Juros simples: entenda a importância desse cálculo e como ele afeta no seu cotidiano financeiro!

Saber como calcular juros simples é fundamental para o dia a dia. Por isso, entenda qual a importância dele e onde pode ser aplicado na prática

Amanda Gusmao
Amanda Gusmão

Juros simples: entenda a importância desse cálculo e como ele afeta no seu cotidiano financeiro!

O juros simples está presente em diversas situações do dia a dia. Por isso, é de extrema importância compreender esse conceito.

Continua após a publicidade

Desde operações financeiras, até compras no cartão de crédito, é possível encontrar a aplicação dessa taxa.

Mas, é claro, não em todas já que os juros compostos são os mais utilizados nesses produtos financeiros! Sendo assim, entender como esse cálculo funciona é determinante para avaliar cada operação, cobrança e, claro, suas próximas estratégias econômicas.

Continua após a publicidade

Por isso, o iDinheiro preparou um artigo completo sobre esse assunto, como calcular sua taxa e as principais diferenças para os juros compostos.

O que são juros simples?

Essa conta representa uma porcentagem aplicada a um valor inicial por determinado período de tempo.

Esta taxa incide sobre o capital mensalmente. No entanto, sua principal característica é que o valor de referência para os juros não se altera.

Ou seja, todos os meses a porcentagem será a mesma já que os juros incidirão sobre o valor inicial (no caso do juros compostos, ele incide sobre o montante do período anterior após a cobrança de juros gradualmente).

Continua após a publicidade

A princípio, o juros simples fazia parte do grupo de operações matemáticas básicas, ensinado junto de outros cálculos, como multiplicação e divisão.

Mas, atualmente, fica restrito a cursos mais avançados e direcionados para a matemática financeira. Vale lembrar que ele pode ser usado em diversos tipos de transações financeiras, especialmente as que estão relacionadas à parcelamentos.

A taxa de juros deve ser informada pelo credor ainda durante a negociação e por isso, se torna mais simples de calcular o montante final com essa aplicação.

Aplicação dos juros simples ou composto na prática

Na prática, podemos observar os juros simples nas mais variadas aplicações financeiras.

Apesar do juros composto ser mais utilizado atualmente, é possível entender essa operação de forma descomplicada observando transações que envolvam dinheiro ou crédito.

Continua após a publicidade

Algumas das mais conhecidas são:

Além disso, também podem aparecer em produtos de investimentos e poupança. Nesse caso, o valor da porcentagem é somado na forma de rendimentos.

Em resumo, todo tipo de operação que envolva um valor de acréscimo no final do período apresenta uma conta como essa, podendo ser classificada como simples ou composto.

Para fazer o cálculo, você inclusive pode utilizar algumas das nossas calculadoras.

Qual é a diferença entre juros simples e juros composto?

Muitas pessoas podem confundir os conceitos de juros simples e juros composto. É normal ter essa dúvida, uma vez que as operações são parecidas.

A princípio, o juros simples, como seu nome indica, possui cálculos menos complicados. Por outro lado, o juros composto possui elementos mais complexos em sua conta.

Continua após a publicidade

Além disso, uma das principais diferenças entre eles é sua estabilidade.

Os juros simples não apresentam alteração no valor de referência onde eles serão aplicados. Dessa forma, a incidência será sempre sobre o valor inicial, aumentando apenas a soma do próprio resultado.

Enquanto isso, os juros compostos é sempre calculado sobre o valor inicial com acréscimo dos juros anterior. Inclusive, muitas pessoas conhecem ele como “juros sobre juros”.

De forma prática, o simples incide somente sobre o valor inicial, e o composto sobre o último valor.

Entenda na prática

Por exemplo, suponha que uma operação de empréstimo de R$ 300 possui juros de 10% ao mês, feito em 3 parcelas.

Continua após a publicidade

Nos juros simples, o valor a ser pago no final do empréstimo será de R$ 300, mais 10% sobre cada parcela de R$ 100, durante 3 meses, o que corresponde a 30% do valor, ou seja, R$ 330.

  • Parcela 1: R$ 100 (principal) + R$ 10 (juros) = R$ 110,00;
  • Parcela 2: R$ 100 (principal) + R$ 10 (juros) = R$ 110,00;
  • Última parcela: R$ 100 (principal) + R$ 10 (juros) = R$ 110,00.

Totalizando R$ 330,00

No entanto, com os juros compostos, o cálculo da porcentagem é sempre feito sobre o último valor. Assim, no mesmo exemplos, temos:

  • Primeira parcela: R$ 100 (principal) + R$ 10 (juros) = R$ 110;
  • Parcela 2: R$ 100 (principal) + R$ 21 (juros calculado no valor final do mês anterior, ou seja, R$ 110) = R$ 121;
  • Parcela 3: R$ 100 (principal) + R$ 33,10 (juros calculado sobre o valor final do mês anterior, ou seja, R$ 121) = R$ 133,10.

Totalizando R$ 364,10

Os juros compostos são os mais utilizados pelas instituições financeiras e cooperativas de crédito.

Isso porque o montante final apresenta um valor muito maior que a taxa simples.

Fórmula de juros simples e composto

Na matemática, ambos os juros possuem uma fórmula específica que facilita o cálculo.

Juros simples

Para juros simples, a equação é: J = C. i. t.

Onde J = juros, C = capital, i = taxa de juros e t = período de tempo. O período de tempo também pode aparecer visualmente como n.

Na prática, considere o exemplo de um empréstimo de R$1 mil com juros de 10% ao mês, por 3 meses.

Continua após a publicidade

Aplicando na fórmula, seria possível calcular:

J = C.i.t

Juros = 1.000 reais x 10% ao mês x 3 meses

J = 1.000 x 0,1 x 3

Juros = 100 x 3

J = 300

Depois de encontrar o valor total dos juros, é preciso aplicar a fórmula M = J + C.

Sendo M = montante, J = juros e C = capital.

Assim, M = 300 + 1.000 = 1.300. O valor total do empréstimo seria de R$1.300.

Juros composto

Por outro lado, a fórmula do juros composto também é mais complexa.

M = C (1+i)^t

Onde, M = montante, C = capital, i = taxa e t = período de tempo.

Nesta fórmula, é preciso multiplicar o capital inicial pela taxa somada a 1, e elevar o resultado ao período de tempo.

Continua após a publicidade

Considerando o exemplo anterior. O capital é de R$1 mil, com taxa de juros de 10% e 3 meses.

M = 1.000 reais x (1 + 10% ao mês) elevado a 3 meses

Montante = 1.000 x (1 + 0,1) ^ 3

M = 1.000 x [(1 + 0,1) x (1 + 0,1) + (1 x 0,1)]

Montante = 1.000 x [1,331]

M = 1.331

Assim, o valor final do empréstimo será de R$1.331.

Para calcular juros composto, é preciso utilizar outros conceitos matemáticos, como multiplicação e propriedades distributivas. Por isso, é uma fórmula mais complexa de ser calculada.

Como realizar o cálculo?

Como demonstramos acima, é possível calcular os juros simples a partir do conceito e da aplicação prática da fórmula.

Continua após a publicidade

De ambas as formas, é preciso seguir algumas etapas, para encontrar o montante correto.

Por exemplo, o valor dos juros é sempre informado em porcentagem. No entanto, é preciso fazer a conversão para a forma decimal antes de multiplicar na fórmula.

Além disso, é preciso atentar-se para a medida do período de tempo. Se o período da operação estiver em meses, a taxa de juros também precisa ser convertida em meses.

Posteriormente, basta analisar todos os dados e incluir na fórmula, para calcular a taxa, e somar ao capital inicial.

Um capital aplicado a juros simples durante 2 anos rende quanto?

Para compreender o assunto na prática, vamos analisar um exemplo com essa operação.

Imagine um capital aplicado em forma de investimento. Nesse caso, a porcentagem será convertida em rendimentos.

Continua após a publicidade

O capital possui taxa simples pelo período de 2 anos, e queremos descobrir quanto será o rendimento.

Considere que o valor inicial é de R$2 mil, em uma investimento com rendimento de 8,5% ao ano.

Então, aplicando na fórmula, temos:

Juros = C.i.t

J = 2.000 reais x 8,5% x 2 anos

Primeiro, é preciso transformar a taxa de porcentagem em sua forma decimal. Para isso, basta dividir o número por 10. Neste caso, 8,5% equivale a 0,85.

Em seguida, basta realizar toda a operação:

J = 2.000 x 0,85 x 2

J = 3.400

Assim, o valor total é de R$3.400 em dois anos. Para descobrir o montante final, podemos utilizar a fórmula:

Continua após a publicidade

M = C + J

Montante = 2.000 + 3.400

M = 5.400.

Logo, o valor do investimento será de R$5.400 no final de 2 anos.

É importante lembrar que o valor fornecido foi feito com base ao ano. Por isso, o cálculo é realizado precisa ser feito ao ano.

Qual é a importância de entender o conceito do cálculo?

Entender e aplicar corretamente os conceitos dos tipos de juros é essencial para o dia a dia.

Afinal, estamos constantemente lidando com aplicações financeiras que contam com essas taxas. 

Saber como é realizado o cálculo traz maior autonomia, por exemplo, para escolher:

  • Os melhores serviços bancários;
  • Os investimentos mais rentáveis;
  • As formas de empréstimo mais em conta;
  • O número de parcelas de uma compra.

Por isso, é importante compreender como essas operações funcionam e qual o impacto que representam nas operações cotidianas e, principalmente, no bolso.

Por que aprender sobre esse tema?

O juros simples é um dos cálculos mais básicos na matemática, ensinado com outras operações ainda no ensino fundamental.

Continua após a publicidade

No entanto, é importante conhecer a aplicação desse conceito na prática. Principalmente quando envolve finanças.

Saber como fazer essa conta pode te ajuda a entender quais as melhores opções quando o assunto são empréstimos ou investimentos, não é mesmo?

Porém, o conhecimento não para por aí. Se você já contratou ou cotou um empréstimo, deve ter reparado que as parcelas têm o mesmo valor apesar de serem calculadas com juros compostos.

Sabe porque isso acontece? Porque as instituições usam a tabela PRICE e SAC para fazer o abatimento do empréstimo que, em termos financeiros, é chamado de amortização.

Leia mais sobre a tabela SAC e PRICE para aprofundar seu conhecimento e assine a newsletter do iDinheiro para receber nossas dicas e notícias.

Continua após a Publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.