Investimentos

IPO: o que é e como investir nesta modalidade?

Amanda Gusmão
Amanda Gusmão
Homem faz análises para investir em um IPO
O IPO é uma oportunidade para compra de ações de empresas que estão abrindo o capital na Bolsa de Valores. Saiba como investir.

IPO: o que é e como investir nesta modalidade?

 

Initial Public Offering (ou IPO) é o termo usado para nomear a estreia de uma empresa vendendo suas ações na Bolsa de Valores.

No Brasil, também chamamos de Oferta Pública de Ações e, apesar do termo ganhado atenção mais recentemente com os IPO de startups famosas, esse processo já é um velho conhecido dos investidores experientes.

Continua após a publicidade

Se você está procurando informações sobre ele, provavelmente busca investimentos mais lucrativos, certo? Mas, será que ele é a opção certa para você?

E, quanto aos riscos do investimento, são muito altos? Não seria melhor aplicar seus recursos em um Venture Capital?

Continua após a publicidade

Vamos concordar, são muitas dúvidas, conceitos e decisões que podem mudar completamente sua estratégia de investimentos.

Por isso, criamos um conteúdo completo e objetivo com tudo que você precisa saber sobre IPO. Neste post, portanto, você vai entender:

  • O que é IPO?
  • Por que empresas fazem IPO?
  • Vantagens de abrir capital na Bolsa de Valores em um IPO
  • Quais os requisitos para um IPO?
  • Vantagens e desvantagens para os investidores
  • Tipos de ofertas em um IPO
  • Como investir em um IPO?
  • Principais IPOs da B3
  • Vale a pena investir em IPOs?

Então, vamos juntos?

O que é IPO?

IPO é o mesmo que Initial Public Offering, ou, a oferta pública inicial de ações de uma empresa na Bolsa de Valores, abrindo seu capital para outros investidores.

Ou seja, a empresa tinha seu capital fechado (Limitada), com divisão societária definida por contrato social, mas, a partir dessa oferta, torna-se uma Sociedade Anônima de Capital Aberto.

Continua após a publicidade

Essa mudança tem várias implicações contábeis, mas, também financeira. Então, vamos entender os motivos que levam uma empresa a fazer um IPO na Bolsa de Valores.

Porque empresas fazem IPOs?

Como explicaremos ainda neste post, o processo para abertura de capital na Bolsa de Valores não é simples, exige uma série de documentos, contratação de consultorias, dentre outros.

Portanto, a empresa que decide fazer um IPO precisa ter certeza que essa é a decisão mais acertada para o momento, certo?

Então, vejamos em quais situações o IPO pode ser uma boa escolha e porque as empresas decidem fazê-lo.

Continua após a publicidade

Mudança na participação societária

Para empresas S.A. de capital fechado, o IPO é o caminho para que um acionista venda suas ações para outro.

Essa movimentação também é comum em empresas familiares de grande porte, ou seja, o IPO é muito utilizado para fazer mudanças que afetam a sucessão patrimonial, por exemplo.

Captação de recursos

Sem dúvidas, esse é o motivo mais comum para a realização dos IPO. Isso porque a captação de recursos com a entrada de novos acionistas permite que a empresa possa expandir suas operações e buscar novos mercados, aumentando também seus ganhos.

Realização de lucros

Muitas empresas, como é o caso das startups, passam os primeiros anos fazendo grandes investimentos, ou recebendo recursos de fundos de Venture Capital.

Continua após a publicidade

Em alguns casos, para que o retorno sobre o investimento seja realizado, as empresas fazem um IPO para realizar o lucro.

Mas, antes de pensar seu dinheiro vai direto para o bolso dos investidores, saiba que antes de realizar um IPO, a empresa deve seguir um cronograma, além do envio de documentos que provam sua saúde financeira, dentre outros.

Ou seja, se uma empresa consegue fazer um IPO, é porque passou em um processo rigoroso de qualidade financeira. Veja a seguir quais são eles.

