O que considerar antes de pedir demissão na pandemia

Em meio à crise econômica, especialistas ouvidos pelo iDinheiro dão dicas do que avaliar antes de pedir demissão na pandemia.

Cindy Damasceno

Mesmo em meio a crise econômica, há quem esteja insatisfeito com o ambiente de trabalho e deseja pedir demissão na pandemia. Em pesquisa organizada pela empresa de cibersegurança Kaspersky, 53% dos brasileiros consideram mudar de emprego nos próximos 12 meses.

O relatório, publicado em março e intitulado “Protegendo o Futuro do Trabalho“, também calculou que apenas 30%  dos entrevistados optaram por permanecer no emprego atual. 

Continua após a publicidade

No Brasil, adiciona o levantamento da Kaspersky, o maior motivador para a troca de emprego é a qualidade de vida: 50% dos entrevistados afirmaram querer equilíbrio entre a rotina pessoal e a profissional. Em seguida, aparecem aqueles que buscam aumentar a renda — 49% dos entrevistados pela empresa responderam que o motivo da troca é a busca de um salário mais alto. 

Para a psicóloga e sócio-diretora da Persona RH, Vanessa Nóbrega, o contexto pandêmico está por trás dessa adesão pela mudança. “Os profissionais estão mais nessa reflexão de carreira, e levam em consideração vários aspectos, como futuro na carreira, qualidade de vida”, coloca. 

Continua após a publicidade

Por isso, ao contrário do que se pensa, o mercado de trabalho não está tão incipiente, mesmo com a crise financeira. “Na verdade é um momento muito bom porque há muitas oportunidades, apesar de tudo”, defende o CEO da Heach Recursos Humanos, Élcio Paulo Teixeira.

Em conversa com o iDinheiro, os especialistas dão dicas de como facilitar a transição entre empresas durante a pandemia. Confira! 

1. Reflita sobre a motivação

Antes da tomada de qualquer decisão, é preciso entender melhor os motivos para a possível demissão. Às vezes, a sensação de ‘deslocamento’ pode ser remediada, caso seja discutida com a chefia, avalia Élcio. “Abrir o jogo com o chefe pode ajudá-lo a não se aventurar no mercado de trabalho”, acrescenta. 

Vanessa, especialista em gestão de pessoas, vê como natural o desejo de avaliar criticamente a carreira — principalmente nos períodos de crise. Por isso, considerar o causador da decisão é importante antes de recorrer à mudança. “Independente de pandemia, [toda carreira] tem os seus momentos de altos e baixos”, pontua. 

Continua após a publicidade

2. Converse com a gestão antes de pedir demissão

Agora, se mesmo após a avaliação o funcionário permanece descontente com a empresa, pode ser o momento de comunicar o descontentamento à chefia. Não existe fórmula certa, mas pedir devolutivas é fundamental. “A demissão é consequência de uma trajetória. Sempre é interessante fazer a busca desse feedback, tentar estreitar essa aproximação [com o gestor], até de fato chegar nesse pedido de demissão”, recomenda Vanessa. 

Para Élcio, ter esse resguardo com os chefes também serve para construir a lista de prós e contras antes de embarcar na demissão. “Às vezes você ganha menos, mas você tem uma trilha de crescimento maior, onde você tem um investimento em qualificação maior. São essas as considerações. Salário, crescimento, e fit cultural. Com quem eu vou trabalhar? Será que eu me encaixo nesse novo lugar?”, adiciona. 

3. Avalie como o novo emprego afetará a sua rotina

Mudar para um novo ambiente não é fácil. Então, o mais recomendado é sempre ter em mente as consequências da escolha, indica a psicóloga Vanessa. “Ver como é o formato de trabalho, como isso vai impactar na sua rotina, principalmente se você tem família, o como isso vai impactar no planejamento familiar”. 

Colocar na mesa todas as mudanças também ajuda na hora de consolidar a escolha. “Avaliar se a oportunidade que está sendo oferecida é uma oportunidade que vai de encontro às expectativas dessa pessoa. Às vezes, é só um aumento de salário, mas não é um ambiente melhor”, recomenda Élcio. 

Continua após a publicidade

4. Pesquise sobre a empresa desejada

Se o desejo de mudança não foi precedido por uma proposta de emprego, quem deseja fazer a transição deve considerar empresas alinhadas com a sua visão profissional. Nessa pesquisa, é importante avaliar não somente as condições básicas da vaga, como salário, jornada de trabalho e benefícios, mas também a sintonia com a nova casa. 

Sempre é interessante mapear “a cultura da empresa, a expectativa que a empresa tem sobre o profissional”, considera Vanessa. Segundo ela, um dos caminhos para obter essas respostas é recorrer a profissionais da iniciativa para a qual deseja transicionar. “Quanto mais você pesquisar e entender sobre a realidade da empresa, mais a decisão ficará mais segura”, pontua. 

5. Saiba como sair da empresa atual

Embora a saída de um emprego seja natural, tomar algumas iniciativas ajudam a manter a boa relação com os antigos empregadores. Ter um respaldo como esse auxilia até na procura por novas oportunidades. “Se eu estiver à frente do projeto, eu não pode sair da noite para o dia. É estar fechando uma porta, fechando oportunidades de referência na minha carreira”, coloca Élcio.  

“Conversar com a empresa, colocar o porquê, acordar uma data de forma amigável, para deixar as portas abertas. É muito importante você saber sair da mesma forma que você sabe entrar”, aconselha Vanessa. 

Continua após a publicidade

Pedir demissão na pandemia pode afetar o currículo?

A escolha pelo novo ambiente de trabalho merece ainda mais atenção do ponto de vista do recrutamento. Isso porque tomar a decisão por impulso pode prejudicar a carreira a médio prazo. “É importante a gente encerrar o ciclo de uma forma bacana. Você deixa um legado na empresa. Isso agrega no próximo processo seletivo”, considera Vanessa. 

“Muitas vezes, eu estou com pouco tempo de casa e saio para me aventurar em uma nova oportunidade. Aí, eu não me adapto em um novo lugar e tenho que sair, e eu queimo meu currículo porque eu fiquei pouco tempo onde eu estava”, projeta Élcio. 

Então, como evitar o desgaste com os antigos recrutadores? Sinceridade e empatia é a saída mais confiável, aconselha o gestor. “É preciso fazer uma transição responsável”. Veja dicas de como facilitar a mudança, além das que foram colocadas acima. 

  • Converse com a gestão sobre o motivo da troca;
  • Comunique com antecedência a demissão;
  • Dê preferência a informar a saída no começo da semana. Assim, a empresa terá mais tempo para preencher a vaga. 

Quer continuar acompanhando as notícias sobre pedir demissão na pandemia? Então, não deixe de assinar a newsletter do iDinheiro e ativar as notificações push. 

Continua após a publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.