400 mil vagas de trabalho temporário devem ser criadas neste fim de ano

As vagas de trabalho temporário tendem a aumentar no fim do ano e, devido a pandemia, um volume ainda maior é esperado neste período.

Isabella Proença
Isabella Proença

No fim de 2020, a Associação Brasileira do Trabalho Temporário (Asserttem) prevê que mais de 400 mil vagas de trabalho temporário serão abertas.

Por esse motivo, o melhor período do ano para quem está em busca de emprego ou deseja complementar a renda é o último trimestre.

Continua após a publicidade

Dentre os setores que procuram reforços nesta época, estão:

  • Farmacêutico;
  • Agronegócio;
  • Alimentos;
  • Embalagens;
  • Automobilístico;
  • Mineração
  • Metalurgia.

O segmento industrial deve ser o líder de contratações em outubro, se apressando para suprir a demanda do mercado na reta final de 2020.

Já as áreas de serviços e comércio são as campeãs em vagas de trabalho temporário entre os meses de novembro e dezembro.

Contratação após o período

Em seu site, a Asserttem recomenda agências de trabalho temporário devidamente registradas no Ministério da Economia, que podem auxiliar os desempregados na busca por um trabalho.

O presidente Marcos de Abreu disse, em entrevista ao R7, que a associação prevê a contratação de 20% dos funcionários temporários depois do término desses contratos rápidos.

No mês de setembro, foram registradas 186.940 vagas de trabalho temporário. Um aumento de 42% em comparação aos 131.761 profissionais contratados sob o mesmo regime em 2019.

Como funciona o trabalho temporário?

Empresas de trabalho temporário contratam pessoas físicas para trabalharem para outra empresa que precisam de serviço. Normalmente, os contratos ocorrem a fim de atender à necessidade de substituição transitória de pessoal permanente ou à demanda complementar de serviços.

Com a publicação da Lei 13.429/2017 (que alterou a Lei 6.019/74), o contrato de trabalho temporário, com relação ao mesmo empregador, deve obedecer aos seguintes prazos:

  • Prazo normal do contrato: 180 dias, consecutivos ou não (período máximo);
  • Prazo de prorrogação: mais 90 dias, consecutivos ou não (período máximo).

O prazo de prorrogação só é permitido se as mesmas condições do período inicial do contrato forem mantidas.

Esta matéria foi útil? Então assine a newsletter do iDinheiro e receba mais notícias sobre vagas de emprego diretamente no seu e-mail!

Continua após a Publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

    Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.