Quais os requisitos para um IPO?

Para que uma empresa faça seu IPO, precisa atender todos os requisitos que constam na Instrução CVM 361, o que não é uma tarefa simples e, em alguns casos, leva bastante tempo.

Continua após a publicidade

Isso porque a instrução serve como um guia, mas, a qualquer momento, a Comissão de Valores Mobiliários pode requisitar novos documentos e informações sobre a empresa.

Mas, se podemos listar alguns requisitos indispensáveis, eles estariam relacionados a preparação da empresa para abertura de capital, ou seja, bom volume de tecnologia nos processos, ações de governança corporativa e cumprimento dos prazos.

Além disso, também podemos fazer um link entre esses requisitos e o passo a passo para o lançamento do IPO.

Passo a passo para um IPO

O processo de abertura de capital na Bolsa de Valores envolve, principalmente, duas entidades, a Comissão de Valores Mobiliários e a B3, além, é claro, da intermediadora escolhida que será responsável pela oferta.

Continua após a publicidade

Portanto, de forma resumida, podemos listar seu passo a passo com:

  • escolha de um intermediário financeiro (banco, corretora ou distribuidora de valores devidamente habilitada pela CVM) para coordenar a operação;
  • levantamento de toda a documentação necessária da empresa para o IPO, como é o caso da reforma estatutária;
  • contratação de auditoria externa e independente para validação dos documentos e registros contábeis;
  • validação do pedido de IPO na Comissão de Valores Mobiliários;
  • pedido de permissão de entrada na Bolsa de Valores;
  • lançamento do prospecto do IPO;
  • administração das reservas, já que antes da data do IPO, algumas instituições investidoras podem indicar o interesse de compra;
  • realização do IPO.

O dia do IPO, portanto, marca a data em que suas ações são vendidas para o público mas, antes mesmo dele acontecer, elas já podem ser provisionadas para os grandes compradores.

Você deve estar se perguntando: essa oferta prévia também é um IPO ou, tem nome diferente? Vamos explicar a seguir.

Tipos de ofertas em um IPO

O período que antecede o IPO é chamado de prazo de reserva, portanto, faz parte do processo.

Nele, o investidor indica a quantidade de ações gostaria de comprar e, qual o preço máximo estaria disposto a pagar por elas. Também é preciso deixar uma garantia, seja um investimento, seja uma quantia em dinheiro.

Continua após a publicidade

Essas reservas ajudam a formar o chamado bookbuilding, ou, livro de ofertas, que é um documento que ajuda a estimar o valor das ações no IPO.

Primária

A oferta primária de ações de uma empresa é, exatamente, o IPO.

Secundária

Na sequência, as ofertas seguintes são consideradas secundárias, ou, follow-on.

Vale dizer que esses nomes são usados para as ofertas realizadas pela empresa, ou seja, quando os investidores compram e vendem as ações disponíveis no mercado, não se aplicam.

Quais as vantagens de abrir capital na Bolsa de Valores em um IPO?

Considerando os objetivos que fazem uma empresa abrir seu capital na Bolsa de Valores, captar recursos para seu desenvolvimento, dar lucro aos investidores e mudar as participações societárias são vantagens inquestionáveis.

Porém, não são as únicas.

Autoridade da marca

O lançamento de um IPO gera publicidade específica e generalizada da marca, Assim, investidores são apresentados à empresa, conhecem suas finanças e mercado.

Continua após a publicidade

E, em alguns casos, a mídia também acompanha e divulga a abertura de capital, o que pode gerar mais interesse pelas ações e suas atividades comerciais.

Inclusão de políticas de governança

Para fazer um IPO, uma empresa precisa atender rigorosamente aos requisitos da CVM e Bolsa de Valores.

Dentre eles, está a adoção de governança corporativa, suas premissas de transparência nas finanças e combate a corrupção em todas as instâncias.

