Governo adia pagamento do abono salarial do PIS/Pasep para 2022

CGU apontou a necessidade de adiar o pagamento do abono salarial para 2022 em razão de problemas com restos a pagar. Entenda.

LilianCH
Lilian Calmon

O governo decidiu adiar o pagamento do abono salarial do PIS/Pasep, previsto para o segundo semestre deste ano. Com o novo calendário, os valores serão desembolsados somente em 2022.

Até então, os pagamentos costumavam ser feitos entre os meses de julho, do ano corrente, a junho do ano seguinte. 

Continua após a publicidade

Segundo o Ministério da Economia, a Controladoria-Geral da União (CGU) apontou a necessidade de pagar todos os beneficiários em um mesmo ano em razão de problemas com restos a pagar. Por conta disso, a opção foi que o processo se iniciasse no ano que vem.

Essa mudança representará uma economia de R$ 7,45 bilhões em despesas em 2021, de acordo com números oficiais. No momento, o governo enfrenta dificuldades para cumprir o teto de gastos, regra que limita a alta das despesas à variação da inflação do ano anterior.

Pagamento do abono salarial do PIS/Pasep ainda não tem data definida

O pagamento do abono salarial do PIS/Pasep ainda não tem data definida. A resolução aprovada pelo Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat) prevê “os melhores esforços para assegurar” que todos recebam durante o primeiro semestre de 2022.

Normalmente, o cronograma segue o mês de nascimento para empregados da iniciativa privada e o número final da inscrição no Pasep para funcionários públicos. O abono referente ao ano de 2019 foi depositado até 11 de fevereiro para todos os trabalhadores que tinham direito a ele.

Veja quem tem direito ao PIS/Pasep

Tem direito a ele quem recebeu, em média, até dois salários mínimos mensais com carteira assinada e exerceu atividade remunerada durante, pelo menos, 30 dias no ano anterior ao pagamento.

Também é preciso estar inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos e ter os dados atualizados pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

O pagamento do abono pode chegar a um salário mínimo, dependendo da quantidade de meses trabalhados. 

Quer continuar acompanhando as notícias sobre o pagamento do abono salarial? Então, não deixe de assinar a newsletter do iDinheiro e ativar as notificações push.

Continua após a Publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔

18 comentários

  1. É só o que faltava ! Tirar dinheiro de homem trabalhador, pra ajudar malandro.Ate aonde vamos parar? Será que vamos ter quer virar bandido ou vagabundos.; para ser valorizado neste BRASIL?

  2. Isabel

    Preferem pagar benefícios como auxílio emergencial para “vagabundos” que não trabalham ( pq não querem trabalhar e vivem as custas dos pais até mesmo) do que pagar o Pis àqueles que todos meses estão trabalhando, pagando suas contas, trazendo lucro de impostos pada esse governo se m…

  3. Janaína Fernandes

    Já estamos enfrentando uma crise terrível com essa pandemia e o governo decide mudar a lei sendo q muitos como eu já estava contando com esse dinheiro extra do PIS/ PASEP pro segundo semestre desse ano. Infelizmente as necessidades de alimentação, moradia e pagar as contas não vão esperar né.

  4. Continua após a publicidade

  5. regina

    Como sempre só prejudicam as classes dos trabalhadores que já ganham pouquíssimo e porque não mexer no bolso dos parlamentares que só mudam a lei pra desfavorecer os trabalhadores e nunca eles próprios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.