Criado há mais de 10 anos, o Microempreendedor Individual já atingiu 10 milhões de cadastros. Somente entre janeiro e abril de 2020, mais de 586 mil pessoas optaram por essa modalidade de empreendedorismo. Um dos motivos são as vantagens oferecidos, como o empréstimo para MEI.

Afinal, essa figura já está consolidada no Brasil e muitas pessoas têm apenas essa renda como a principal para sua subsistência. São milhares de brasileiros que trabalham por conta e correm atrás dos seus objetivos. Mas às vezes é necessário esse empurrãozinho do crédito, certo?

Se esse é o seu caso — ou se deseja conhecer para uma situação de necessidade —, este conteúdo é perfeito para você! Aqui, vamos explicar tudo que você precisa saber sobre empréstimo para MEI. Confira!

O Microempreendedor Individual

O MEI é uma pessoa física com CNPJ. Isso significa que você deu seu primeiro passo rumo ao empreendedorismo e já pode vender ou fabricar produtos, ou prestar serviços. Ao trabalhar por conta própria, tem a chance de emitir notas fiscais e conseguir vários clientes para fechar mais negócios.

Para se inscrever como MEI, é preciso cumprir algumas exigências:

Inscrição no MEI

Para se cadastrar nesse regime, é preciso acessar o Portal do Empreendedor. Preencha os dados solicitados. Em seguida, seu CNPJ já é emitido. Depois disso, você já tem que pagar o Documento de Arrecadação Simplificada (DAS) todos os meses. 

Nessa guia, estão incluídos o Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e o Imposto sobre Serviços (ISS). O valor muda conforme o salário mínimo. A cobrança para 2020 é de:

  • comércio e indústria: R$ 52,25 + R$ 1,00 = R$ 53,25;
  • serviços: R$ 52,25 + R$ 5,00 = R$ 57,25;
  • comércio e serviços: R$ 52,25 + R$ 6,00 = R$ 58,25.

Depois de obter seu CNPJ, você deve se regularizar na Prefeitura (se for serviços) e na Secretaria de Estado da Fazenda (caso seja comércio e indústria). Assim, poderá emitir nota fiscal e contratar empréstimos por ser MEI.

O empréstimo para MEI

A linha de crédito é parecida com as outras. A diferença é ser específica para Microempreendedores Individuais. Por isso, é preciso comprovar que o dinheiro será usado em benefício da sua empresa.

Uma vantagem é que as taxas de juros, geralmente, são mais baixas. Ainda assim, é importante fazer uma boa análise, já que as instituições financeiras farão a cobrança de forma diferente.

Uma dica é observar se o governo do seu estado ou município oferece o empréstimo para MEI. Em Santa Catarina, por exemplo, há uma linha com juro zero. O trabalhador contrata o crédito e, se pagar todas as parcelas em dia, a última é isenta para isentar os juros.

Qualquer que seja a alternativa escolhida, é preciso apresentar alguns documentos para contratar o empréstimo. Entre eles estão:

  • RG, CPF e comprovante de residência;
  • certificado do MEI, que é emitido pelo Portal do Empreendedor;
  • plano de investimento, para comprovar o que fará com o dinheiro;
  • comprovante de renda pessoal e da empresa, por exemplo, extrato bancário e declaração do Imposto de Renda.

Quem pode solicitar o empréstimo para MEI?

 A opção é válida para qualquer pessoa que tenho seu CNPJ ativo e consiga provar a necessidade. Por exemplo, para a compra de maquinário, insumos, matérias-primas e mais.

Quais são os tipos de empréstimo para MEI?

Entre as opções de crédito disponíveis para MEI, as principais são:

Cartão BNDES

Incentiva as atividades de micro, pequenas e médias empresas. O limite contratado é de R$ 1 milhão. O dinheiro é disponibilizado no cartão, sendo que a fatura é paga em até 48 vezes.

Quando você tem o cartão BNDES, pode utilizá-lo como quiser, desde que nunca ultrapasse o limite. Ao solicitar o seu, será feita uma análise de crédito pelos agentes operadores. A desvantagem é que a compra só pode ser feita em fornecedores recomendados pelo BNDES.

