Responsabilidade Editorial

Por que confiar no iDinheiro

O iDinheiro tem o propósito de democratizar e simplificar os serviços financeiros. Nossa missão é te ajudar a fazer as melhores escolhas, a partir das mais completas informações e recomendações sobre cada serviço.

Cheque Especial: o que é, como funciona, quais são as taxas e por que evitar o seu uso?

Você sabe realmente o que é o cheque especial e como ele funciona? Veja quanto se paga por cada valor tomado no cheque especial e quanto se paga no final.

Design sem nome (1)
Mariana Vieira Estagiária de Empréstimos e Cartões de Crédito

Um grande vilão do orçamento familiar, quando usado de maneira irresponsável, o cheque especial pode se transformar em uma verdadeira bola de neve.

Com grande capacidade de atropelar todo o planejamento de uma pessoa, é importante entender suas implicações e descobrir os motivos desse recurso ser tão perigoso.

Continua após a publicidade

Por isso, já adiantamos: é de extrema importância que você evite ao máximo “cair no cheque especial”. Na verdade, o ideal é usar a reserva de emergência para fins imprevisíveis.

No entanto, entendemos que não é todo mundo que já conseguiu construir esse montante tão necessário.

Pensando nisso, resolvemos elaborar este artigo para explicar em detalhes o que é cheque especial, como ele funciona, quais são as taxas de juros aplicadas e mostrar como sair dessa situação (caso você esteja dependente do crédito). Confira!

O que é cheque especial?

O chamado cheque especial nada mais é que um empréstimo pré-aprovado que fica disponível na conta para o uso quando você quiser.

Praticamente todas as contas correntes possuem esse benefício, entretanto, devido a grande facilidade em acessar esse dinheiro, as taxas de juros atreladas à linha de crédito são bem altas.

Isso ocorre por um motivo muito simples, trata-se de um dinheiro que você não tem e o banco te emprestará quando você quiser.

Todavia, a instituição financeira não sabe quais são as chances reais de você pagar essa dívida. É justamente essa incerteza que coloca as taxas de juros tão elevadas e torna essa linha de crédito tão cara.

Como falado anteriormente, o uso desse limite pode ser um grande vilão do orçamento, ou o salvador da pátria, isso acontece de acordo com o uso que você fará desse dinheiro.

Toda vez que o saldo da sua conta bancária fica negativo, significa que você entrou no cheque especial. Por isso, fique atento, pois os juros começaram a ser cobrados e podem gerar quantias exorbitantes.

Prazo para pagamento do cheque especial

Alguns bancos oferecem esse tipo de empréstimo com alguns dias sem juros, geralmente 10 dias. Ou seja, se você estiver com saldo negativo e quitá-lo dentro de um curto prazo, não será necessário se preocupar com juros.

Principalmente nessas instituições, o limite do cheque especial pode ser usado para manter o pagamento de outras contas em dia e acaba se tornando um aliado do orçamento, não o vilão.

Como funciona o cheque especial?

A cobrança do cheque especial pode funcionar de formas diferentes a depender do seu banco, e vamos falar sobre isso já já.

De forma geral, seu uso é automático, ou seja: se você tinha R$ 200 reais na conta e passou R$ 250 no débito, caso tenha limite disponível, entrou no cheque especial por causa de R$ 50.

A depender da quantidade de dias em que permaneceu com o débito, serão cobradas taxas específicas.

Nesse sentido, geralmente, elas serão descontadas da conta do cliente assim que o mesmo tiver um saldo disponível.

Alguns bancos fazem a cobrança no primeiro dia útil do mês, outros esperam um prazo “isento de tarifas” para aplicarem os juros.

Todavia, é importante ressaltar um ponto. Mesmo que o banco ofereça condições com isenção de tarifas, será cobrado o valor do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF). Ele incide sobre todos os empréstimos em qualquer banco, então fique atento!

Nova regra do cheque especial: quais foram as mudanças em 2020?

