Itens da Ceia de Natal 2020 estão mais caros

De acordo com a FGV, os preços dos itens da Ceia de Natal 2020 estão, em média, 15% mais caros do que em 2019. Entenda.

Isabella Proença
Isabella Proença

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV) apontou alta de, em média, 15% nos valores de 16 itens comuns da Ceia de Natal de 2020. O arroz, por exemplo, subiu 62%. Já o aumento do pernil de porco foi de 31%.

A seguir, confira mais detalhes sobre o resultado desse levantamento.

Ceia de Natal 2020: altas nos preços

Além dos já citados arroz e pernil de porco, o estudo da FGV avaliou os chamados “itens de mesa”, comuns nos pratos dos brasileiros, como batata inglesa, cebola, ovos, carne suína, azeite, sucos de fruta e refrigerantes. Também foram analisados itens mais consumidos nessa época de fim de ano, como bacalhau, azeitonas em conserva, bolos prontos e vinhos.

Continua após a publicidade

Veja, abaixo, a análise detalhada.

Alta do arroz

O preço do arroz disparou no meio do ano e o saco de 5 kg chegou a custar mais de R$ 30. Por isso, o produto aparece como líder no ranking de aumento, com 62,08%.

Para o economista responsável pela pesquisa, André Braz, além da alta do dólar (que passou de R$ 5,80 em 2020), a falta de produto no mercado interno teve impacto nos preços.

Carnes da Ceia de Natal 2020

A alta do dólar também é apontada como uma das causas do aumento dos valores das carnes de porco.

No período de 12 meses, o lombo suíno teve aumento de 20,14%, enquanto o pernil suíno subiu 30,55%.

Além disso, outro fator que motivou a subida nos preços foi o aumento das exportações de soja e de milho.

“A exportação cresceu muito, especialmente para a China, após a recuperação do país asiático por causa da pandemia de coronavírus. Isso, mais o dólar alto na época, fez com que lá fosse mais vantajoso vender para fora do que aqui. O preço do produto aumentou muito no mercado interno, o que aumentou também os custos de produção nas fazendas”, explica André Braz.

A mesma situação afetou o preço do frango inteiro (incluindo peru), que teve alta de 14,51% e levou ao aumento de 14,21% dos ovos.

Enquanto isso, o bacalhau, pressionado pela desvalorização do real, subiu 10%.

Complementos do jantar

Ademais, os itens restantes da Ceia de Natal 2020 também subiram. Veja:

  • Frutas: 14,99%;
  • Batata inglesa: 10,67%;
  • Azeitona em conserva: 13,29%;
  • Azeite: 9,72%;
  • Vinho: 3,94%;
  • Refrigerantes e água mineral: 3,73%;
  • Bolo pronto: 3,53%;
  • Sucos de fruta: 3,37%;

Somente dois complementos tiveram o preço reduzido no decorrer deste período: os refrescos de fruta em pó (0,12%) e a cebola (15,7%).

“Apesar de o aumento das exportações ter sido muito bom para a balança comercial, é um desafio para a inflação, porque pressiona o mercado interno. Para dezembro, os preços ainda continuam altos, até por causa da demanda, e quem sabe em 2021 uma estabilidade cambial maior e safras maiores podem fazer com que os preços diminuam”, concluiu o economista.

Esta matéria foi útil para sua Ceia de Natal 2020? Então, assine a newsletter do iDinheiro e se mantenha informado sobre tudo o que importa para o seu dinheiro.

Continua após a Publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.