Serviços

Clonaram Meu Cartão, o Que Fazer?

Flávio Mariano
Clonaram Meu Cartão, o Que Fazer?

Caso tenha tido o seu cartão clonado, confira aqui o que deve ser feito, para evitar muita burocracia e dor de cabeça. Além disto, saiba mais sobre a clonagem e como ela é feita.

Artigo foi originalmente publicado pelo site Conta em Banco que, desde julho de 2020, faz parte do iDinheiro. Conteúdo e comentários foram integralmente mantidos.

A clonagem de cartões é o crime mais comum, em relação aos delitos que são relacionados aos cartões de crédito. De acordo com uma pesquisa feita pela Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), de março de 2018 ao mesmo mês de 2019, 8,9 milhões de brasileiros foram vítimas de fraude. E, deste total, 3,65 milhões de pessoas tiveram seus cartões de crédito clonados. Ou seja, como pode-se perceber, as clonagens são muito comuns, e podem ocorrer com qualquer pessoa, mesmo que esta tome muito cuidado no uso de seu cartão.

É possível clonar as informações capturando os dados online, ou mesmo presencialmente, modificando máquinas de cartões e terminais de autoatendimento.

Continua após a publicidade:

Porém, apesar deste ser um crime muito comum, muitas pessoas não sabem se portar quando são vítimas da clonagem de cartão. E, nesta situação, é preciso ter muita atenção e perspicácia, para agir rápido antes que os criminosos realizem grandes gastos. Mesmo que não seja responsabilidade do titular do cartão pagá-los, é necessário evitar burocracia e prejuízos, e coibir estas ações o mais rápido possível.

Desta forma, quando um indivíduo é clonado, ele deve pedir bloqueio ou cancelamento imediato do cartão, além de identificar cada cobrança que não reconhece. Abaixo, saiba mais sobre o que fazer em tais situações.

Meu cartão foi clonado, o que fazer?

Quando uma pessoa abre o seu aplicativo bancário e vê diversos gastos desconhecidos em sua fatura, ela se assusta, e pode até mesmo ficar sem reação. Por vezes, o indivíduo foi vítima de clonagem. A clonagem é um crime, em que os dados do seu cartão são transferidos para outro plástico, com o qual são feitas compras. E, a clonagem inclui o uso do nome e outras informações, como CPF, do titular do cartão que foi “copiado”. Ou seja, é como ter uma cópia do seu cartão com um criminoso.

Os cartões sem chip são mais fáceis de serem clonados, podendo ser copiados em caixas eletrônicos de bancos ou maquininhas. E, os cartões com chip, apesar de apresentarem maior trabalho para a clonagem, também podem ser afetados. Os criminosos conseguem ler o chip e copiar todos os dados, por meio de leitores. E, como os fraudadores não precisam ter em mãos o cartão para realizar compras, eles também podem cloná-los por meio de sites ou aplicativos.

Assim, como pode-se perceber, a clonagem pode ser feita “facilmente”, visto todos os artifícios que os criminosos possuem. E, é preciso que as pessoas entendam como se portar caso sejam vítimas deste crime, para que possam coibir a ação dos criminosos o mais rápido possível, e, assim, evitarem muita burocracia.

Cartão clonado
Caso seu cartão tenha sido clonado, entre em contato imediatamente com a administradora deste.

Primeiro, é preciso mencionar que, para identificar a clonagem e os gastos indevidos, é necessário sempre estar atento à sua fatura. Assim, sempre monitore a fatura do seu cartão, por meio do Internet Banking. Um boa dica é ligar as notificações, para que você receba uma mensagem sempre que gastos forem feitos com o seu cartão. Caso perceba uma clonagem, um gasto não identificado, é necessário agir.

Entre em contato com a administradora do seu cartão de crédito, pela Central de Atendimento ao Cliente e, então, peça o bloqueio e o cancelamento imediato do seu cartão. Depois, com este problema resolvido, e os criminosos impedidos de realizarem mais gastos, analise a sua fatura. Exponha para o atendente todas as compras que não foram feitas por você, se atentando aos valores, datas e horários nas quais foram realizadas.

Feito isto, peça que estes débitos indevidos sejam retirados da sua fatura, e que ela seja emitida sem estes gastos. É importante que, além disto, você registre um Boletim de Ocorrência do fato. Pois, caso chegue um protesto em seu nome, requisitando o pagamento do valor, você irá conseguir comprovar que não realizou as compras. De acordo com o Serasa, também é preciso fazer um alerta de documentos roubados, furtados ou perdidos. Para tal, acesse o Alerta de Documentos Serasa.

Publicidade

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *