Spotify cria novo recurso para impulsionamento de músicas

O Spotify está lançando um recurso para impulsionamento de músicas, no qual artistas e gravadoras podem escolher uma música para ser impulsionada.

Rodrigo Salgado
Rodrigo Salgado

O Spotify, mais conhecido streaming de áudio do mundo, divulgou a criação de um novo recurso que favorece o impulsionamento de músicas.

As gravadoras e os artistas poderão escolher livremente uma música para ser privilegiada pelo algoritmo nos modos rádio ou Autoplay – quando músicas continuam tocando aleatoriamente mesmo após o término de uma faixa, álbum ou playlist.

Continua após a publicidade

Não haverá cobrança pelo novo recurso. Apesar disso, como contrapartida, os artistas receberão uma taxa menor de royalties sobre a música impulsionada. Atualmente, sem o novo serviço, o Spotify paga cerca de US$ 0,003 por reprodução da canção.

Como funcionará o

recurso para impulsionamento de músicas do Spotify?

No comunicado publicado na última segunda-feira, 2, a empresa afirma que o novo recurso vem de um pedido dos artistas de “mais oportunidades para conectar com novos ouvintes”.

Afirma, ainda, que caso a música impulsionada se saia bem, ela ganhará ainda mais alcance. Caso contrário, será rapidamente retirada das recomendações. “A satisfação do ouvinte é nossa prioridade”, diz o comunicado.

A empresa sugere que artistas e gravadoras escolham músicas que estejam “particularmente animados” com o lançamento ou que estejam viralizando como exemplo para serem impulsionadas pelo novo recurso.

A ferramenta inicialmente será implementado apenas nos modos rádio e Autoplay, mas o Spotify não descarta expandi-la para outros formatos dentro da plataforma.

Sobre o sistema de descobertas

O sistema de descobertas do Spotify é responsável por 16 bilhões de reproduções por mês, segundo a própria empresa. Mas, como essas recomendações chegam até você?

Essas músicas chegam até você por meio de “sistemas complexos e dinâmicos” – um cruzamento de dados que é feito tendo como base as dicas que você mesmo dá sobre o que gosta:

  • Músicas que “não saem do seu replay”;
  • Hábitos de pessoas que têm gosto similar com o seu;
  • A hora do dia em que você está ouvindo;
  • Similaridade com outros artistas que você escuta;
  • Sua interação com alguma música no passado;
  • Duração da música;
  • Gênero;
  • Idioma;
  • Ritmo;
  • Elementos musicais.

Esta matéria foi útil? Então, assine a newsletter do iDinheiro e receba nossas atualizações sobre as plataformas de streaming em primeira mão no seu e-mail!

Continua após a Publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

    Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.