A Stone, empresa de meios de pagamentos, anunciou nesta terça feira (11), um acordo para unir seu time de software e tecnologia à empresa Linx, em uma transação entre dinheiros e ações avaliada em aproximadamente R$ 6,4 bilhões.

Com o anúncio da unificação dos dois negócios, chega ao fim os rumores envolvendo as duas empresas, que vem sondando o mercado financeiro desde meados de março, quando o Banco Central anunciou a implantação de novos sistemas para que as empresas possam se adequar a tempo de conseguirem transacionar os pagamentos através do PIX

Continua após a publicidade:

Como está funcionando a negociação entre a Stone e a Linx?

De acordo com a divulgação em nota oficial disponibilizada pela Stone, o acordo deverá ser implementado através de uma fusão de ações no Brasil. Desta maneira, os papéis financeiros da Linx deverão ser substituídos por uma nova ação PN, classe A e B da Stone. 

Ao anunciar a fusão dos dois negócios na noite de ontem, as ações das duas empresas tiveram uma alta de 46% no início da manhã de hoje.

Qual será o valor base das ações das empresas?

Seguindo essa linha de negociação, após a fusão, as ações da Linx deverão ser avaliadas e vendidas no mercado entre R$ 33,76 cada uma, levando em consideração que até o final de junho, segundo dados divulgados pela B3, a empresa continha 148.408.960 ações vendidas no mercado. 

Ao anunciar a fusão dos dois negócios na noite de ontem, a empresa espera que os papéis tenham uma valorização de até 40% nos próximos 30 dias. 

Como o mercado enxerga essa negociação?

Segundo os especialistas do mercado financeiro, a notícia é vista como bastante positiva, dadas as atuais circunstâncias do mercado e possibilidades de inovação e crescimento para o setor. 

Afinal, a combinação de um software de pagamentos, e uma empresa especializada em transacionar valores financeiros, faz a Stone se posicionar ainda melhor neste universo entre os pequenos empreendedores.

Outro ponto que o mercado já espera, como o Bradesco BBI, é que a empresa anuncie em breve, uma plataforma de pagamentos para ERP cada vez mais integrada, com o objetivo de reduzir o chargeback, podendo trabalhar de maneira ainda mais segura os pagamentos através da internet. 

Investimentos em outros mercados

Em menos de seis meses, esse é o segundo grande negócio anunciado pela Stone, em relação à aquisição de empresas de tecnologias e similares. 

No mês de maio, a empresa chegou a anunciar a aquisição da Mlabs, startup de agendamento de postagens para a rede social, que vem ganhando cada vez mais destaque no setor de marketing digital entre os pequenos e médios empreendedores. 

Na ocasião, a Stone chegou a informar que o objetivo era o de transformar a empresa em uma completa solução tecnológica, onde o empreendedor conseguisse realizar seus pagamentos, organizar suas ações de marketing e melhorar a experiência de mercado. 

Por isso, com essa nova contratação de uma empresa de softwares ao time da empresa, em breve, novidades devem surgir alinhando essas duas novas aquisições para os consumidores das marcas adquiridas ao grupo econômico. 

Gostou do conteúdo? Então, não deixe de assinar a newsletter do iDinheiro para continuar acompanhando todas as novidades do universo financeiro. 

Publicidade