A taxa Selic já caiu cinco vezes apenas em 2020 e está em 2% ao ano, o menor patamar da história. Acompanhando a tendência, as taxas de juros em empréstimo pessoal também apresentaram queda, mesmo em meio à pandemia.

Oito das principais linhas de crédito para pessoas físicas ficaram com os juros mais baratos neste ano, segundo dados do Banco Central analisados pelo Valor Data.

Continua após a publicidade:

Juros nas linhas de crédito diminuíram até 35,38 pontos percentuais, quando considerado o crédito pessoal não consignado.

Taxas de juros em empréstimo pessoal caíram

Dados analisados pelo Valor data apontam queda nas taxas de juros em:

  • cheque especial
  • crédito pessoal não consignado
  • consignado do setor público
  • aquisição de veículos
  • consignado do setor privado
  • consignado do INSS
  • aquisição de outros bens
  • cartão de crédito parcelado

Nessas categorias, cortes foram de 0,42 ponto percentual (em aquisição de veículos) a 35,38 pontos percentuais (em crédito pessoal não consignado).

Confira variações

jan/20mar/2020/ago/20
Cheque especial146,28%141,66%130,84%
Aquisição outros bens55,19%30,91%51,81%
Crédito pessoal não consignado79,79%76,94%44,41%
Consignado setor privado34,17%29,38%29,23%
Consignado setor público19,84%19,70%18,30%
Consignado INSS24,16%21,99%20,98%
Aquisição de veículos19,00%19,56%18,58%
Cartão de crédito parcelado154,35%169,13%133,44%

Por que isso ocorre?

A Selic tem caído desde 2015. Em janeiro deste ano, a juros básicos estavam em 4,5% ao ano. Desde então, foram feitos cinco cortes, totalizando 2,5 pontos percentuais. Com a Selic em baixa, bancos tendem a oferecer empréstimos em condições melhores. 

Isso porque eles “gastam menos” para oferecer empréstimos. Com a diminuição do custo, redução nos juros é repassada aos mutuários.

Para além da Selic, o critério dos bancos no momento de ceder empréstimo também é uma justificativa para a redução das taxas. Como as instituições financeiras estão selecionando melhor os tomadores de crédito, têm mais confiança para oferecer condições melhores.

Quer continuar acompanhando as novidades sobre taxas de juros em empréstimos? Então, assine a newsletter do iDinheiro e receba tudo em tempo real. 

Publicidade