Banco Central propõe regras para criação de PIX saque e troco

O Banco Central prevê que os consumidores poderão utilizar o PIX saque e troco já no segundo semestre de 2021. Entenda como funcionará.

Isabella Proença
Isabella Proença

Nesta segunda-feira, 10, o Banco Central colocou em consulta pública a proposta de regras para criação do PIX saque e troco, que consiste no saque e recebimento de troco no PIX, sistema de pagamentos instantâneos.

A previsão é que os novos recursos estejam disponíveis para os consumidores já no segundo semestre de 2021.

Continua após a publicidade

PIX saque e troco

Segundo o Banco Central, os dois serviços permitirão a retirada de dinheiro em espécie. No entanto, o PIX troco será atrelado a uma prestação de serviço ou compra, e o PIX Saque será uma transação somente de saque.

No primeiro caso, quando o cliente realizar uma compra, ele poderá passar um valor maior do que o do produto para receber a diferença em dinheiro.

Entenda a proposta

A proposta é que os usuários tenham quatro saques gratuitos mensais, seja por meio do PIX saque ou do PIX troco. A partir da quinta operação, as instituições de pagamento ou financeiras poderão cobrar uma taxa pela transação, que será descontada diretamente na conta do usuário.

Somente a instituição poderá impor a tarifa e quem sacar o dinheiro não poderá ser cobrado no ato do saque pelo estabelecimento que efetuar a transação.

O Banco Central também definirá o valor máximo que o usuário poderá sacar diariamente, que, a princípio, está limitado a R$ 500.

“Respeitado esse limite máximo, as instituições participantes do PIX e os agentes de saque definirão em contrato bilateral as condições para a prestação do serviço. Ou seja, os estabelecimentos comerciais e demais agentes de saque terão liberdade de definir se querem ofertar apenas PIX Saque, apenas PIX Troco ou ambos; os dias e períodos que pretendem disponibilizar o serviço; informações sobre os valores (exemplo, apenas múltiplos de R$ 10), entre outros”, explicou o banco, em nota.

Quem poderá utilizar os serviços?

Para utilizar os serviços de PIX saque e troco, o consumidor fará um pagamento via PIX por meio da leitura de um QR Code. A principal diferença será que, em vez de receber um produto ou serviço, ele receberá o valor correspondente em mãos.

Todos os usuários que tiveram conta em alguma das instituições que participam do PIX estarão autorizados a utilizar os novos recursos.

Além disso, as regras propostas serão submetidas a sugestões do mercado e da sociedade até o dia 9 de junho, em consulta pública.

“As duas inovações trarão mais conveniência aos usuários, ampliando a capilaridade do serviço de saque e o aumento da competição ao proporcionar melhores condições de oferta e de precificação dos serviços de saques, principalmente pelas instituições digitais e todas as demais instituições que não contam com rede própria de agências ou de ATMs [caixa eletrônico]”, defendeu o Banco Central.

Esta matéria foi útil? Então assine a newsletter do iDinheiro e mantenha-se informado sobre tudo o que importa para o seu dinheiro.

Continua após a Publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.