Desde o início do ano, as novas regras foram divulgadas pelo Banco Central. O primeiro ponto é que se uma pessoa tem limite de até R$ 500, o banco não pode cobrar nenhuma tarifa, apenas os juros em cima do valor usado.

No entanto, se o valor concedido for superior ao informado acima, o banco poderá aplicar as tarifas, que podem ser de até 0,25% do que passar do valor. Além disso, é possível cobrar até mesmo das pessoas que não entraram no cheque especial, mas possuem o limite mais alto.

Ainda de acordo com o Banco Central, os clientes obrigatoriamente devem ser avisados que receberão a cobrança. O prazo é de até um mês antes da tarifa ser aplicada.

Além disso, a cobrança das taxas de juros foi limitada ao máximo de 8% ao mês.

Alguns bancos decidiram não cobrar tarifas dos clientes que usarem o cheque especial no ano de 2020. Por isso, vamos listar as tarifas praticadas tradicionalmente, mas é importante entender junto a cada instituição sobre as perspectivas para o ano de 2021. 

Qual é o juros do cheque especial?

O regime de taxas e prazos de pagamentos pode mudar de um banco para o outro e de cliente a cliente.

Isso acontece pois cada instituição calcula um risco de não pagamento dos seus próprios clientes e precifica a o valor dos juros em cima disso.

Listamos as taxas praticadas pelos cinco principais bancos.

Banco do Brasil

No cheque especial do Banco do Brasil, são cobrados encargos mensais somente nos casos em que existe uso do limite. A taxa mínima é de 1,85% ao mês e a máxima é de 7,73% ao mês. 

Existem outras taxas, como a de Inadimplemento de Operações, que dependem da época em que o cliente contratou o cheque especial. Elas podem ser consultadas neste site.

Para contratar o cheque especial do Banco do Brasil, você terá três opções:

  • aplicativo do banco (iOS e Android), acessando Menu > Conta Corrente > Cheque Especial > Aderir;
  • autoatendimento pela internet, acessando Conta Corrente > Cheque Especial > Adesão;
  • terminais presenciais de autoatendimento, clicando em Conta Corrente > Cheque Especial > Adesão.

Se você precisa aumentar o valor do seu limite, poderá entrar em contato com a sua agência. Lá, será feita uma análise de crédito, para saber se é possível ou não conceder uma quantia maior.

Para consultar informações sobre o cheque especial como valor, limite, taxas, custo efetivo total e encargos, além do vencimento e data de débito, você pode gerar o extrato da conta corrente.

Caixa Econômica Federal

No caso do cheque especial da Caixa, assim como a maioria dos bancos trabalha, quanto melhor o relacionamento com o banco, menores serão as taxas aplicadas.

O limite pode ser a partir de R$ 500 e o crédito é disponibilizado na conta, podendo ser movimentado pelos seguintes meios:

  • Internet Banking;
  • terminais de autoatendimento;
  • app Caixa Celular (Android e iOS);
  • cartão de débito;
  • cheques;
  • débitos autorizados.

No site da Caixa reservado para o serviço, não é possível ver as taxas. De acordo com o banco, elas são uma das melhores taxas médias na operação de Cheque Especial.

No entanto, são apresentadas transações financeiras que podem reduzi-las. Elas são:

  • recebimento de salário por uma conta-corrente do banco;
  • pontuação em função de fundos de renda fixa (exceto renda variável e cambial) e poupança;
  • oferta de garantia em caução de 125% do valor do limite do cheque especial com recursos da poupança ou renda fixa.

Os juros são debitados no primeiro dia útil de cada mês. Acesse a tabela de tarifas por meio deste link.

Itaú

O cheque especial do Itaú, que é o LIS, tem como taxa máxima 8% ao mês. Ela é cobrada sobre os dias em que o valor for usado e é possível parcelar ou quitar o valor do cheque sempre que desejado.

Caso o cliente use e pague o saldo no mesmo dia, não são cobrados juros.

No site do banco destinado ao serviço, o cliente encontra um simulador do cheque especial. Esta é uma forma prática de entender as implicações práticas ao usar esse recurso para emergências.

Fizemos uma simulação para ilustrar a partir das seguintes informações:

  • 5% de taxa mensal de juros contratual;
  • 10 dias úteis de uso;
  • saldo de R$ 100 reais.

Neste caso, o valor do juros será de R$ 2,38.

Assim como nos casos dos outros bancos, dependendo da sua relação com o Itaú, é possível que as taxas sejam reduzidas.

Santander

O serviço de cheque especial do Santander é chamado de Limite da Conta.

Sobre os juros, o banco oferece 10 dias (corridos ou alternados) por mês para usar o valor concedido sem arcar com os encargos.

Depois deste período, será cobrado um valor retroativo por todos os dias utilizados. O valor da taxa é de 8% ao mês + IOF. É possível parcelar o saldo devedor pela metade dos juros.

Sobre o ciclo considerado para o cálculo, ele funciona da seguinde maneira:

  • a contagem começa na data de débito dos juros do cheque especial;
  • é encerrada no dia anterior à próxima cobrança;
  • a data de débito pode ser consultada no aplicativo do Santander (iOS ou Android) ou no Internet Banking.

Atenção: mesmo que o cliente use o recurso por menos de 10 dias, é cobrado o valor do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).

Entenda como funciona a cobrança a partir deste link.

Bradesco

O cheque especial no Bradesco conta com juros de até 8% ao mês. Eles são cobrados somente quando o limite é usado.

Para consultar as condições específicas de cada cliente, é preciso entrar em contato com o banco. Você pode encontrar as alternativas por aqui.

Se eu não pagar o cheque especial, o que acontece?

Assim como os outros tipos de empréstimos ou financiamentos, quem não arcar com as condições estipuladas dentro do prazo está sujeito ao pagamento de juros acumulados.

É justamente esse um dos principais perigos do cheque especial, já que o valor vai se acumulando de maneira muito rápida, algo que facilmente se transforma em uma bola de neve.

Pense nos juros incidentes ao período em que o crédito é usado: a cada novo dia, você receberá cobranças que só aumentarão e comprometerão suas finanças.

Além disso, diminuição do score, cadastro em órgãos de proteção ao crédito e maior dificuldade de conseguir acesso a novas linhas de crédito também podem ser consequências.

Se eu parcelar o cheque especial, o que acontece?

O parcelamento do cheque especial é algo que deve ser feito com extremo cuidado. Isso, quando for realmente necessário, já que é uma nova dívida aplicada ao consumidor.

Se você optar por parcelar, então, estará sujeito a novas taxas e juros. Por isso, fique de olho no Custo Efetivo Total (CET) e entenda se o parcelamento é realmente a melhor opção para se livrar do cheque especial.

Linhas de crédito alternativas podem ser saídas mais rentáveis e menos arriscadas.

Como cancelar o cheque especial?

Muitas pessoas, ao solicitar a abertura de uma conta-corrente, podem se deparar com o serviço do cheque especial depois da contratação.

Sendo assim, o valor poderia até mesmo não ser usado, mas “já que ele estava ali mesmo”, aquele ciclo vicioso se iniciou.

Se você acabou aderindo a essa modalidade de empréstimo sem ter noções prévias ou se já sabia dos riscos, mas deseja fazer o encerramento, pode entrar em contato com o seu banco e se desfazer do serviço.

Para isso, seu saldo deverá estar zerado, ou seja, você deverá quitar qualquer compromisso ainda ativo relacionado ao cheque especial.

O que acontece se estourar o limite do cheque especial?

O que acontece é o seguinte: cada banco oferece um valor específico de limite. Ele dependerá de vários aspectos e não existe uma “quantia padrão” de cheque especial concedido.

Vamos supor, então, que você tem R$ 500 reais disponíveis.

Se “estourar” o limite de dinheiro da sua conta, cairá no cheque especial. Por sua vez, não será possível ultrapassar o valor de crédito concedido, já que o recurso emergencial já foi usado em sua totalidade.

