Financiamentos, Notícias

Tudo o que você precisa saber antes de financiar um imóvel

Isabella Proença
Isabella Proença
maquete de casa ao lado de uma chave com chaveiro de casa, representando financiar um imóvel
Financiar um imóvel é uma decisão importante que comprometerá sua renda por bastante tempo. Por isso, é importante avaliar todos os detalhes.

Financiar um imóvel é uma decisão importante, que compromete parte da renda de qualquer pessoa durante um longo período.

Embora a queda histórica das taxas de juros seja uma oportunidade de realizar o sonho da casa própria, ainda assim é preciso ter cautela para não ser surpreendido negativamente.

Continua após a publicidade

Visto que um financiamento imobiliário engloba vários custos, diversas taxas e muitas outras entrelinhas.

Veja os principais pontos e informações que você precisa ter conhecimento antes de financiar um imóvel. Com informações do Valor Investe.

Taxas de juros variam de pessoa para pessoa

Além de variar de banco para banco, as taxas de juros não são iguais para todas as pessoas. Nem mesmo as taxas mínimas que os bancos anunciam não são para todos os clientes.

Continua após a publicidade

Fatores como renda mensal, estabilidade do emprego, histórico de crédito e relação com o banco influenciam na definição das taxas de juros atreladas à operação.

Por meio delas, o banco define o perfil de risco oferecido e a taxa que será negociada.

Portanto, é importante não dispensar uma boa pesquisa, pois não necessariamente o banco que possui a melhor taxa do mercado, oferecerá as melhores condições para um caso em específico.

A idade influencia ao financiar um imóvel

A idade interfere no valor das prestações de duas maneiras. A primeira é devido a um dos seguros obrigatórios, o de Morte de Invalidez Permanente (MIP).

Continua após a publicidade

As seguradoras entendem que uma pessoa mais velha pode ter a saúde mais fragilizada do que a de uma pessoa mais jovem e, consequentemente, corre um maior risco de sofrer uma doença grave ou falecer e não conseguir arcar com o financiamento.

O valor mais alto cobrado pelo seguro interfere no valor das parcelas.

Já a segunda, se deve à uma regra que limita a idade para concessão de financiamentos, considerando a expectativa de vida do brasileiro (76 anos).

Ela define que a idade do tomador de crédito somada ao tempo de financiamento não deve ultrapassar 80 anos e 6 meses, de forma que a idade de 80 anos é o limite para sanar a dívida.

Dessa forma, uma pessoa que queira financiar um imóvel por um prazo de 35 anos deve ter, no máximo, 45 anos.

Continua após a publicidade

Não descarte os demais custos envolvidos

Ao fazer os cálculos, leve em consideração os demais custos, como imposto de transferência do bem (que varia de acordo com a cidade, com alíquotas de em torno de 3% do valor do imóvel) e tarifas de avaliação do imóvel.

O interessado deve calcular esses valores no momento de pleitear o imóvel, e estabelecendo o preço que será pago na entrada.

Apesar de alguns bancos permitirem que esse imposto seja agregado ao financiamento, isso faz com que você acabe pagamento juros maiores no fim do prazo.

Considere a portabilidade de crédito

Como tomador de crédito, o cliente tem direito de levar a dívida para outro banco, contanto que o segundo ofereça condições mais favoráveis, como juros menores.

Continua após a publicidade

Para fazer a portabilidade de financiamento imobiliário, não é possível a extensão de prazo e a dívida não pode ser maior.

Confira nosso conteúdo sobre o assunto e entenda como funciona.

Atente-se ao Custo Efetivo Total (CET) ao financiar um imóvel

É importante não esquecer, em hipótese alguma, de conferir o Custo Efetivo Total (CET), que é o valor que será de fato pago por toda a operação.

Nele estão inclusos, além das taxas, os demais custos operacionais, como seguros obrigatórios e tarifas.

Um banco pode ter taxas de juros menores, porém possuir um CET maior do que o do outro, por exemplo. E, no fim das contas, o que vale é o CET, pois é a partir dele que o banco determina as prestações.

Dessa forma, é fundamental comparar o CET de cada um dos bancos antes de fechar o negócio.

Este conteúdo foi útil? Então, assine a newsletter do iDinheiro e se mantenha informado sobre tudo o que importa para o seu dinheiro.

Publicidade

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

    Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *