Fintech Bankme permite que empresas tenham bancos próprios

Serviço inovador da fintech Bankme possibilita médias e grandes empresas tenham bancos próprios. Entenda como funciona a funcionalidade.

Isabella Proença
Isabella Proença

A nova fintech Bankme trouxe ao mercado uma novidade: a possibilidade de que as empresas tenham bancos próprios.

Abaixo, entenda o funcionamento deste serviço.

Sobre o serviço da fintech Bankme

A Bankme oferece rentabilidade de aproximadamente 2,22% de lucro líquido ao mês nas operações de crédito realizadas e não possui nenhum custo de implantação.

Continua após a publicidade

Além disso, possibilita que as organizações antecipem seus próprios títulos aos fornecedores a risco zero.

Em resumo, a própria empresa realiza as solicitações de crédito, enquanto a Bankme cuida de toda a operação.

Neste sentido, o objetivo da fintech Bankme é permitir que médios e grandes empresários possam aplicar dinheiro em negócios com o mínimo de risco.

Atualmente, o Brasil registra taxas de juros historicamente baixas e iniciativas como esta podem ser muito atrativas.

Para obter mais informações, acesse o site da fintech e preencha o formulário de cadastro.

Vale ressaltar que os serviços de startups do tipo estão disponíveis apenas para grupos restritos: empresas com faturamento acima de R$ 5 milhões, que pagam a prazo seus fornecedores e têm sócios e/ou empresa capitalizados.

Regulamentação da fintech

A abertura de fintechs como a Bankme, foi regulamentada com promulgação da Lei Complementar 167, de 2019.

Ao criar as Empresas Simples de Crédito (ESCs), como as organizações que a nova startup gerencia, a norma procura solucionar questões como “por que um cidadão não pode emprestar para outra pessoa de forma mais institucionalizada?”.

E “por que um cidadão não pode cobrar taxas de juros em suas operações de crédito sem as limitações da Lei da Usura?”.

Dessa forma, o objetivo principal de fintechs como a Bankme é aumentar as possibilidades de créditos no país, motivando o empreendedorismo e a atividade empresarial.

Embora a Bankme seja a startup pioneira do tipo no Brasil, é bem provável que surjam mais empresas que sigam o mesmo exemplo, ampliando assim o número dos bancos particulares de cada empresa (os chamados minibancos).

Assine a newsletter do iDinheiro e receba nossas atualizações diárias diretamente no seu e-mail.

Continua após a Publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

    Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.