Esse foco também faz com que a empresa tenha processos e atividades mais controladas, evitando prejuízos que, eventualmente poderiam acontecer na rotina, como em cotações de preços viciadas.

Continua após a publicidade

Além disso, criar uma rotina ou setor de governança abre novas oportunidades de negócios com outras empresas de grande porte que exigem níveis de controle mais elevados em suas licitações. Esse é um padrão muito comum em multinacionais, por exemplo.

Engajamento de talentos

Como citamos, o IPO pode ser utilizado para a mudança da participação dos acionistas e, nesse sentido, esse processo pode ser feito para que ações sejam distribuídas aos talentos profissionais da empresa.

Essa medida contribui para a retenção de talentos, mas, também, aumenta o engajamento dos colaboradores de maneira geral considerando que novos recursos geram oportunidades de crescimento na carreira, não é mesmo?

Custo da captação de recursos

Comparando um IPO e um empréstimo para pessoa jurídica, os custos da primeira opção, ainda que ela seja trabalhosa, costuma ser mais barata do que a solicitação de crédito em uma instituição financeira especializada em B2B.

Continua após a publicidade

Assim, o IPO ou follow-on são opções de captação de recursos com custos mais menores.

Ok, já podemos concordar que a empresa tem alguns ganhos ao fazer um IPO. Mas, e os investidores? Vejamos a seguir.

Quais as vantagens e desvantagens do IPO para os investidores?

Quando o papo é sobre investimentos, a maioria das pessoas concentra seus conhecimentos em opções mais tradicionais.

Dessa forma, uma boa parte deles conhece a poupança, CDB, fundos de investimentos e ações, não é mesmo?

Continua após a publicidade

Porém, o mercado financeiro é bem mais amplo e, mesmo dentro desses investimentos, existem outras possibilidades, como é o caso das ações de IPO.

Então, agora vamos entender quais são suas características, benefícios e desafios para o investidor.

Vantagens

Quando você compra uma ação, torna-se um investidor da empresa e, obviamente, deseja que ela tenha um bom desempenho.

Isso porque quando ela tem lucro, mantém uma boa imagem no mercado, não é envolvida em corrupção ou qualquer coisa desse tipo, suas ações valorizam e, o dinheiro que você investiu, também. Certo?

Seguindo essa lógica, podemos lembrar que, para ser lançada em um IPO, a empresa teve que atender uma série de requisitos sobre sua saúde financeira e governança.

Continua após a publicidade

Ou seja, uma das vantagens em investir no IPO é que seu nível de confiança na empresa pode aumentar se considerando que ela foi analisada e aprovada pelos órgãos fiscalizadores, certo?

Outra vantagem é que, no momento da reserva de ações, você define o valor máximo que deseja investir por ação.

É claro que existe um valor mínimo aceitável, as chances de comprar ações em um IPO mais baratas é maior.

Por fim, se o perfil do investidor é arrojado e ele fica confortável em investir em investimentos de renda variável, ações de IPO são mais uma das opções de diversificação que ele pode utilizar para sua estratégia. 

Continua após a publicidade

Agora vamos as desvantagens, ou melhor, desafios.

Desvantagens

Existe uma falsa percepção de que ações ofertadas em um IPO são mais baratas e menos disputadas.

Mas, na verdade, existem muitos fundos de investimentos em ações e grandes investidores que são especializados nesse tipo de ação e, portanto, fazem grandes reservas de lotes antes do IPO.

Essa estratégia pode, tanto, acabar com o lote de ações a ser ofertado, como também, criar uma movimentação artificial na cotação do valor dos ativos.

Portanto, é válido observar o interesse de grandes investidores mas, assim como você, eles também estão executando suas estratégias.

Continua após a publicidade

Essas estratégias, muitas vezes, podem significar um movimento chamado flip. Basicamente, os investidores compram uma boa quantidade das ações com preços menores do IPO e, assim que elas começam a ser negociadas na Bolsa de Valores, eles rapidamente vendem para lucrar no curtíssimo prazo.

