Auxílio emergencial: governo cobra devolução de 1,2 milhão

Mais de 1 milhão de beneficiários do auxílio emergencial receberão até esta terça-feira, 22, SMS cobrando a devolução do benefício.

Lucas Pavanelli
Lucas Pavanelli

Mais de um milhão de beneficiários do auxílio emergencial receberão até esta terça-feira, 22, mensagens de celular cobrando a devolução do benefício. De acordo com o Ministério da Cidadania, essas pessoas receberam o auxílio de forma irregular

Todos os 1,2 milhão de beneficiários já tiveram os pagamentos cancelados. Entretanto, ainda é possível contestar a interrupção do pagamento e a devolução dos valores recebidos.

Continua após a publicidade

No entanto, é preciso ficar atento ao prazo para não perder a oportunidade. O período para contestar a cobrança do governo termina no dia 31 de dezembro. Em outras palavras, isso significa que, após essa data, o beneficiário perde a chance e deverá devolver o recurso. 

Como fazer a devolução do auxílio emergencial?

Caso seja um dos 1,2 milhão de beneficiários que terão que devolver os valores recebidos irregularmente, é importante prestar atenção.

Os beneficiários receberão até hoje um SMS do governo federal contendo o seu CPF e um link pelo número 28041. É importante ficar atento a isso para não cair em nenhum golpe. 

Para devolver o auxílio, basta acessar o site devolucaoauxilioemergencial.cidadania.gov.br e inserir CPF.

No site, o beneficiário deverá preencher um formulário com informações pessoais e, depois disso, gerar uma Guia de Recolhimento da União (GRU). Após imprimir o boleto, é possível fazer o pagamento nos canais de atendimento do Banco do Brasil, pelo app ou caixa eletrônico. 

Qual é a irregularidade

De acordo com o governo federal, o pagamento do auxílio emergencial a esses 1,2 milhão de pessoas foi considerado irregular. Isso porque os beneficiários já estavam recebendo algum outro benefício do governo, como:

  • Aposentadoria
  • Seguro-desemprego
  • Programa emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda

Em alguns casos, órgãos de controle identificaram beneficiários que tinham conseguido emprego ou mesmo aqueles que possuíam renda e não tinham necessidade de receberem a verba. 

Até o momento, quase 200 mil pessoas que receberam o auxílio emergencial de forma irregular já devolveram os valores aos cofres do governo federal. São cerca de R$ 230 milhões devolvidos

O cidadão que ficar sabendo de alguma irregularidade também pode denunciar o caso. O canal é o Fala.br.

Sobre o benefício

O auxílio emergencial foi uma saída encontrada pelo governo federal para transferir renda para famílias atingidas pela crise financeira provocada pela Covid-19.

No entanto, após o repasse de nove parcelas, o benefício já tem data para terminar. Isso porque o auxílio emergencial não deverá ser pago no próximo ano.

O benefício, que era de R$ 600 no início do ano, foi cortado pela metade para boa parte das famílias. Ainda assim, entre abril e dezembro, a União transferiu mais de R$ 300 bilhões para 68 milhões de brasileiros. 

Quer continuar acompanhando as notícias sobre o auxílio emergencial? Então, assine a newsletter iDinheiro e ative as notificações em Push.

Continua após a Publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

    Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.