Saiba quem ainda pode sacar o abono do PIS-Pasep em 2021

O trabalhador que tinha direito de sacar o abono do PIS-Pasep referente a 2019 e não o fez tem até o dia 30 de junho para retirar o dinheiro.

Isabella Proença
Isabella Proença

O trabalhador que tinha o direito de sacar o abono do PIS-Pasep referente a 2019 deve ficar atento. O prazo para sacar o benefício, que varia de R$ 92 a R$ 1.100, termina no dia 30 de junho.

O pagamento começou em julho de 2020 e terminou no dia 11 de fevereiro de 2021, mas quem ainda não retirou o dinheiro deve se atentar ao prazo. Após o dia 30 de junho, os recursos voltam automaticamente para a conta do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT).

Continua após a publicidade

O cálculo estimado é que mais de 1 milhão de pessoas deixaram de sacar o abono salarial de 2019, de acordo com o IG. Deste total de pessoas, 887 mil recebem o PIS pela Caixa Econômica Federal — o que soma uma quantia de aproximadamente R$ 626 milhões.

Ademais, cerca de 208 mil pessoas não sacaram o abono do Pasep — pago pelo Banco do Brasil a servidores, funcionários de empresas públicas e militares —, representando uma quantia de R$ 96 milhões. E outros 367 mil trabalhadores não retiraram o dinheiro referente a 2018, o que representa um saldo de R$ 295 milhões.

Os demais trabalhadores, que querem recolher o abono salarial referente a 2020, não terão acesso ao recurso ainda em 2021. A Controladoria-Geral da União (CGU) estipulou que trabalhadores que deveriam receber o abono salarial referente a 2020 a partir do 2º semestre, só receberão o dinheiro no ano que vem.

Quem tem direito a sacar o abono do PIS-Pasep?

Tem direito ao abono o trabalhador que possui carteira assinada e ganha até 2 salários mínimos. Além disso, é preciso estar há pelo menos 5 anos inscrito no PIS-Pasep e tenha trabalhado no ano-base pelo menos 1 mês.

O valor do benefício varia de acordo com os meses em que o beneficiário trabalhou. Ele pode chegar ao teto de 1 salário mínimo — que hoje é de R$ 1.100 — para quem trabalhou os 12 meses do ano-base.

Nos anos anteriores, o calendário de pagamento do abono salarial começava no 2º semestre de cada ano e terminava no 1º semestre do ano seguinte. Os pagamentos seguiam a ordem do mês de nascimento do trabalhador, no caso do PIS, e a ordem do dígito final da inscrição no caso do Pasep.

Agora, o governo só começará a pagar os valores no 1º semestre do exercício fiscal seguinte. De acordo com a Secretaria de Trabalho do Ministério da Economia, a modificação foi inevitável para evitar que as regras contábeis e financeiras não fossem cumpridas, o que impediria que as despesas fossem divididas em 2 anos.

Segundo o órgão, a medida não teve nenhum tipo de objetivo fiscal. Porém, o adiamento representará uma economia de R$ 7,45 bilhões neste ano para as contas do governo.

Esta matéria foi útil? Então, assine a newsletter do iDinheiro e receba nossas atualizações no seu e-mail.

Continua após a Publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔

30 comentários

  1. Bom dia!
    Sempre recebi o PIS desde 2005, a partir de 2013 passei a receber o PASEP, recebia sempre em fevereiro. Porém esse ano no dia 05 de fevereiro tive a informação que minha RAIS não havia sido declarada,e não recebi o abono dia 11 de fevereiro. Caso seja declarada eu ainda posso receber ainda nesse primeiro semestre? Ou só em 2022?

    1. Rafaela Souza

      Olá, Leidicleia! Tudo bem?
      Acredito que somente no ano base seguinte mas, como é um caso específico, o ideal é entrar em contato com a CAIXA para confirmar.

  2. Toni Carlos

    O governo tirou nosso direito esse ano de receber o pis !! Ninguem vai fazer nada ??

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.