Alguns IPO, inclusive, criam regras que inibem essa prática, mas a verdade é que, assim como elas, as estratégias de grandes investidores podem afetar na cotação das ações e, portanto, nos investimentos de todos.

Vale lembrar que assim como as demais, ações ofertadas em um IPO também são investimentos de renda variável.

Ainda assim, com um bom acompanhamento do mercado, é possível escolher e fazer bons investimentos, especialmente se a estratégia for de longo prazo. 

Continua após a publicidade

Como investir em um IPO?

Analisou todas as questões que envolvem o investimento em um IPO, e decidiu seguir em frente? Então, é preciso se preparar para as próximas ofertas.

Acompanhe as próximas Ofertas Públicas de Ações

O primeiro passo é acompanhar o mercado financeiro e descobrir quais são os próximos IPO na Bolsa de Valores.

Com essa informação, o investidor vai estudar o mercado da empresa que vai abrir seu capital.

Vale buscar informações sobre possibilidades de expansão do mercado, se ela está aumentando a equipe de funcionários, se está sendo investigada por alguma inconsistência contábil, ou se tem um histórico de parcerias com outras empresas duvidosas.

Continua após a publicidade

Ao comprar a ação de uma empresa, você está injetando dinheiro para que ela se mantenha e cresça.

Percebe como essa decisão também envolve questões éticas? Se você não concorda com o nicho que ela explora ou as práticas que utiliza, o investimento pode não ser uma boa ideia.

As questões da sustentabilidade e o posicionamento favorável à diversidade dentro das empresas são temas muito importantes, inclusive na Bolsa de Valores.

Por isso os ativos ESG estão ganhando força no mercado de ações. A sigla significa Environmental, Social and Corporate Governance.

Continua após a publicidade

Essa sigla e é usada para identificar empresas que têm políticas ambientais, de equidade, combate à corrupção, dentre outras, presentes em sua cultura e estratégias.

Portanto, é possível escolher seus investimentos também em acordo com seus princípios, certo?

Abra uma conta na corretora de valores responsável pelo IPO

Como explicamos no início desse conteúdo, a empresa que vai fazer um IPO precisa escolher uma instituição financeira para ser a intermediadora.

Dessa forma, o investidor precisa abrir uma conta nessa instituição para participar do IPO e fazer suas reservas.

Vale lembrar que as intermediadoras não podem recomendar ou orientar o investimento em um IPO que ela esteja operacionalizando, mas, pode fazer um comunicado a todos os seus clientes sobre seu lançamento.

Continua após a publicidade

Outro ponto importante é que na reserva de ações do IPO, a instituição financeira não cobra a taxa de corretagem, o que é um incentivo.

Avalie sua capacidade de investimento no IPO

Antes do prazo de reserva de ações, avalie sua carteira de investimentos e o quanto pode investir nas ações.

Isso é uma análise que envolve tanto a consulta da disponibilidade de recursos para investimentos, como também, como essa aquisição vai afetar a composição da sua carteira.

Mesmo um investidor com perfil mais arrojado deve ter uma carteira de investimentos diversificada.

Ou seja, não é recomendado ter ativos concentrados em apenas uma modalidade de investimento, como é o caso das ações.

Continua após a publicidade

Execute sua estratégia

Não se engane, um IPO pode ser bem concorrido, principalmente por investidores que desejam fazer flip. Por isso, se você deseja comprar ações de uma empresa, atente-se para os prazos e realize suas aquisições. 

Principais IPOs da B3

O número de IPO na B3, a Bolsa de Valores em atividade no Brasil, cresceu muito nos últimos anos.

O ano de 2007, por exemplo, tivemos um boom de IPO na bolsa brasileira com 64 empresas abrindo o capital para a entrada de novos acionistas.

De lá para cá, o número de ofertas públicas primárias e secundárias acompanharam as oscilações do mercado, mas, ainda assim, levantaram cada vez mais recursos para as empresas iniciantes.

