Investimentos

Viver de renda: como conquistar a independência financeira para realizar sonhos?

Ana Júlia Ramos
Ana Júlia Ramos
Imagem de uma mulher usando o computador para aprender como viver de renda

A trajetória para quem está em busca do sonho de viver de renda demanda muito estudo e conhecimento sobre investimentos. Hoje, vamos te ajudar com isso a partir de um passo a passo completo.

Artigo originalmente publicado em blog.mobills.com.br. Conteúdos e comentários foram integralmente mantidos.

Conseguir acumular dinheiro suficiente para parar de trabalhar e viver de renda não é uma tarefa das mais fáceis.

No entanto, com bastante disciplina e planejamento financeiro você poderá ter êxito.

Pensando em te ajudar nessa trajetória, fizemos um conteúdo completo sobre o assunto e, além de explicar o significado de “viver de renda”, vamos apontar as melhores opções e simular valores de forma prática.

Continua após a publicidade

O que significa “viver de renda”?

Quando alguém diz que está vivendo de renda, muitas pessoas podem ter dúvidas sobre o real significado dessa frase.

Afinal, qual é aquela renda? Iniciamos falando que não, não é do trabalho “tradicional” e sim, é o sonho de muita gente.

Continua após a publicidade

De forma geral, viver de renda seria o ato de deixar de trabalhar por ter acumulado um dinheiro suficiente para suprir todas as suas necessidades, desejos e gastos, de forma tranquila.

Daí você pode se perguntar: “mas eu preciso ter todo o dinheiro que vou usar no restante da minha vida de uma vez só?”. E é aí que está a chave!

Conforme o nome já adianta, você viverá dos rendimentos desse valor aplicado, ou seja, a ideia é que continue recebendo uma quantia para viver a sua vida de forma normal (e até melhor do que antes).

Quais são os primeiros passos?

O caminho para viver de renda demanda muita perseverança, paciência e cuidado.

Para isso, fique sabendo que é muito difícil alguém tomar a decisão e já partir para o plano de ação.

Continua após a publicidade

É preciso “preparar o terreno” para que você tenha bagagem o suficiente e possa finalmente começar a investir.

Organize sua vida financeira

Primeiro de tudo é preciso organizar a vida financeira. Se você não tem plena noção dos seus rendimentos, como fazê-los chegar a um patamar superior?

Por isso, organize as contas do mês, livre-se das dívidas, mantenha uma boa inteligência emocional e esqueça aqueles gastos supérfluos.

Tenha uma reserva de emergência

Depois de seguir com a organização financeira e ter controle do próprio dinheiro, você precisará montar uma reserva de emergência.

Continua após a publicidade

O valor exato depende de quanto você precisa para viver, mas aconselha-se juntar aproximadamente 6 meses de despesas mensais.

Conforme o nome já adianta, a reserva existe para que você não passe nenhum aperto caso tenha problemas com sua fonte de renda, ou caso surjam despesas inesperadas.

Defina seus objetivos

No decorrer do texto nós vamos te ensinar a defini-los de forma mais clara, mas já vale adiantar o assunto.

Se você não tem uma visão a longo/médio prazo, pare e repense a sua situação atual.

Continua após a publicidade

Afinal, optar por viver de renda é uma escolha muito forte e que vai impactar a sua vida como um todo.

Por isso, defina metas e objetivos, imaginando onde você espera estar nos próximos anos e como o investimento vai te ajudar a alcançar esses planos.

Tenha paciência

Novamente, estamos falando sobre uma grande decisão e que terá impactos futuros.

Assim, tomamos as melhores escolhas quando sabemos disso e temos paciência. Somente dessa forma será possível fazer escolhas racionais, bem embasadas e sem aquela emoção “do momento”.

Se você ainda está na mentalidade de “enriquecer rápido sem fazer muita coisa”, é hora de repensar se esta é realmente a melhor opção para você.

Continua após a publicidade

Muitas pessoas vão com sede demais ao pote e acabam se frustrando, justamente porque decisões precipitadas não são boas escolhas ao investir.

Como posso começar, de fato?

Agora que você já entendeu que é preciso dar os primeiros passos e que o processo é algo que requer tempo, vamos ao momento prático da coisa!

Defina a renda mensal que você deseja obter

Toda a questão dos seus rendimentos e de quanto você vai receber a partir do investimento surge a partir da definição da renda mensal ideal.

Para chegar a este número, você deve entender como é o seu dia a dia de consumo, quais são suas necessidades básicas, como seria seu estilo de vida a partir dessa nova fase e o quanto está disposto a investir.

