Poucas pessoas devem ter percebido, mas as tarifas bancárias sofreram reajustes e estão mais caras. Algumas taxas tiveram um ajustamento de até 30%, podendo pesar ainda mais no bolso no brasileiro.

De acordo com o estudo da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro da CUT (Contraf-CUT), apenas no primeiro trimestre de 2020, os bancos conseguiram faturar aproximadamente R$34,4 bilhões com as tarifas.

Continua após a publicidade:

O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) realiza desde 2009 um estudo sobre as tarifas bancária no Brasil. Através dos dados analisados, foi possível constatar que as instituições financeiras aumentam as tarifas cobradas em valores acima da inflação.

Em 2020, esta situação não foi diferente, visto que o reajuste médio nos pacotes de serviços bancários foi de 6%, e nas tarifas avulsas de 5,1%. Avaliando essas porcentagens, é nítido que este aumento é três vezes o valor da inflação acumulada do período. A título de esclarecimento, no período de junho de 2019 até maio de 2020, o IPCA estava valendo 1,88%.

Devido à crise gerada pela pandemia do coronavírus COVID-19, muitos brasileiros tiveram uma redução de sua renda. Então, essas taxas reajustadas é até um desrespeito com os consumidores, especialmente os que estão passando por uma situação delicada e estão com maior dependência nas operações presenciais.

Bancos Convencionais vs Bancos Digitais

Esses reajustes nas taxas dos maiores bancos convencionais acabam indo na direção oposta que os bancos digitais e as fintechs estão proporcionando para os seus clientes. Enquanto essas novas empresas estão proporcionando transferências entre contas e instituições financeiras gratuitamente, os principais bancos convencionais disponibilizam pacotes de serviços com preços um pouco abusivo.

A título de curiosidade, somente o Banco Santander e Safra não reajustaram ainda os seus pacotes. Mas o Banco Bradesco fez um reajuste de 2% e a Caixa Econômica Federal teve 90% dos pacotes reajustados.

Em relação as tarifas avulsas, os bancos que realizaram reajustes em mais de 50% dos serviços foram:

  • Banco do Brasil;
  • Caixa Econômica Federal;
  • Banco Itaú;
  • Banco Bradesco.

Já o Banco Santander e o Safra, fizeram a correção de preço em apenas quatro tarifas cada um.

Como fugir da tarifa bancária dos bancos convencionais

Afim de fugir dessas altas tarifas, muitos clientes estão modificando a sua modalidade de conta para Serviços Essenciais, onde o consumidor pode utilizar durante o mês:

  • Usar a conta com o cartão de débito,
  • Realizar quatro operações de saque,
  • Fazer dois extratos bancários,
  • Efetuar duas transferências,
  • E por fim, consultar saldo através do Internet Banking do banco.

Outra situação que pode ser realizada para fugir dessas taxas, é a migração para bancos digitais. Desta forma, o consumidor pode realizar todas as operações através da internet, e quando uma operação possui uma taxa para utilização, os valores costumam ser bem abaixo do mercado.

Publicidade