Continua após a publicidade

Em 2020, mesmo com a pandemia, 37 bilhões de reais já foram captados nos IPOs da B3. Entre eles, por exemplo, está a oferta pública inicial da Petzs, uma rede de petshop que captou sozinha, 3 bilhões de reais.

Até o momento, ela é o maior IPO de 2020, mas, como outros IPOs estão no radar e a CVM ainda analisa outras candidatas à abertura de capital, esse número ainda pode ser superado, não é mesmo? Acredite, isso não é incomum.

IPOs históricos da B3

Para entender como os IPO estão, cada vez mais, atraindo investidores, listamos as aberturas de capitais históricas na B3.São elas:

  • Santander em 2009 –  mais de 13 bilhões de reais;
  • BB seguridade em 2013 – mais de 11 bilhões de reais;
  • Visanet (Cielo) em 2009 – mais de 8 bilhões de reais;
  • OGX em 2008 – quase 7 bilhões de reais;
  • Bovespa em 2007 – mais de 6 bilhões de reais;
  • BR Distribuidora em 2017 – pouco mais de 5 bilhões de reais.

Como você pode perceber, os IPO não acontecem apenas com empresas desconhecidas, o que é um pensamento de muitos investidores. Muitas grandes empresas e grupos também recorrem aos IPOs para alavancar recursos.

Continua após a publicidade

IPOs de 2020

Entre os IPOs que já aconteceram e vão acontecer em 2020, temos:

  • Quero-quero;
  • Pague Menos;
  • Pernambucanas;
  • Track&Field;
  • Kalunga;
  • CSD;
  • Enjoei.

Com o passar dos anos, é possível perceber a chegada das startups à B3 com mais força, não é mesmo?

Mas, isso também é um fator importante, afinal de contas, elas são estruturadas de forma enxuta e escaláveis, ou seja, tem potencial de rápido crescimento.

A maioria delas, quando chega ao IPO, foram aceleradas, mentoradas ou tiveram investimentos de fundos de Venture Capital, o que também é um indicador de saúde e potencial de crescimento já que, mesmo com menos experiência de mercado, foram orientadas pelos melhores profissionais do setor.

Por isso, IPO de startups costumam ser disputadas, afinal de contas, se elas são escaláveis, ao injetar recursos financeiros, a tendência é que ela faça isso de forma rápida e constante, não é mesmo?

Continua após a publicidade

Conclusão: vale a pena investir em IPOs?

Como em todos os tipos de investimentos, a resposta para essa pergunta é “depende”. Existem muitos fatores que podem influenciar essa estratégia e o quanto ela é válida, ou não.

Uma delas, por exemplo, é o perfil do investidor. Se ele é conservador, investir em um IPO pode não ser interessante.

Mesmo que ele tenha que ter uma porcentagem de sua carteira diversificada em renda variável, o ideal é que ele opte por ações ou fundos mais consolidados.

O IPO, por não ter um histórico, pode ser ainda mais desafiador para o investidor.

Continua após a publicidade

Outro ponto que citamos é a questão da afinidade com a empresa. Nesse ponto, por mais que o objetivo de investir seja obter lucro, se não houver simpatia com o propósito do negócio, não vale a pena investir no IPO.

E, se podemos complementar, todo investimento envolve riscos. Com as ações de um IPO, não é diferente.

Com tudo isso posto, também precisamos concordar que é uma grande oportunidade para ganhos maiores. Ou seja, é preciso analisar os prós e contras de acordo com a sua realidade, objetivos e, colocar sua estratégia em prática.

Agora, se você colocou um IPO no seu radar e decidiu investir, é hora de buscar todas as informações possíveis sobre a empresa e seu mercado. Esse acompanhamento vai ajudar na hora de analisar o prospecto do IPO.

Por isso, assine a newsletter do iDinheiro e deixe que nosso portal traga as informações sobre o mercado financeiro e tudo mais que importa para seu dinheiro.

Publicidade

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

    Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *