Cartão clonado: entenda o que fazer e como evitar o golpe

Com o aumento das compras online, é importante que o usuário fique atento para evitar cair em golpes como o do cartão clonado. Veja como acontece e o que fazer.

Heloisa Vasconcelos
Heloísa Vasconcelos

A pandemia alavancou as compras online — segundo dados da NZN Intelligence, 71% dos brasileiros compraram mais pela internet após o Covid-19. Apesar da comodidade do e-commerce, o usuário deve ter um cuidado especial para evitar cair em golpes como o do cartão clonado.

Quando os cartões de crédito ainda não tinham chips, os criminosos conseguiam copiar a tarja magnética e, literalmente, clonar o cartão. A clonagem agora não ocorre de forma tão literal, mas quem utiliza o meio de pagamento precisa tomar alguns cuidados para não ser surpreendido com transações feitas sem autorização.

Continua após a publicidade

A forma mais comum do golpe hoje em dia é justamente por meio de dados obtidos por criminosos online, que conseguem realizar compras tendo em mãos o número do cartão da vítima. 

Em janeiro, um megavazamento de dados expôs informações de 223 milhões de brasileiros na internet. Apesar de esse vazamento em específico não ter exposto dados de cartões, os criminosos podem obtê-los ao ter acesso a informações pessoais.

Continua após a publicidade

Veja o que fazer caso tenha o seu cartão clonado e dicas para evitar cair no golpe.

Como a clonagem de cartão acontece?

O coordenador do comitê de segurança e prevenção a fraudes da Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), Daniel Marchetti, afirma que os golpes que ocorrem hoje no país não se tratam mais de clonagem de cartão.

Segundo ele, o principal caminho hoje dos golpes que ocasionam compras não-autorizadas no cartão de crédito é a venda de dados pessoais. 

“De qualquer forma, o sistema de cartões no Brasil possui uma robusta infraestrutura de segurança e combate a fraudes, que conta com tecnologia para evitar cópia de dados, sistema de autenticação nas compras presenciais e online, monitoramento com inteligência artificial, protocolos internacionais de segurança e armazenamento de dados”, garante.

Continua após a publicidade

O analista sênior de segurança da Kaspersky, Fabio Assolini, destaca que as empresas de e-commerce deveriam seguir regras chamadas de PCI-DSS para evitar golpes com cartão de crédito, mas isso nem sempre acontece, o que deixa para o usuário a responsabilidade de tomar cuidado.

Ele lista algumas formas de ter o cartão clonado pela internet:

  • comprar em lojas virtuais legitimas, porém, infectadas com um webskimmer
  • comprar em lojas falsas que irão coletar o número do cartão;
  • clicar em links maliciosos, como páginas falsas ou links enviados por e-mail com ofertas que parecem imperdíveis (mas são falsas);
  • ter o dispositivo infectado com um trojan bancário (que irá coletar os dados do cartão no momento de uma compra);
  • cadastrar o cartão em aplicativos que muitas vezes guardam o número do cartão de forma indevida;
  • realizar compras internacionais com a tarja magnética (ao invés do chip).

Como posso me proteger de ter o cartão clonado?

O especialista em segurança da informação e pesquisador da ESET Brasil, Daniel Barbosa, destaca que o consumidor deve ter um cuidado especial com os golpes de engenharia social, o chamado phishing, que ocorrem quando o criminoso faz com que a vítima ativamente ofereça dados.

“Se alguém te liga pedindo para atualizar um cadastro, às vezes a pessoa até já tem seus dados. É mais ter esse sentimento que pode acontecer e desconfiar de tudo, os golpes variam muito de abordagem. Ficar com pé atrás sempre, não seguir instruções dadas, é sempre a melhor opção”, recomenda.

Para se proteger, é importante conferir sempre a fatura do cartão para checar se ocorreram compras não autorizadas. Outra dica é cadastrar a função de aviso por SMS a cada transação, para acompanhar em tempo real todas as compras feitas no cartão.

Continua após a publicidade

Fábio também recomenda evitar enviar informações do cartão de crédito por aplicativos de mensagem como o Whatsapp, mesmo que para um conhecido. 

“Outra dica que pode ajudar na proteção é ter um computador específico para realizar compras online ou internet banking, que tenha um antivírus instalado”, indica.

Tive meu cartão clonado: e agora?

Caso o consumidor perceba transações que não tenha feito no cartão de crédito, o primeiro passo é entrar em contato com a instituição financeira para realizar o bloqueio.

Daniel também indica que a vítima abra um boletim de ocorrência do caso, o que pode ser feito pela internet no site da delegacia eletrônica de cada estado.

Principais dicas da Abecs sobre segurança:

  1. Desconfie de e-mails e mensagens com ofertas de produtos a preços muito abaixo do normal. Podem ser e-mails falsos, enviados com o intuito de capturar dados pessoais e do cartão.
  2. E-mails fraudulentos também costumam chegar no formato de sorteios, concursos, prêmios e outras supostas iniciativas de empresas conhecidas.
  3. Os bancos e as empresas de cartão nunca enviam e-mail solicitando que você digite o número do seu cartão. Também nunca ligam para solicitar a devolução do cartão.
  4. Pesquise antes de comprar e só compre em sites de sua confiança ou que tenham boa reputação na internet. Após a transação, salve ou imprima o comprovante de compra.
  5. Na hora de fazer uma compra física, acompanhe sempre o cartão até o terminal de pagamento e não o perca de vista.
  6. Verifique se o vendedor lhe devolveu o cartão correto. Se possível, insira você mesmo o cartão no terminal.
  7. Antes de digitar a senha, confira o valor e verifique se está digitando realmente na tela de solicitação de senha.
  8. Ao digitar, fique atento ao redor e garanta que ninguém está tentando visualizar sua senha.
  9. Decore a senha. Nunca a guarde junto com o cartão, na carteira ou na agenda do celular.
  10. Em caso de perda ou roubo do cartão, entre em contato imediatamente com a central de atendimento do cartão e faça o bloqueio.

Quer continuar atualizado sobre tudo o que importa para o seu dinheiro? Então, assine a newsletter iDinheiro e ative as notificações push.

Continua após a Publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔

2 comentários

  1. juliano

    oi. gostei muito do seu site, vou verificar toda semana as atualizações.Obrigado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.