Responsabilidade Editorial

Por que confiar no iDinheiro

O iDinheiro tem o propósito de democratizar e simplificar os serviços financeiros. Nossa missão é te ajudar a fazer as melhores escolhas, a partir das mais completas informações e recomendações sobre cada serviço.

O que é seguro de vida resgatável e como funciona?

O que é seguro de vida resgatável? Entenda sua diferença para outros seguros de vida, além vantagens e pontos de atenção!

lucas proenca
Lucas Proença Estagiário de Conteúdo

O seguro de vida resgatável é uma modalidade ainda pouco conhecida no país, mas que vem, aos poucos, ganhando destaque. 

Ele funciona como uma fonte de proteção para os beneficiários, ao mesmo tempo em que pode ter a função similar a uma poupança. 

Continua após a publicidade

Diferente das modalidades tradicionais, o seguro de vida resgatável permite que se retirem valores da apólice, mesmo que não aconteça o sinistro, como morte ou doença grave. 

Sendo assim, para ajudar você a conhecer melhor essa modalidade e saber se ela, de fato, vale a pena, preparamos este conteúdo para explicar o que é o seguro de vida resgatável, como ele funciona e quais são as suas vantagens. Acompanhe a leitura!

Continua após a publicidade

O que é seguro de vida resgatável?

O seguro de vida resgatável é uma modalidade híbrida, que se difere dos seguros de vida tradicionais por permitir que o segurado resgate valores dele mesmo que não haja a ocorrência de sinistro. 

Em uma apólice de seguro de vida tradicional, o segurado faz aportes mensais para compor o prêmio da apólice, que só é liberado em casos de sinistros conforme os determinados em contrato, como morte, invalidez e doença grave, por exemplo. 

A lógica de funcionamento desta modalidade é bem similar, mas permitindo que o segurado resgate uma parte ou todo o valor da apólice caso surja essa necessidade, sem que isso seja considerado quebra do contrato. 

Como funciona o seguro de vida resgatável?

Como já vimos, o funcionamento do seguro de vida com resgate é muito semelhante a outras modalidades de seguro. 

Continua após a publicidade

O segurado irá assinar um contrato com os termos do serviço e deverá pagar um valor mensal, chamado prêmio, que serve para compor o montante da apólice que será resgatada pelos beneficiários — que geralmente são membros da família — diante da ocorrência de sinistro. 

No entanto, no caso do seguro de vida resgatável, o valor da apólice nem sempre vai para os beneficiários, já que o próprio segurado pode resgatar quantias parciais ou até mesmo o valor integral do seguro, mesmo que não ocorra um sinistro previsto em contrato. 

Existe um período de carência que esses resgates precisam respeitar, que geralmente é de 24 meses, período no qual o segurado só pode fazer aportes. 

O prêmio pago mensalmente é investido pela seguradora em alternativas variáveis, o que gera rendimentos. 

Continua após a publicidade

Este tipo de seguro é corrigido pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), que é a taxa de inflação do país. A esse índice, são acrescidos 3% que resultam no percentual de rendimento da apólice. 

Quanto ao prazo de vigência de sua apólice, o seguro de vida resgatável pode se apresentar de duas maneiras:

  • Prazo determinado: tem validade de 5 a 30 anos e, durante esse prazo, o segurado e seus beneficiários estão cobertos pela apólice, mas no fim do período, o valor dela é recebido e a proteção acaba. 
  • Prazo vitalício: a apólice só acaba diante da ocorrência de sinistro previsto em contrato, quando o valor é entregue aos beneficiários.

Caso o cliente de um seguro com resgate e prazo vitalício solicite o valor integral disponível da apólice antes da ocorrência do sinistro, a cobertura chega ao fim e o contrato de seguro se encerra. 

Vantagens do seguro de vida resgatável

O seguro de vida resgatável apresenta algumas características que podem ser vistas como vantajosas pelos clientes, principalmente quando comparado a opções de seguros tradicionais. São elas:

Continua após a publicidade

Flexibilidade

A primeira dessas vantagens é a flexibilidade, que diferencia o seguro com resgate daqueles que não apresentam essa possibilidade. 

Muitas pessoas se sentem apreensivas em fazer uma apólice de seguro de vida devido ao período de latência que existe para ter acesso à recompensa. 

Ou seja, o segurado faz o pagamento do prêmio por anos e os ganhos provenientes disso provavelmente nem serão vistos por ele. 

Isso faz com que o seguro de vida seja um benefício intangível, o que desmotiva as pessoas a fazerem sua contratação. 

Continua após a publicidade

Já quando há possibilidade de resgate, o cenário é diferente. Em primeiro lugar, é possível fazer uma apólice com validade menor. 

Além disso, se houver alguma emergência financeira, não só é possível deixar de pagar, como o valor investido pode ser resgatado com os devidos rendimentos. Por isso, essa flexibilidade pode tornar essa modalidade de seguro um serviço bem mais atrativo.

Ausência de reajuste por idade

Em seguros de vida tradicionais, o valor do prêmio pode até ser inicialmente baixo, mas conforme os anos passam e o segurado envelhece, esse prêmio também aumenta de preço. 

Isso acontece como uma forma de compensar os maiores riscos que acompanham a idade, já que a saúde pode ser comprometida com o envelhecimento. 