Empréstimo com garantia de imóvel

O MEI tem muitas vantagens ao escolher essa opção, porque as taxas de juros são muito baixas. Normalmente, essa modalidade já tem uma cobrança mais baixa, porque o risco é baixo. Assim, em caso de inadimplência, o imóvel é oferecido para quitar os valores em aberto.

Como o empréstimo para MEI também tem taxas de juros mais baixas, ao reunir essas duas possibilidades, elas são imbatíveis. A vantagem é que, por conta do imóvel, é possível conseguir um valor mais elevado.

Normalmente, você consegue financiar até 60% do valor da propriedade. O prazo de pagamento chega a 30 anos.

Microcrédito

É uma linha de crédito voltada para o incentivo ao microempreendedorismo. Por isso, quanto menor for seu negócio, maior tende a ser o valor emprestado.

Para conseguir esse empréstimo, é preciso mostrar a sua situação atual e os resultados conquistados, bem como sua previsão. Ao fazer a contratação, você pode emprestar de R$ 300,00 a R$ 15.000,00. O prazo de pagamento costuma variar de 2 a 4 meses.

Cheque especial pessoa jurídica

Funciona de maneira idêntica ao limite da conta-corrente tradicional, mas é voltado para empresas. Para ter esse suporte, é necessário apresentar a Declaração de Imposto de Renda ou a Declaração Comprovatória de Percepção de Rendimentos (DECORE). O segundo documento é conseguido com um contador.

Apesar de existir, essa possibilidade nem sempre é válida, porque a taxa de juros é a mais alta. A média fica entre 10% e 16%. Portanto, vale a pena deixar essa alternativa por último.

Capital de giro

O capital de giro é um dinheiro usado para manter o funcionamento da empresa. Toda empresa precisa dele, mesmo que seja MEI. Às vezes, porém, ele não existe ou é insuficiente. Em outras palavras, você tem pouco dinheiro para pagar todas as contas da empresa ou fazer um investimento.

Aqui, vale a pena contratar o capital de giro. Essa linha de crédito tem um período breve sem aplicação, geralmente entre 5 e 15 dias. Depois disso, as taxas de juros ficam entre 1,5% e 2,5% ao mês. O problema é que a quantia disponível para contratação costuma ser pequena.

A contratação do empréstimo para MEI

Várias instituições financeiras oferecem essa modalidade. Veja algumas delas.

Caixa Econômica Federal

É uma modalidade mais recente, que começou a ser negociada em junho de 2020. O motivo para a criação dessa linha foi a pandemia do novo coronavírus. Por isso, ela está inserida dentro do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe).

As negociações com o MEI começarão a ser feitas a partir do dia 30 de junho. A taxa de juros cobrada é a Selic — que está em 2,25%, segundo a reunião do dia 17 de junho — mais 1,25% ao ano.

Haverá uma carência de oito meses e o prazo de pagamento será de 28 meses. O único cuidado é que os MEIs que se enquadrarem nessa modalidade vão receber um comunicado da Receita Federal. Por isso, se você não recebeu, está fora do programa, em princípio.

Caso tenha essa oportunidade, poderá contratar até 30% da receita bruta anual. No caso do MEI, o empréstimo vai até R$ 24.300.

Banco do Brasil

Oferece o Cartão Empreendedor, um cartão de crédito isento de anuidade. É só acumular R$ 100,00 em compras no crédito todos os meses. Quando ficar abaixo disso, a mensalidade custa R$ 5,00.

Ainda existe o Giro Digital. Esse é um crédito voltado para o fluxo de caixa. O valor mínimo de contratação é de R$ 2.000,00 e o pagamento é feito em até 24 meses, com 3 meses de carência.

Por fim, existe o Microcrédito Produtivo Orientado (MPO). Para ter acesso a essa linha, é necessário ter 6 meses de conta-corrente ativa no BB. O pagamento varia de 5 a 18 parcelas e o valor do empréstimo depende da sua capacidade de comprometimento da renda.

