

Heloisa Vasconcelos
Heloísa Vasconcelos

A opção de jantar fora foi trocada pelo delivery na pandemia. De acordo com dados do Mobills, os gastos com aplicativos de entrega cresceram 149% em 2020. Mas, apesar da comodidade de receber a comida na porta, pode ser necessário gastar menos com delivery para ter um orçamento mais equilibrado.

Não existe uma quantidade ideal do orçamento que deva ser destinada para esses gastos, já que a necessidade do delivery pode depender muito do estilo de vida de cada pessoa. Quem tem uma rotina mais corrida pode preferir se dar ao luxo de gastar mais para não precisar se preocupar com cozinhar.

Continua após a publicidade

Para além da praticidade de não ter que lavar louça após a refeição, a variedade de alimentos disponíveis é uma vantagem que pode tornar o delivery tentador, mas esses benefícios têm um preço. 

A pesquisa em diferentes aplicativos e restaurantes pode levar a um pedido mais barato, mas quem quer reduzir os gastos pedindo menos delivery ao longo da semana deve ter “organização” como palavra de ordem.

Continua após a publicidade

Confira dicas de educadores financeiros para facilitar o corte de gastos e abrir espaço no orçamento.

7 dicas para gastar menos com delivery

1- Se organize

Não adianta querer gastar menos com delivery na hora que a fome bate. Quem quer recorrer menos aos aplicativos de entrega deve tomar um passo para trás e se organizar.

“Começa lá no mercado. Tenho que me programar para comprar alimentos que a família goste e saibam preparar e também comprar refeições fáceis e práticas de fazer. Aproveitar para curtir o momento de cozinhar em família ou com os amigos, tornar esse momento um lazer”, recomenda o vice-presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), Jhon Wine. 

Para quem tem menos tempo no dia a dia, ele indica tirar o sábado e domingo para planejar as refeições da semana seguinte, com momentos para ir ao supermercado e cozinhar.

Tendo comida em casa as refeições ficam mais rápidas e o delivery não precisa ser uma urgência, podendo ser utilizado apenas em ocasiões pontuais.

Continua após a publicidade

2- Estabeleça metas para gastar menos com delivery

Estabelecer um valor mensal para ser gasto com delivery pode ser uma boa forma de controlar os gastos, principalmente para quem pede de forma cotidiana. O valor ideal deve ser calculado de acordo com a rotina e com os ganhos de cada pessoa ou família.

O importante é calcular qual o valor médio gasto com cada pedido para poder definir quantas vezes o delivery poderá ser utilizado no mês e, assim, dividir os pedidos ao longo das semanas.

Como qualquer mudança de hábito, não é necessário apagar todos os aplicativos e parar de pedir delivery de forma brusca. Com planejamento, é possível continuar pedindo com uma frequência menor e mais saudável para o orçamento.

“Se for uma pessoa sozinha tem que forçar com ela mesma pedir menos. Se for uma família, tem que conversar para mudar a realidade”, afirma Jhon.

Continua após a publicidade

3- Preciso? Posso? Devo?

Como em qualquer compra, o pedido de delivery deve seguir três perguntas: preciso? posso? devo?

“Se eu não preciso, estou gastando desnecessariamente. Se eu preciso, mas eu não posso, eu estou me endividando. Se eu posso, mas eu não preciso, eu não deveria comprar”, resume o economista e pesquisador de finanças comportamentais Érico Veras Marques.

Mesmo sem necessidade, o delivery pode entrar no orçamento para momentos de lazer, desde que esteja dentro do planejamento. 

4- Pesquise em diferentes meios para gastar menos com delivery

Os preços de um mesmo prato podem variar bastante entre restaurantes e mesmo dentro de um mesmo restaurante, mas em plataformas diferentes. Em alguns casos, o restaurante possui um site ou aplicativo próprio para pedidos e os preços costumam ser mais baratos, já que não é colocada a comissão dos aplicativos de delivery.

Pode valer a pena apostar em restaurantes já conhecidos e próximos à residência, que costumam ter também taxa de entrega grátis ou, pelo menos, mais barata. Quem é cliente constante pode aproveitar descontos de programas de fidelidade em algumas lojas.

O momento da pesquisa também pode ser útil para encontrar promoções ou cupons que podem deixar o pedido ainda mais barato. 

Continua após a publicidade

5- Utilize a opção de take-away

Na hora da pesquisa, uma estratégia é filtrar os restaurantes por entrega grátis para não ter que pagar a mais. Ou, no caso de restaurantes que sejam perto da residência, pode valer a pena ir buscar o pedido para economizar na entrega.

Essa opção vale a pena quando a distância é curta e pode ser percorrida a pé ou rapidamente de carro. Com o preço da gasolina, pode não compensar buscar o pedido em restaurantes mais distantes.

6- Não seja refém das promoções

Os aplicativos de delivery enviam notificações o dia inteiro prometendo cupons e promoções inéditas. Uma coisa é ter uma compra já planejada e aproveitar descontos, outra coisa é comprar algo porque existe um desconto, sem considerar a necessidade.

A compra por impulso pode acabar sendo, inclusive, desvantajosa. De que vale comprar duas pizzas em promoção se você mora sozinho e não vai conseguir comer tudo?

Continua após a publicidade

“Procurar os cupons é ótimo, mas não posso me tornar refém disso. Às vezes é o barato sai caro”, ressalta Jhon.

7- Foco nos sonhos

A economia só consegue ser feita de forma constante se houver uma contrapartida. A família deve ter em mente finalidades claras para o dinheiro que está sendo economizado. “Tem que ter a contrapartida, porque senão fica um sofrimento.  O que eu estou fazendo com aquilo que eu estou economizando? Preciso ter motivo para ter aquela perseverança”, chama atenção o educador financeiro.

“A gente tem que sair um pouco da acomodação para conseguir economizar. O que vai me fazer e o que vai fazer minha família entender que isso é importante? São os propósitos, os sonhos maiores que a gente tem. Se vou gastar só com delivery, e a viagem no fim do ano? E o carro que quero comprar?”, questiona.

Ele indica a família ter um controle dos gastos de perto, anotando sempre o que foi economizado para que o sonho fique cada vez mais perto.

Quer continuar acompanhando conteúdos que te ajudam a lidar melhor com seu dinheiro? Então, não deixe de assinar a newsletter do iDinheiro e ativar as notificações push. Se inscreva, também, no nosso canal do Telegram para receber todas as novidades.

Continua após a publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.