Qual a melhor forma de utilizar o saque do PIS/Pasep? Conheça 6 dicas

O saque do PIS/Pasep foi liberado na última terça-feira para os nascidos em janeiro e fevereiro. O melhor uso do dinheiro depende do perfil do beneficiário.

Heloisa Vasconcelos
Heloísa Vasconcelos

A Caixa liberou na última terça-feira, 19, o saque do PIS/Pasep para os beneficiários nascidos em janeiro e fevereiro. Novos pagamentos de até R$ 1.100 serão liberados até março e estarão disponíveis até junho deste ano.

O recurso, pago a quem recebeu até dois salários mínimos em 2019, é bem-vindo, principalmente aos beneficiários que estavam dependentes do auxílio emergencial.

Continua após a publicidade

Independente da atual situação financeira do trabalhador, é importante considerar prioridades e realizar um planejamento, a fim de que esse dinheiro extra não vá embora sem um uso adequado.

“Um ponto importante sempre é envolver a família nessas decisões, ver o que a família quer em conjunto”, considera a mestre em educação financeira pela Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin) Cíntia Sena.

Continua após a publicidade

Confira algumas dicas para utilizar o saque do PIS/Pasep da melhor forma possível.

Dicas para utilizar o saque do PIS/Pasep

1. Quite dívidas com juros com o saque do PIS/Pasep

Quem está em uma situação financeira mais complicada deve buscar quitar dívidas. Mas, mesmo nesse momento, é necessário alguma cautela.

Cintia Sena recomenda que o dinheiro deve ser utilizado para esse fim caso o valor seja o suficiente para quitar a dívida

“Antes de pegar esse recurso, tem que ver se esse valor dá para liquidar, não dá para utilizar para pagar uma parte de uma dívida e não resolver”, recomenda. 

De qualquer forma, a palavra chave nesse momento deve ser negociação. Há oportunidades como o Serasa Limpa Nome em que as dívidas podem ser quitadas com descontos de até 99%.

Continua após a publicidade

No caso de dívidas que não acumulam juros, pode não valer a pena quitar. Isso porque, em alguns casos, o dinheiro investido em uma renda fixa pode trazer uma rentabilidade maior e ser utilizado ao longo do tempo para esse fim. 

2. Busque desconto nos pagamentos de início de ano

IPVA, IPTU, volta às aulas… O início do ano vem com várias contas a mais para os brasileiros. E, em alguns casos, é possível conseguir desconto em pagamentos à vista.

Caso a cidade ou estado ofereça desconto dos impostos em cota única, vale a pena calcular se o rendimento do valor do saque do PIS/Pasep em uma renda fixa é maior. 

“Dependendo do desconto, pode- se analisar pagar à vista IPVA e IPTU. A conta que se tem que fazer é se a remuneração que conseguiria investindo é maior que o desconto”, destaca o coordenador do MBA de gestão financeira da FGV, Ricardo Teixeira. 

Continua após a publicidade

3. Faça uma reserva de emergência

“A melhor coisa que se pode fazer em época de crise é ter uma reserva financeira”, resume Ricardo Teixeira. 

Essa é a melhor opção para quem não tem dívidas com juros correndo e não precisa do dinheiro de forma imediata para nenhuma urgência. O ideal é que a reserva de emergência seja equivalente ao valor gasto pela família em 6 meses

Contudo, é recomendado guardar o dinheiro, mesmo que pouco, diante do momento de incerteza da pandemia. O ideal é investir o recurso em uma renda fixa com boa liquidez, para que possa ser retirado quando necessário.

4. Procure investir o valor recebido no saque do PIS/Pasep

Para quem pode guardar a grana extra recebida, uma boa opção é estudar opções que se adequem aos objetivos e ao perfil do investidor.

Continua após a publicidade

“O primeiro ponto que é legal para se observar é o tempo de utilização desse recurso. faz diferença em quais recursos financeiros eu posso usar para obter maior rentabilidade”, alerta Cintia. 

É possível investir com pouco dinheiro em opções como CDBs, LCIs,  LCAs e Tesouro Direto, com rentabilidades maiores que a Selic para o médio.

Quem pensa no longo prazo e quer construir uma aposentadoria pode pensar em ações ou fundos imobiliários, dependendo do apetite ao risco. 

Porém, mesmo os mais arrojados devem buscar ser mais conservadores neste momento, considera Rodrigo. “Sempre procure em épocas de crise estar com um dinheiro disponível e não investir em nada que seja muito arriscado”, indica.

Continua após a publicidade

5. Invista em educação e alternativas de renda

Milhares de brasileiros perderam o emprego durante a pandemia e buscam agora uma recolocação profissional. Para quem está sem renda no momento, o indicado é dar três prioridades ao dinheiro recebido: alimentação, saúde e educação.

É importante que quem quer voltar ao mercado de trabalho busque novas formas de se profissionalizar. O saque do PIS/Pasep também pode ser o pontapé inicial para quem quer buscar por conta própria novas alternativas de renda.

6. Aproveite os descontos 

Várias lojas realizam saldões no início do ano, ofertando produtos com descontos especiais. Essa pode ser uma boa oportunidade de economizar para quem está com dinheiro em caixa.

Antes de gastar, contudo, é importante pesquisar, tanto em lojas físicas como virtuais, o histórico de preço do produto e analisar se aquela compra é realmente necessária.

“Se você tem dinheiro e quer aproveitar uma compra com condições especiais, vale a pena. Mas, se você está sem dinheiro e vai raspar o fundo do tacho para gastar com algo que não é necessário, é melhor guardar”, ressalta Ricardo.

Quer continuar acompanhando dicas de educação financeira e como economizar? Então, assine a newsletter iDinheiro e se mantenha atualizado!

Continua após a Publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.