Em um mundo perfeito e controlável, teríamos dinheiro suficiente para cobrir todas as nossas despesas, comprar coisas que desejamos e sequer nos preocuparíamos em fazer malabarismos para quitar os boletos mensais e nem pensaríamos em solicitar um empréstimo pessoal

Mas, como na realidade a nossa vida é cheia de imprevistos, quando menos esperamos o carro quebra, a televisão queima, temos um problema de saúde, ou outra surpresa inconveniente.

Continua após a publicidade


De repente, como por um passe de mágica, os anúncios de empréstimos começam a vir à nossa cabeça e parecem ser a resposta perfeita para a situação.

Mas será que, de fato, pegar um empréstimo pessoal é uma boa ideia? Depende.

Solicitar um empréstimo pode ser exatamente o que você precisa para lidar com um problema de curto prazo, especialmente os imprevistos. Mas também pode piorar as coisas se você não conseguir pagar as parcelas ou se usar o empréstimo como uma solução rápida, em vez de resolver problemas financeiros maiores em sua vida.

Como esse é um assunto bem complicado, vamos simplificar para você te mostrando as 5 situações em que vale a pena optar por um empréstimo. Esperamos te ajudar a tomar uma decisão inteligente e racional, por isso, continue a leitura!

O que considerar ao pensar em solicitar um empréstimo pessoal?

Antes de chegarmos aos cenários específicos em que pegar um empréstimo seria uma decisão financeira inteligente, vamos abordar algumas das entrelinhas que você aceita quando assina um contrato de empréstimo com o seu banco ou financeira.

1) Inicialmente, é importante ter em mente que qualquer empréstimo é uma dívida, na forma de dinheiro emprestado, que você deve pagar com o tempo. 

2) Quando sua solicitação de empréstimo é aprovada, você recebe uma quantia em dinheiro para usar da forma que achar melhor. Em troca disso, você pagará a dívida em parcelas mensais durante um determinado período acordado em contrato. 

3) Além de devolver o valor do empréstimo (o principal, como é conhecido no mundo financeiro), você também pagará os juros sobre o empréstimo (referente à contrapartida do banco ou financeira). Por isso, você sempre irá pagar mais dinheiro do que o que recebeu inicialmente.

4) Há diferentes tipos de empréstimos, como os pessoais, consignados, etc. Vale a pena verificar qual se encaixa no seu perfil e expectativas.

5 situações em que pegar um empréstimo pessoal vale a pena

Diferente do que o consenso popular fala, um empréstimo não é necessariamente um vilão da vida financeira e há, sim, situações em que fazer essa “dívida” pode valer a pena.

A seguir listamos cinco cenários em que você teria um motivo perfeito para pegar um empréstimo pessoal de forma inteligente.

1. Consolidação de dívidas

Ter que lidar com vários empréstimos ou faturas de cartões de crédito com taxas de juros e saldos variados a vencer é uma receita para problemas financeiros. Por isso, a consolidação de dívidas é uma das situações em que contratar um empréstimo pode ser algo inteligente.

Isso porque, quando você solicita um empréstimo e o utiliza para consolidar as suas dívidas mensais ou atrasadas, está juntando todos esses saldos pendentes em um pagamento só. Esse agrupamento de contas facilita o estabelecimento de um prazo para quitar seus saldos sem ficar sobrecarregado.

Além disso, outra vantagem de usar um empréstimo para pagar seus cartões de crédito atrasados ou outros empréstimos com juros mais altos são as taxas de juros mais baixas em comparação com o rotativo cobrado pelos bancos. E com taxas mais baixas você pode reduzir a quantidade de juros que paga e o tempo necessário para quitar a dívida.

2. Despesas não planejadas

Provavelmente, o motivo mais contundente para considerar um empréstimo é se você estiver enfrentando uma despesa imprevista ou de emergência considerável. 

Por exemplo, se você ou um membro da família tiver ficado doente ou gravemente ferido e as contas médicas estão além do que pode pagar. Ou mesmo no caso de algum funeral – esse é um assunto delicado, mas é uma despesa real e de alto valor que muita gente não planeja. 

Podem acontecer ainda imprevistos de outros ordens, como problemas com o carro, com itens pessoais (como o celular, computador), alguma emergência odontológica, etc. 

É difícil se planejar para essas situações e, embora um empréstimo não seja a maneira ideal de pagar por essas despesas (o ideal seria ter uma reserva de emergência), é uma forma necessária e que vale a pena no fim das contas.

3. Para ganhar dinheiro

Às vezes, surge uma oportunidade em que você pode gastar dinheiro para ganhar dinheiro, exceto se você não tem dinheiro para gastar. Nesse caso, um empréstimo pode ser uma decisão sábia. Aqui estão alguns exemplos:

  • Você está querendo expandir seus negócios e garantir lucros maiores;
  • Você quer reformar a sua casa, o que aumentará o valor dela no mercado;
  • Você quer fazer um curso que vai aumentar as suas perspectivas de carreira.

