Notícias

Emissão do Tesouro Direto computa R$ 330 mi de receita líquida em junho

Karina Carneiro
Karina Carneiro

De acordo com os dados divulgados pelo Ministério da Economia no início desta semana, as […]

De acordo com os dados divulgados pelo Ministério da Economia no início desta semana, as emissões de títulos do Tesouro Direto somaram a quantia de R$ 2,052 bilhões em junho de 2020.

Com este resultado, o mês passado se tornou o terceiro melhor período de emissão líquida, somando aproximadamente R$ 330 milhões. 

Continua após a publicidade

Isso significa, que com este resultado, houveram mais aplicações do que retiradas de fundos, principalmente os emergenciais como o Tesouro Selic.

No relatório do mês passado, também levando em consideração os dados do Ministério, o título mais procurado pelos brasileiros foi justamente o indexado ao juro básico da economia, o Tesouro Selic. 

Continua após a publicidade

Inclusive, os números se mostraram surpreendentes até mesmo para os responsáveis do programa, já que apenas esse formato do título foi responsável por mais de 50% das emissões realizadas no período vigente. 

Outra notícia que animou bastante o mercado financeiro foi a de que o Tesouro Nacional, em parceria com a B3, responsável por alocar os título públicos investidores, irão zerar a taxa de manutenção para os investimentos do Tesouro Selic no valor de até R$ 10 mil.

Investidores cadastrados no Tesouro Direto

Analisando dados divulgados através do Boletim Focus desta segunda, somente no mês de junho o Tesouro Direito conseguiu o montante de 396.697 investidores em sua base. 

Com esse resultados, o número total de pessoas físicas que investem nas aplicações do Governo atingiram um número de 7.412.891.

Continua após a publicidade

Esses números representam um aumento significativo de 70,4% em relação ao mesmo período do ano anterior. 

Volume Total

Outro ponto muito importante de ser mencionado, de acordo com os números e estatísticas divulgadas são os volumes de investimentos conquistados durante o mês de junho.

Desta maneira, podemos mencionar a emissão líquida de títulos com um saldo de mercado no valor de R$ 61,8 bilhões.

Esses valores representam uma alta de 1% em relação ao mês de maio, que teve um fechamento médio com a somatória de R$ 61,2 bilhões. 

Continua após a publicidade

Ainda de acordo com as informações divulgadas pelo Tesouro Nacional, os outros títulos também apresentaram um volume interessante de compra. 

“Os títulos remunerados de por índices de preços respondem ao maior volume de estoque, alcançando uma média de 48,7%. Na sequência, os títulos indexados à Selic possuem uma participação média de 33%, enquanto os pré fixados representam 18,2% do montante final”.

Em outras palavras, temos o seguinte cenário entre os investimentos disponibilizados através do Tesouro Direto:

  • 48,7% estão relacionados à títulos com marcadores com IPCA (atrelados à inflação anual + taxa fixa contratada);
  • 33% em relação à Taxa Selic;
  • 18,2% com títulos pré fixados. Ou seja, com uma previsão média do valor a ser recebido. 

Sobre o Tesouro Direto

O Tesouro Direto é um programa desenvolvido pelo Governo Federal em janeiro de 2002, onde passou a dar oportunidade dos brasileiros melhorarem suas opções de investimento, comprando assim, títulos públicos através de plataformas digitais.

Gostou do conteúdo? Então, não deixe de assinar a newsletter do iDinheiro para não perder os detalhes sobre os últimos acontecimentos do mercado. 

Publicidade

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

    Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *