Saiba quem ainda pode sacar o abono do PIS-Pasep em 2021

O trabalhador que tinha direito de sacar o abono do PIS-Pasep referente a 2019 e não o fez tem até o dia 30 de junho para retirar o dinheiro.

Isabella Proença
Isabella Proença

O trabalhador que tinha o direito de sacar o abono do PIS-Pasep referente a 2019 deve ficar atento. O prazo para sacar o benefício, que varia de R$ 92 a R$ 1.100, termina no dia 30 de junho.

O pagamento começou em julho de 2020 e terminou no dia 11 de fevereiro de 2021, mas quem ainda não retirou o dinheiro deve se atentar ao prazo. Após o dia 30 de junho, os recursos voltam automaticamente para a conta do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT).

Continua após a publicidade

O cálculo estimado é que mais de 1 milhão de pessoas deixaram de sacar o abono salarial de 2019, de acordo com o IG. Deste total de pessoas, 887 mil recebem o PIS pela Caixa Econômica Federal — o que soma uma quantia de aproximadamente R$ 626 milhões.

Ademais, cerca de 208 mil pessoas não sacaram o abono do Pasep — pago pelo Banco do Brasil a servidores, funcionários de empresas públicas e militares —, representando uma quantia de R$ 96 milhões. E outros 367 mil trabalhadores não retiraram o dinheiro referente a 2018, o que representa um saldo de R$ 295 milhões.

Os demais trabalhadores, que querem recolher o abono salarial referente a 2020, não terão acesso ao recurso ainda em 2021. A Controladoria-Geral da União (CGU) estipulou que trabalhadores que deveriam receber o abono salarial referente a 2020 a partir do 2º semestre, só receberão o dinheiro no ano que vem.

Quem tem direito a sacar o abono do PIS-Pasep?

Tem direito ao abono o trabalhador que possui carteira assinada e ganha até 2 salários mínimos. Além disso, é preciso estar há pelo menos 5 anos inscrito no PIS-Pasep e tenha trabalhado no ano-base pelo menos 1 mês.

O valor do benefício varia de acordo com os meses em que o beneficiário trabalhou. Ele pode chegar ao teto de 1 salário mínimo — que hoje é de R$ 1.100 — para quem trabalhou os 12 meses do ano-base.

Nos anos anteriores, o calendário de pagamento do abono salarial começava no 2º semestre de cada ano e terminava no 1º semestre do ano seguinte. Os pagamentos seguiam a ordem do mês de nascimento do trabalhador, no caso do PIS, e a ordem do dígito final da inscrição no caso do Pasep.

Agora, o governo só começará a pagar os valores no 1º semestre do exercício fiscal seguinte. De acordo com a Secretaria de Trabalho do Ministério da Economia, a modificação foi inevitável para evitar que as regras contábeis e financeiras não fossem cumpridas, o que impediria que as despesas fossem divididas em 2 anos.

Segundo o órgão, a medida não teve nenhum tipo de objetivo fiscal. Porém, o adiamento representará uma economia de R$ 7,45 bilhões neste ano para as contas do governo.

Esta matéria foi útil? Então, assine a newsletter do iDinheiro e receba nossas atualizações no seu e-mail.

Continua após a Publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔

28 comentários

  1. leidicleiademouraferreira@gmail.com

    Bom dia!
    Sempre recebi o PIS desde 2005, a partir de 2013 passei a receber o PASEP, recebia sempre em fevereiro. Porém esse ano no dia 05 de fevereiro tive a informação que minha RAIS não havia sido declarada,e não recebi o abono dia 11 de fevereiro. Caso seja declarada eu ainda posso receber ainda nesse primeiro semestre? Ou só em 2022?

  2. Toni Carlos

    O governo tirou nosso direito esse ano de receber o pis !! Ninguem vai fazer nada ??

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

    Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.