Tempo de Serviço (FGTS), nascidos no mês de fevereiro, começam a receber seus depósitos nesta segunda feira (06/07).

A segunda versão do saque emergencial do FGTS, desta vez, irá liberar a quantia de até R$ 1.045 por trabalhador, independentemente se o fundo estiver ativo ou inativo. 

Continua após a publicidade


Esta medida foi tomada, como mais uma do programa de auxílio emergencial ao trabalhador no combate à crise provocada pela pandemia do novo coronavírus. 

O dinheiro, apesar de ser depositado inicialmente para correntistas da Caixa Econômica Federal, ficará retido em conta e poderá ser utilizado apenas para a quitação de boletos específicos, como contas de água, luz, gás e telefone. 

Além disso, será possível pagar compras feitas em farmácias, lojas e supermercados através do cartão de crédito virtual do banco.

Se o seu objetivo é utilizar o dinheiro com outros propósitos, ou até mesmo deverá esperar até a data de utilização oficial, no dia 08 de agosto. 

Como funcionará o saque emergencial?

O saque emergencial será realizado de maneira única no valor de até R$ 1.045, dependendo do valor disponível na conta do FGTS do trabalhador. 

O dinheiro, primeiramente, será debitado das contas inativas ou de menor quantidade. Ou seja, quem tiver um saldo inferior ao valor de R$ 1.045, poderá ficar com o saldo zerado. 

Se você não quiser fazer a retirada desta quantia, o trabalhador poderá acessar o site da Caixa Econômica Federal, na opção “Saque Emergencial” e retirar a solicitação automática, com o prazo de até 30 dias antes da disponibilização.

Agora, se a pessoa esquecer de avisar ao órgão a negativa do recebimento, bastará deixar o valor parado na conta digital até o dia 30 de novembro de 2020, que o valor retornará ao seu FGTS com as devidas correções da época. 

Quer acompanhar tudo o que acontece com o seu dinheiro? Então, não deixe de assinar a newsletter do iDinheiro.