Notícias

Telepath: nova rede social tem como foco conversas longas e engajadas

Lilian Calmon
Lilian Calmon
Logo do Telepath representando nova rede social

Nova rede social, o Telepath é a nova aposta de Marc Bodnick, que investiu, há mais de uma década, US$ 210 milhões no Facebook.

Marc Bodnick, que investiu, há mais de uma década, US$ 210 milhões no Facebook, tem agora uma nova aposta. O Telepath é uma nova rede social com base em interesses, que visa promover conversas online e, segundo os criadores, não tem as falhas do Facebook e demais plataformas. O investidor anunciou o investimento na plataforma na última quinta-feira, 24.

De início, a rede estará disponível somente por convite e para pessoas reais, sem a participação de empresas. Na hora da inscrição, é necessário utilizar a identidade real e fornecer um número de telefone válido. 

Continua após a publicidade

“Seja gentil” é a primeira regra do Telegraph, que ainda conta norma contra a desinformação e o discurso de ódio.

Com informações da Exame.

Uma nova rede social

O Telepath não tem como foco o TikTok, aplicativo de compartilhamento de vídeos e/ou fotos. “Estamos realmente focados em conversas longas e engajadas com pessoas que compartilham o mesmo interesse com outras que provavelmente não se conheciam antes”, afirmou.

A nova rede social permite que usuários acompanhem diferentes “tópicos”, como videogames, humor político e mudança climática e contribuam para as discussões em grupo sobre tais temas. 

Na opinião do CEO do Telepath, Richard Henry, as plataformas atuais não servem mais para conversas aprofundadas. “Elas promovem a crueldade ao recompensar o conflito e a hostilidade, distribuem desinformação rapidamente e promovem a polarização por meio de algoritmos”, declarou.

Os primeiros usuários do Telepath são dos setores de tecnologia e de capital de risco, como o diretor-presidente do Instagram, Adam Mosseri, e o cofundador do Spotify, Daniel Ek.

“Eu gostaria de pensar que podemos nos tornar realmente grandes. Não precisamos ser uma das maiores redes sociais do mundo para construir algo valioso”, ponderou Bodnick.

A matéria original da Bloomberg, disponível em inglês, pode ser acessada aqui.

Gostou deste post? Então, assine a newsletter do iDinheiro e receba todas as novidades em tempo real.

Publicidade

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *