DPVAT Caixa: novo aplicativo de acesso ao DPVAT é lançado

Aplicativo de acesso ao DPVAT foi lançado no último domingo pela Caixa. A ferramenta possibilita solicitar indenização e acompanhar solicitações.

Isabella Proença
Isabella Proença

No último domingo, 31, a Caixa Econômica Federal lançou o DPVAT Caixa, aplicativo que tem o intuito de simplificar e ampliar o acesso ao DPVAT.

Agora, a solicitação de indenização do DPVAT ocorre no app, disponível para download no Google Play e na App Store. As vítimas de acidentes de trânsito ou seus beneficiários podem enviar pedidos de indenização por morte, invalidez permanente ou reembolso de despesas médicas.

Continua após a publicidade

Sobre o DPVAT Caixa

No DPVAT Caixa será possível não somente enviar a documentação necessária, como também acompanhar a solicitação.

Depois de baixar o app, o usuário deve se cadastrar na Caixa. Se porventura já tiver cadastro em outros aplicativos, como FGTS, Caixa Tem e Habitação, a senha de acesso será a mesma.

Após ligar, basta clicar em “Quero minha indenização DPVAT” e relatar os dados do acidente, preencher os dados da vítima e encaminhar a documentação necessária.

Para acompanhar o andamento do processo, basta acessar o campo “Acompanhar minha solicitação”.

Os usuários poderão, por exemplo, apurar a existência de documentos pendentes e a liberação ou não do pagamento do seguro.

Documentos obrigatórios

Alguns documentos são obrigatórios, como comprovante de residência, RG e o boletim de ocorrência do acidente (B.O), além de documentos singulares, como laudos e comprovante de despesas médicas.

A lista completa de toda a documentação exigida está disponível no site da Caixa, na área destinada ao DPVAT.

Se o pagamento da indenização for aprovado, o recurso será depositado em até 30 dias em uma conta poupança digital da Caixa, em nome da vítima ou dos beneficiários.

Nos casos de óbito, a indenização será de R$ 13.500. Nos casos de invalidez permanente, de até R$ 13.500, conforme a lesão da vítima, com base em tabela prevista na lei.

Já as despesas médicas e hospitalares serão ressarcidas em até R$ 2.700, levando em conta os valores gastos pela vítima no tratamento.

Esta matéria foi útil? Então, assine a newsletter do iDinheiro e receba nossas atualizações diretamente no seu e-mail.

Continua após a Publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.