Mudança no IR deve aumentar arrecadação em R$ 6,15 bi entre 2022 e 2024

Mudança no IR deve aumentar a arrecadação a partir de 2022. Receita Federal divulgou nota técnica reexplicando a reforma tributária.

Isabella Proença
Isabella Proença

A segunda fase da reforma tributária, que consiste em mudança no Imposto de Renda (IR) de pessoas físicas, empresas e investimentos, deve aumentar a arrecadação em R$ 6,15 bi a partir de 2022 caso seja aprovada da forma que foi enviada pelo governo. Entenda.

Mudança no IR deve aumentar arrecadação

Na última segunda-feira, 12, a Receita Federal atualizou a estimativa duas semanas após o Congresso Nacional receber a proposta e um dia antes da apresentação do texto na Câmara dos Deputados, pelo relator Celso Sabino (PSDB-BA).

Continua após a publicidade

Essas medidas devem reforçar o caixa do governo em R$ 2,47 bilhões para 2022, em R$ 1,6 bilhão em 2023 e em R$ 2,08 bilhões para 2024.

De acordo com a Receita Federal, ao contrário do que os empresários e líderes de partidos pensam, o impacto será mínimo e não haverá possibilidade de aumentar a carga tributária. Além disso, ainda segundo o parecer da própria receita, a proposta possibilita uma distribuição mais sensata dos tributos. 

Continua após a publicidade

Isso porque a parte mais rica da população, que pagava pouco imposto, passará a ser tributada, especialmente por meio da tributação de dividendos (parte do lucro das empresas divididos entre sócios e acionistas) e do encerramento de várias isenções sobre investimentos financeiros.

Cálculos de tributação

Houve um detalhamento por parte da Receita sobre os cálculos das medidas propostas ao Congresso. Em relação às pessoas físicas, a carga tributária diminuirá R$ 13,5 bilhões em 2022, de acordo com a nova tabela do IR. Para 2023, a redução será de R$ 14,46 bilhões. Em 2024, R$ 15,44 bilhões.

Essa “perda” de receita será compensada pelo retorno da alíquota de 20% sobre dividendos pelo fim da dedução na distribuição de juros sobre capital próprio.

Essas providências renderão aos cofres do governo, já em 2022, a quantia de R$ 900 milhões; R$ 18,43 bilhões em 2023; e R$ 19,5 bilhões em 2024.

Continua após a publicidade

As alterações na tributação sobre o mercado financeiro aumentarão o caixa do governo em 2022 em 14,19 bilhões; R$ 800 milhões em 2023; e R$ 500 milhões em 2024.

Já as alterações na tributação sobre ganhos de capital na venda de imóveis renderão R$ 880 milhões em 2022 e em 2023 diminuirão as receitas do governo em R$ 2,45 bilhões. Em 2024, a redução será de R$2,05 bilhões.

Deturpações

A Receita Federal divulgou, além dos cálculos, uma nota técnica detalhando cada ponto da reforma tributária. 

A reformulação do Imposto de Renda, para o Fisco, irá ratificar deturpações na economia, o que permitirá que no futuro o país cresça, trazendo ganhos daqui a alguns anos para toda a sociedade. Em relação aos investimentos financeiros, a reforma tributária sugere a instituição de alíquota única de 15% sobre o valor dos rendimentos. 

Continua após a publicidade

Hoje, essa alíquota é variável (15% a 22,5%) com investimentos mais curtos pagando alíquotas maiores e aplicações acima de dois anos pagando 15%.

O texto prevê, ainda, em relação aos imóveis, a possibilidade da pessoa física atualizar o valor do bem todos os anos na declaração do IR e pagar alíquota reduzida de 4% sobre o ganho de capital (valorização entre um ano e outro) a cada declaração, em vez de pagar a alíquota total na venda, que é de 15% a 22,5%. 

Quer continuar acompanhando notícias sobre mudanças no IR? Então, não deixe de assinar a newsletter do iDinheiro e ativar as notificações push. Se inscreva, também, no nosso canal do Telegram para receber todas as novidades.

Continua após a Publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.