Itaú

Tem um microcrédito para MEIs com taxa de juros de 3,79% ao mês mais Tarifa de Abertura de Crédito (TAC) equivalente a 3% do total contratado. Para contratar o seu, é preciso ter 6 meses ou mais de atividade como MEI. A desvantagem é que essa modalidade não está disponível para todas as regiões. Ela é válida para:

  • Campina Grande (PB);
  • Fortaleza (CE);
  • Teresina (PI);
  • Montes Claros (MG);
  • Grande São Paulo (SP);
  • Grande Rio de Janeiro (RJ).

Bradesco

Oferece o MPO. Na primeira contratação, você tem direito a R$ 10 mil. Na segunda, pode chegar a R$ 12 mil. Depois disso, o limite chega a R$ 15 mil. Não há informações de taxas de juros.

Lendico

É uma fintech alemã que chegou ao Brasil e oferece empréstimo para MEI. A taxa de juros varia de 2,84% a 9,27% ao mês. O processo é todo feito online. A diferença dessa instituição financeira é que também há uma análise do CPF do empreendedor.

Por isso, o dinheiro pode ser usado da maneira que ele quiser. A pré-análise é realizada em aproximadamente 3 minutos. Em seguida, há o envio de documentos. Essa etapa demora até 2 dias úteis. Então, você assina o contrato e o dinheiro chega na sua conta no mesmo dia ou no seguinte.

No próprio Portal do Empreendedor, você encontra várias possibilidades. Basta acessar o site e verificar as opções disponíveis.

Para contratar o empréstimo para MEI, você pode entrar no site da instituição financeira e fazer uma simulação ou contatar um agente. Faça o seu pedido e entregue os documentos. Depois da avaliação financeira e da aprovação, assine o contrato e tenha o dinheiro liberado.

Os cuidados antes de pedir o empréstimo para MEI

Ainda que seja uma boa oportunidade para reforçar o capital de giro e fazer seu negócio crescer, o MEI também deve tomar alguns cuidados antes de pedir o empréstimo. Antes de entrar em contato com a instituição financeira, coloque em prática as dicas a seguir.

Planeje-se

Seu orçamento precisa estar bem preparado para pagar todas as parcelas em dia. Tenha certeza de que as prestações cabem na sua renda e calcule quanto deve receber de retorno com o investimento que vai fazer.

Por exemplo, se você tem uma empresa de presentes personalizados, pode usar o empréstimo para MEI para comprar uma máquina para fazer camisetas. Avalie:

  • como são os pedidos desse tipo de produto;
  • o que mais pode fazer com o mesmo equipamento, por exemplo, almofadas, quadros em MDF, mousepads etc.;
  • qual margem de lucro poderá cobrar;
  • quanto suas vendas podem crescer.

A partir disso, você tem uma ideia de como o seu faturamento será comprometido até o final do pagamento do empréstimo.

Separe os gastos pessoais e da empresa

Deixe bem dividido o valor usado na sua empresa e a quantia que serve para pagar suas contas pessoais. O ideal é determinar uma renda para retirar todos os meses, considerando o lucro médio obtido e as contas da empresa que precisa pagar. Assim, você evita confusão no controle do dinheiro.

Organize seu orçamento

Mantenha um fluxo de caixa para anotar todos os gastos e os ganhos, e controlar o dinheiro. Essa é a única forma de saber o que entra e sai, fazer os cálculos e determinar se poderá arcar com as parcelas.

Ao tomar todos esses cuidados, você sabe o que precisa para contratar uma linha de crédito e alavancar seu negócio. Lembre-se de que o dinheiro deve ser usado na empresa. 

No entanto, essa pode ser a oportunidade de dar um passo à frente e levar o MEI a outro patamar, por exemplo, um Empresário Individual (EI) ou uma Microempresa (ME).

Então, que tal alavancar suas atividades com o empréstimo para MEI? Aproveite as dicas e busque a melhor alternativa para a sua realidade!

Assine a Newsletter do iDinheiro e receba toda semana conteúdo exclusivo sobre o que importa para o seu dinheiro.