Em todos esses casos você estará obviamente assumindo um risco calculado. Mas mesmo que as coisas não saiam como o planejado, você terá frutos tangíveis do empréstimo que pagou.

4. Despesas de mudança

Se você estiver enfrentando uma mudança de longa distância, talvez para uma nova oportunidade de emprego em outro estado ou país, os custos podem ser altos o suficiente para justificar a solicitação de um empréstimo.

Isso porque ter o dinheiro em mãos vai te ajudar a lidar com todos os imprevistos e necessidades que surgem nessas horas, como mover os pertences da sua casa de um lugar para outro, regularizar documentos, comprar móveis novos, transportar seu veículo, adiantar despesas de aluguel, etc.

No entanto, antes de pegar um empréstimo para ajudar a cobrir essas despesas, considere se a sua nova renda permitirá que você pague sua dívida. Assim você evita entrar em endividamento difícil de sair, além de não começar sua nova vida e carreira com dívidas que vão lhe causar estresse. 

5. Quitar empréstimos contraídos com outras pessoas

Famílias ou amigos podem estar dispostos a lhe emprestar dinheiro, possivelmente sem juros. Mas se você não está conseguindo pagá-los, a relação pode ficar estranha entre as partes.

Outra prática comum é pegar empréstimos com outras pessoas que cobram altos juros, na casa dos 10% a 20% (os chamados agiotas). Nesses casos, a situação além de ser perigosa, é insustentável e pode levá-lo a um endividamento sem volta.

Nessas situações, fazer um empréstimo em um banco ou financeira para quitar essas dívidas com outras pessoas pode ser uma solução sensata, prática e rápida em meio ao caos. Certifique-se apenas de estar quitando todas as dívidas existentes, estabelecendo um valor mensal de parcela que você poderá pagar.

4 cuidados essenciais que você precisa ter antes de adquirir um empréstimo

1. Defina o seu objetivo

Nós podemos pegar empréstimos em várias situações, como por exemplo, trocar uma dívida com uma alta taxa de juros por uma dívida com uma taxa de juros menor; comprar uma casa; comprar um carro; viajar; abrir o próprio negócio, entre outros objetivos.

No entanto, é preciso avaliar em quais situações realmente vale a pena solicitar este crédito. Será que não seria melhor esperar e investir para adquirir esse bem futuramente? É claro que essa decisão vai depender da sua real necessidade, mas pensando puramente na questão dos juros, é muito melhor receber os juros do que pagar juros.

2. Analise o seu orçamento

Antes de fazer um empréstimo é preciso também fazer um diagnóstico da sua atual situação financeira. Afinal, antes de entrar em uma dívida, é preciso saber como sair dela.

Então certifique-se de que você pode pagar as parcelas do empréstimo todos os meses, além de outras contas que surgirem. Afinal, com cartão de crédito, você tem a opção de fazer um pagamento mínimo durante um mês financeiramente desafiador. Mas um empréstimo você deve pagar integralmente, não importa o que aconteça.

3. Compare as taxas

Cada instituição pratica uma taxa de juros diferente. Por isso, para fazer um bom negócio, é essencial comparar as taxas de cada instituição financeira, a fim de encontrar aquela que oferece o melhor benefício. Não tenha preguiça, pesquise bastante! Além das taxas, analise também o CET (Custo Efetivo Total) e tenha em mente que quanto maior o número de parcelas do empréstimo mais caro ele ficará, pois serão cobrados mais juros ao valor total. 

4. Cuidado com os golpes

Ao decidir pegar um empréstimo é importante ficar atento aos golpes, que acontecem com roubo de dados pessoais ou antecipação de pagamentos e sinais. Por isso, sempre desconfie se a empresa lhe pedir algum tipo de adiantamento. 

Além disso, pesquise o histórico da empresa em questão. Hoje, através da internet, é muito fácil ter acesso às reclamações e denúncias de clientes anteriores.

Resumo

Quando se trata de pedir dinheiro emprestado é importante avaliar todas as alternativas e possibilidades para ter certeza que se está tomando uma decisão inteligente. Por isso, não tenha pressa!

E, antes de mais nada, para descobrir se você está fazendo o certo, faça estas perguntas a si mesmo antes de solicitar um empréstimo pessoal:

  • Vou economizar dinheiro consolidando minhas dívidas?
  • Isso me dará uma oportunidade realista de ganhar mais dinheiro do que irei pagar?
  • É para uma despesa urgente e inadiável?

Finalmente, se você respondeu sim a alguma das perguntas acima, pode se sentir confiante em sua decisão de fazer um empréstimo.

Assine a Newsletter do iDinheiro e receba toda semana conteúdo exclusivo sobre o que importa para o seu dinheiro.