Notícias

Votação online está sendo testada pelo TSE para eleições de 2022

Isabella Proença
Isabella Proença
urna eletrônica escrito fim, representando Votação online
A votação online foi testada com candidatos fictícios em locais de votação previamente selecionados pela Justiça Eleitoral. Entenda.

No último domingo, 15, eleitores de São Paulo (SP), Curitiba (PR) e Valparaíso (Goiás), testaram uma tecnologia que, futuramente, pode possibilitar a votação online, por computador e aplicativo.

O teste faz parte do projeto Eleições do Futuro, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que tem como objetivo aprimorar o sistema eletrônico de votação.

Continua após a publicidade

Para a realização do teste, foram usados candidatos fictícios. Ele foi feito em espaços reservados nos locais de votação selecionados pela Justiça Eleitoral.

Votação online em 2022

O presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, foi até um dos locais de votação onde o teste foi realizado: Valparaíso, que fica próximo à Brasília.

Segundo ele, a Justiça Eleitoral vai estudar as propostas e o sistema pode ser adotado em algumas cidades já em 2022, caso demonstre segurança e eficácia.

“Eu não posso prejulgar, porque nós vamos ter que em algum momento fazer escolhas. Mas fiquei muito bem impressionado com as potencialidades do sistema de eleição digital”, afirmou.

O TSE abriu um edital em setembro para empresas de tecnologia apresentarem propostas de votação online, com possibilidade de demonstrações no decorrer do primeiro turno das eleições de 2020, em votação simulada, composta com candidatos fictícios.

No total, 26 instituições privadas participaram dos testes no último domingo, sendo 10 delas na capital do Paraná. Dentre as empresas, estavam:

  • Fidelity Mobile;
  • Servix Informática;
  • Claro;
  • Indra Company;
  • Nova Opção Representação;
  • VSoft;
  • Perseu Software;
  • Exsis;
  • Lever Tech;
  • Instituto Nacional de Excelência em Políticas Públicas (INEPP).

Em Curitiba, o responsável pela organização do projeto no estado foi o Laboratório de Inovação, Inteligência e Objetivos do Desenvolvimento Sustentável do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (Liods).

Representantes da Justiça Eleitoral monitoraram as simulações e eleitores que compareceram ao campus da PUCPR entre 10h e 15h.

É importante reforçar que, para ter a tecnologia escolhida, as empresas precisarão comprovar sigilo do voto, a eficiência e a segurança no sistema.

Esta matéria foi útil? Então, assine a newsletter do iDinheiro e receba nossas publicações diárias diretamente no seu e-mail.

Publicidade

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

    Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *