Roubo de Bitcoins e cibercrimes envolvendo criptomoedas devem aumentar em 2021

Heloisa Vasconcelos
Heloísa Vasconcelos
mão em teclado de computador, representando roubo de bitcoins
Especialistas da Kaspersky, empresa de cibersegurança, prevêem que o roubo de Bitcoins deve aumentar em 2021. Uma das causas é a desvalorização de moedas devido à pandemia.

Em 2021, o roubo de Bitcoins deve aumentar. A previsão é do boletim de segurança da Kaspersky, empresa internacional de cibersegurança. O objetivo é ajudar que organizações se preparem para possíveis ameaças.

Segundo os especialistas da empresa, uma das causas do aumento de crimes envolvendo criptomoedas se dá em um contexto com a onda massiva de pobreza e a desvalorização de moedas internacionais causadas pela pandemia.

Continua após a publicidade

A previsão é que grupos passem a usar criptomoedas de transição ao exigir pagamento de vítimas de ciberataques. 

Além disso, as práticas de extorsão serão ainda mais comuns, seja como parte de ataques DDoS ou de ransomware. Por fim, é previsto que os operadores de ransomware consolidarão e usarão exploits avançados para infectar as vítimas.

Roubo de Bitcoins deve aumentar

Os especialistas da Kaspersky levam em conta que as mudanças em 2020 devem impactar a forma com que os crimes online serão realizados em 2021. Ainda assim, os cibercrimes deste ano podem continuar.

Conforme o diretor da equipe latino-americana de pesquisa e análise da Kaspersky, Dmitry Bestuzhev, as ameaças em 2021 envolvem novas estratégias de cibercrime financeiro, desde a revenda de acesso a bancos, ao direcionamento a aplicativos de investimentos.

“A previsão de ameaças futuras é importante, pois permite que nos preparemos melhor para nos defender, e temos certeza de que nossa previsão ajudará muitos profissionais de cibersegurança a trabalhar em seus modelos de cibersegurança”, afirma.

Confira as principais ameaças cibernéticas de 2021

  • MageCarting, também chamado de JS-skimming. Os pesquisadores da Kaspersky esperam que, no próximo ano, esses ataques ocorram completamente ao lado do servidor onde o e-commerce está hospedado para evitar a detecção da fraude.
  • Moedas de transição. Com a criação de recursos especiais para monitorar e confiscar contas Bitcoins, os cibercriminosos devem priorizar moedas que encubram os rastros. Posteriormente, esses criminosos converterão os fundos para criptomoedas mais populares.
  • Crescimento das extorsões. Os pesquisadores da Kaspersky preveem um crescimento ainda maior das tentativas de extorsão como meio de captar dinheiro, sendo as organizações o centro das atenções. Os ataques de ransomware ou DDoS podem causar ainda mais perda de dados e processos de recuperação exaustivos.
  • O roubo de Bitcoins se tornará mais atraente conforme muitas nações mergulham na pobreza em decorrência da pandemia. Com os impactos econômicos e a desvalorização das moedas locais, mais pessoas poderão se envolver no cibercrime, resultando em mais casos de ataques. Os pesquisadores da Kaspersky preveem que, devido à fragilidade das moedas locais, mais pessoas deverão se voltar para fraudes que exijam Bitcoin, além do próprio roubo dessa criptomoedas, que é a mais comum.

Gostou deste conteúdo e quer continuar acompanhando as notícias sobre o universo financeiro? Então, assine a newsletter iDinheiro e ative as notificações de Push.

Continua após a Publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

    Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.