Continua após a publicidade

Se depois de fazer todo um cálculo e entender que você precisa de pelo menos R$5.000 por mês, por exemplo, é hora de fazer as contas para compreender como será possível chegar neste valor.

Calcule a rentabilidade adequada

Após definir a renda desejada, você deve estabelecer uma taxa de juros possível de se obter em aplicações financeiras de baixo risco.

Primeiramente, deve-se assumir que o seu patrimônio estará aplicado em investimentos capazes de gerar renda homogênea, constante e ininterrupta para o seu sustento.

Nesse sentido, fique atento: a rentabilidade estimada deve ser a rentabilidade real, isto é, já descontada a inflação.

Continua após a publicidade

Como a inflação corrói o seu patrimônio, você deve se preocupar em ganhar acima dela.

Afinal, se você quer ter uma renda de R$5 mil reais mensais, precisamos deixar claro que este valor hoje terá um outro significado daqui a 20 ou 30 anos

Dessa forma, o que você quer de fato é o poder de compra de 5 mil reais, que com quase toda a certeza vai valer, no futuro, a uma soma superior a 5 mil.

Além disso, os cálculos também devem considerar uma rentabilidade líquida de imposto de renda, pois somente dessa maneira é possível chegar a um valor mais preciso.

Continua após a publicidade

Uma forma rápida de fazer essa conta é tomando como rentabilidade real o rendimento de um título público de longo prazo atrelado à inflação.

A rentabilidade do Tesouro IPCA+ (antigo NTN-B Principal) é a mais indicada para fazer esse cálculo

Veja o texto Entenda cada um dos títulos do Tesouro Direto e saiba como investir.

Para ver as taxas pagas pelo Tesouro IPCA+ de diferentes prazos, acesse este link.

Esses títulos públicos pagam uma taxa de juros acima da inflação pelo IPCA. Portanto, a taxa mostrada no site já é a taxa real, acima da inflação.

Continua após a publicidade

Calcule quanto poupar

O passo seguinte é descobrir quanto é preciso poupar por mês para atingir esse valor.

Para isso, você precisará definir uma rentabilidade real mensal factível, em quanto tempo você quer chegar lá e o valor inicial que você vai investir (que pode ser zero).

No decorrer do texto, vamos apresentar uma série de exemplos de acordo com as melhores opções de investimento.

Assim, você será capaz de entender, de forma prática, como funcionará o rendimento dependendo do valor investido!

Continua após a publicidade

Calcule a rentabilidade adequada

Para citar um exemplo, um Tesouro IPCA+ com vencimento em 2035 está pagando uma taxa de juros de 3,91% ao ano acima da inflação, o que equivale a uma taxa mensal de aproximadamente 0,32%.

Se considerarmos o desconto de 15% de imposto de renda – alíquota descontada quando o dinheiro fica aplicado por mais de dois anos – chega-se a uma rentabilidade mensal líquida de 0,27%.

Logo, você pode considerar factível uma rentabilidade real mensal de 0,27% para o seu cálculo.

Divida a renda mensal desejada pela rentabilidade real

É necessário que você divida a renda que deseja obter no futuro pela taxa de juros real mais realista que você tiver encontrado. Conforme o exemplo, 5.000/0,27%, o que dá um montante de R$1.851.851, ou aproximadamente 1,8 milhão de reais.

Continua após a publicidade

Novamente, não se trata de R$ 1,8 milhão em valores nominais, mas sim do equivalente, no futuro, a 1,8 milhão de reais em valores de hoje.

Reavalie seu planejamento a cada ano

O fato de considerar apenas rentabilidades reais para fazer o cálculo já é um grande passo para o cálculo ter um bom grau de precisão.

Contudo, a rentabilidade real da economia e das aplicações financeiras conservadoras varia com o tempo. A Selic (taxa básica de juros) oscila, assim como a inflação, então a diferença entre as duas taxas não é estática.

Nesse sentido, é aconselhável rever seu planejamento de tempos em tempos, para verificar se a rentabilidade real estimada continua factível.

Continua após a publicidade

Pode haver momentos em que você necessite de investimentos mais rentáveis na sua carteira ou precise poupar mais para se manter dentro do planejamento.

Descubra quatro investimentos para você viver de renda

Um outro ponto muito importante na hora de buscar pelas melhores opções para viver de renda se encontra no investimento.

Podemos dizer, na verdade, que essa decisão é a chave para viabilizar essa escolha de vida. Afinal, cada investimento tem uma rentabilidade diferente e demanda uma quantia específica de aplicação para chegar no resultado esperado.