Continua após a publicidade

No seguro de vida resgatável, entretanto, o prêmio inicial possui um valor mais alto, mas essa diferença diminui ao longo do tempo, porque ele não é reajustado por idade, apenas pelas taxas econômicas. 

Rentabilidade

O seguro de vida resgatável não deve ser considerado um investimento que exclua a necessidade de construir uma reserva de emergência com um portfólio diversificado.

No entanto, isso também não significa que ele não oferece renda passiva, uma vez que possui um rendimento atrativo, que pode ser até comparado com alguns investimentos mais conservadores, como em fundos de renda fixa.

Por ser indexado pelo IPCA, o seguro com resgate garante que, mesmo que não tenha grandes rendimentos, o segurado não terá seu dinheiro desvalorizado.  

Continua após a publicidade

Desvantagens do seguro de vida resgatável

Como todos os produtos e serviços e quase tudo o que existe, o seguro de vida resgatável não é feito só de pontos positivos. 

Algumas desvantagens do seguro de vida com resgate precisam ser levadas em consideração antes de decidir se esse é o melhor serviço para contratar. Veja quais são:

Prazo para resgate

Todo seguro de vida resgatável tem um prazo de carência, dentro do qual não é possível fazer o resgate, a fim de que possa haver algum rendimento. 

Geralmente, esse prazo é de no mínimo 24 meses, podendo ser maior de acordo com a política da seguradora. Por isso, é importante estar atento a essas questões contratuais. 

Continua após a publicidade

Valor da mensalidade

O valor da mensalidade, ou do prêmio, no seguro de vida com resgate, costuma ser mais alto do que nos seguros de vida tradicionais. 

Como já mencionamos, isso acontece porque, neste caso, não há reajuste de preço com o aumento da idade do segurado. 

As parcelas são fixas, corrigidas apenas pelos índices de preços e podem representar um comprometimento maior do orçamento da família

Valor do resgate

Como os níveis de rendimento do seguro de vida resgatável são baixos, o valor do resgate, principalmente nos primeiros anos de apólice, também será baixo. 

Continua após a publicidade

Para ser rentável, é preciso cultivar a apólice por um longo período de tempo, a fim de que seja possível resgatar valores mais expressivos. 

Diferença entre seguro de vida resgatável e seguro de vida tradicional

A principal diferença entre o seguro de vida resgatável e o tradicional está naquilo que é indicado no próprio nome do serviço, ou seja, que é possível resgatar valores da apólice a praticamente qualquer momento. 

No seguro de vida tradicional, a apólice é resgatada apenas diante de sinistro, como morte do segurado, invalidez ou doença grave. 

Se desejar utilizar os valores na apólice antes disso, o segurado perderá a cobertura e, provavelmente, terá ainda que pagar um valor de multa por quebra de contrato. 

Continua após a publicidade

Já no seguro com resgate, em algumas modalidades, o segurado pode ter acesso a valores de sua apólice sem ter penalidades por isso. 

Algumas apólices continuam a cobertura mesmo depois do resgate, enquanto que outras encerram o contrato, mas sem a cobrança de nenhuma multa. 

Enquanto o seguro de vida tradicional, como vimos, tem parcelas que aumentam conforme o segurado envelhece, o seguro de vida resgatável possui um prêmio de valor fixo, corrigido apenas pelos índices de mercado. 

Por isso, apesar de o seguro de vida com regate ter mensalidades mais altas de início, essa diferença pode diminuir no longo prazo e até se tornar positiva, à medida que o prêmio do seguro tradicional aumenta com o passar dos anos. 

Continua após a publicidade

Um seguro de vida tradicional, por suas características que tornam mais difícil utilizar o dinheiro, pode ser mais indicado para famílias com pouco patrimônio formado, em que o provedor principal deseja deixar alguma segurança para seus entes queridos no dia em que ele faltar. 

O seguro de vida resgatável, por sua vez, apresenta mais flexibilidade, o que torna mais fácil o uso do dinheiro ao longo do tempo e, portanto, é mais provável que os valores deixados sejam menores. 

Assim, ele é um produto indicado para famílias com um patrimônio maior, mas que o provedor deseja deixar um valor para uso imediato por seus beneficiários em caso de falta. 

Como o seguro de vida não é considerado herança, ele não entra no inventário e, por isso, os beneficiários podem dispor imediatamente da apólice. 

Isso também acontece com previdências privadas e, por isso, vale a pena pesquisar sobre essa e outras alternativas se você busca preparar um cenário de segurança financeira para sua família. 

Perguntas frequentes sobre seguro de vida resgatável

  1. Vale a pena fazer um seguro de vida resgatável?

    Fazer um seguro de vida resgatável vai valer a pena dependendo da sua realidade financeira. Por ele ser mais flexível, é possível que, diante de uma emergência, você venha a recorrer a ele. 

  2. Qual a carência para poder fazero resgate no seguro de vida resgatável?

    Normalmente, o período mínimo para fazer um resgate do seguro de vida é de 24 meses. No entanto, empresas diferentes possuem políticas diversas, que podem aumentar esse prazo e, por isso, é sempre importante estar atento ao que é determinado em contrato. 

Continua após a Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.