Sendo assim, estourando o limite do cheque especial, você não conseguirá pagar uma conta ou comprar algo, com a justificativa de que tem saldo insuficiente.

Conclusão: como sair do cheque especial?

Depois de entender as altas taxas e o perigo em usar esse recurso de forma descontrolada, é possível que tenha dúvidas a respeito de como sair do cheque especial.

Não existe uma resposta específica, já que é muito mais fácil resolver uma dívida de R$ 50 do que uma de R$ 500.

De forma geral, então, você deve trabalhar com uma boa educação financeira e organização das finanças. Assim, terá noção de que quando usou o cheque especial, era por uma verdadeira necessidade.

Além disso, terá uma tranquilidade maior em saber que poderá arcar com as taxas e encargos.

Se você já está em uma situação mais delicada, no entanto, a ideia é não se desesperar e buscar pelas principais maneiras viáveis de sair das dívidas.

Seja reduzindo outros gastos, repaginando o orçamento mensal ou até mesmo recorrendo aos outros tipos de crédito oferecidos no mercado financeiro, tenha paciência e mantenha o foco até que o valor seja quitado.

Nos casos de recorrer aos outros tipos de crédito, como é o caso do empréstimo, fique sempre atento em relação aos juros e taxas cobradas. Assim, não estará criando uma bola de neve gigantesca.

Por fim, ao se livrar do cheque especial e entender que ele não é saudável na sua realidade, faça o cancelamento assim que possível.

Opções “fáceis” de acesso ao crédito podem parecer uma salvação inicialmente, mas também se transformam em um grande pesadelo com muita rapidez.

E então? Gostou de aprender mais sobre o cheque especial? Assine a nossa Newsletter para receber ainda mais conteúdos do tipo, tudo em primeira mão!

Dúvidas frequentes sobre o cheque especial

  1. Qual o prazo para pagar o cheque especial?

    Depende da instituição. Porém, em geral, os bancos concedem 10 dias para que o pagamento seja efetuado sem que haja a cobrança de juros.

  2. Se eu não pagar o cheque especial, o que acontece?

    Se não pagar o cheque especial, há o acúmulo de cobrança de juros sobre juros. Em pouco tempo, a dívida pode se multiplicar e prejudicar as suas finanças.

  3. Qual a taxa de juros do cheque especial?

    O Banco Central determinou, em 2020, que a taxa de juros do cheque especial não pode ultrapassar 8% ao mês.

  4. Como faço para sacar o limite do cheque especial?

    O cheque especial pode ser sacado usando a função de débito do cartão da conta. No entanto, vale reforçar que, nesse caso, a sua conta ficará no vermelho, com saldo negativo.

Continua após a Publicidade

16 comentários

  1. kaline

    meu limite de cheque especial é 1.420,00, usei dia 3/12 298,00 meu salário cai dia 15 na conta. quanto vou pagar de juros?

  2. Marly Alves

    Se meu pagamento cai na conta corrente todo o mês e eu usei meu limite de 1,4000 durante seis meses quantos fico devendo do cheque especial.

  3. gisele

    Estou com restrição no meu nome
    mesmo assim posso usar o cheque especial

  4. Continua após a publicidade

  5. DIANA DE

    quais são as taxas cobradas ? com o uso do espacial?

  6. Gabriela

    Boa noite! Se eu apenas aderir ao cheque especial, só deixar ele disponível na conta, mas nunca usar, é cobrada taxa?

  7. Janaina

    Quais bancos oferecem 10 dias sem juros?
    A caixa por exemplo oferece?

  8. Continua após a publicidade

  9. Donizetti

    E se no caso meu limite for 1000.00 reais na conta corrente… eu usar 500 reais… mais nisso eu tenho 600reais na conta depositado… tem juros tbm? E qual seria?.. no caso eu usaria o cheque mas teria dinheiro na conta para debitar

  10. Raimunda

    O banco pode cobrar a taxa do cheque especial mesmo que o cliente nunca tenha usado essa linha de crédito?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.