Conforme já apontamos, para viver de renda, é preciso contar com um investimento mais seguro e constante.

Continua após a publicidade

Alguns fazem o pagamento dos rendimentos de forma mensal, outros semestral e até mesmo anual.

Veja os principais deles agora mesmo!

Tesouro Prefixado

No caso do Tesouro Prefixado, o governo emite um título de dívida e você será a pessoa que emprestará dinheiro ao Tesouro Nacional.

Pensando que o governo é a instituição mais sólida do país, esta opção é extremamente segura e tem aquele pagamento constante que mencionamos.

Ao investir no Tesouro Prefixado, você poderá receber o pagamento de cupons semestrais.

Tesouro IPCA

Esta opção é bem parecida com a que falamos anteriormente, mas a diferença está no tipo de rendimento. Dessa vez, ele mistura a taxa prefixada à taxa da inflação, chamada de IPCA.

Continua após a publicidade

Este investimento é interessante por ser uma opção a longo prazo e, quem acredita que no futuro as taxas de juros podem sofrer com algum tipo de aumento, deverá lucrar com isso.

Aqui também existem os cupons semestrais, então você deverá organizar a sua renda levando em conta este prazo.

Os investimentos do Tesouro contam com uma data de vencimento. Por exemplo:

Você investiu no Tesouro IPCA+ 2023. Isso significa que na data estipulada neste ano, receberá o valor prometido ao investir. A cada seis meses, estará recebendo o percentual do rendimento de maneira antecipada.

Caso retire o seu dinheiro antes disso, é possível que receba menos do que o previsto.

Continua após a publicidade

Pagamento de dividendos

Os dividendos são quantias que algumas ações pagam para os investidores, ou seja, uma participação nos lucros da empresa.

Nesse caso, grandes empresas estabelecidas no mercado fazem essa divisão e cada acionista receberá o valor específico em uma data pré definida.

Ainda assim, podemos dizer que você também estará lucrando sempre que a empresa apresentar bons indicadores de sucesso. Afinal, quanto maior é o lucro, maior será a parcela distribuída.

Fundos imobiliários

Os fundos imobiliários, assim como as ações, estão disponíveis na Bolsa de Valores.

Esta é uma boa opção para quem busca uma entrada de dinheiro mensalmente na conta, e isso é feito de forma automática. Lembra muito o salário!

Continua após a publicidade

Por mais que ela seja uma opção indicada para quem quer viver de renda, é importante destacar que o fundo pode valorizar ou desvalorizar, então você deve estudar aquela opção que será investida e dar uma olhada nela periodicamente.

Qual é o melhor investimento para viver de renda?

Conforme já falamos aqui e é importante ressaltar, não existe uma resposta única para a maioria das perguntas que discutimos neste post.

Isso acontece porque cada um tem sua realidade específica e quando falamos sobre dinheiro, o “caro” e o “barato”, assim como o “muito” e o “pouco” são relativos.

Dessa forma, é de extrema importância buscar por profissionais e instituições capacitadas o suficiente para te ajudarem na trajetória de investir, oferecendo as melhores opções para você e dando o suporte necessário.

Continua após a publicidade

Além disso, é importante estudar muito! Afinal, a melhor forma de saber se um rendimento é bom para você ou não, é a partir de conhecimento.

Com 1 milhão dá para viver de renda?

Vamos agora te mostrar quanto você acumularia ao investir R$1 milhão investido no CDI pelo período de 1 ano.

Sabendo disso, o total a receber é de R$1.185.151,45, ou seja, você ganhou R$185.151,45! 

De toda forma, a resposta para essa pergunta depende de algo que já apontamos neste conteúdo.Você precisa analisar sua situação atual, entendendo seus gastos e expectativas.

O valor total desse investimento renderia aproximadamente R$15 mil por mês e o valor pode ser muito ou pouco dependendo de quem aplicar. 

Continua após a publicidade

Conclusão

Depois de ler esse guia completo que fizemos, como está sua cabeça por aí? Acredita que está um passo mais perto de realizar o sonho de viver de renda?

Não somente nesse objetivo, mas em toda a sua caminhada financeira, é muito importante manter sempre o controle do dinheiro, trabalhar com metas e entender exatamente como anda a saúde dos rendimentos.

De forma descomplicada, intuitiva e muito prática, temos certeza que podemos te ajudar muito na caminhada para viver de renda.

Inscreva-se na newsletter do iDinheiro e receba conteúdos para cuidar melhor do seu dinheiro.

Publicidade

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

    Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *