Bancos, Notícias

Rede Banco24Horas se planeja para fazer frente ao PIX

Lilian Calmon
Lilian Calmon
mão insere cartão em caixa eletrônico representando Rede Banco24Horas se planeja para fazer frente ao PIX
A rede Banco24Horas se planeja para fazer frente ao PIX,do Banco Central. A TecBan terá que enfrentar as mudanças do setor financeiro.

A rede Banco24Horas se planeja para fazer frente ao PIX, sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central. Dona da rede, a TecBan terá que enfrentar as mudanças do setor financeiro.

“Nós temos o desafio de evoluir e aproveitar as oportunidades que o mercado tem para uma empresa com as nossas características”, disse o diretor de autoatendimento da TecBan, Luiz Stefani, em exclusividade ao Neofeed. 

Continua após a publicidade

Rede Banco24Horas se planeja para PIX: saques no varejo devem começar em 2021

Entre as aplicações do PIX, os saques no varejo são o principal desafio para a TecBan. Previstos para terem início no primeiro semestre de 2021, eles vão possibilitar o saque na boca do caixa de supermercados, farmácias, entre outros estabelecimentos.

Para os lojistas, o recebimento desse valor diretamente em conta e a redução dos custos com transporte do dinheiro até um banco no final do expediente, conhecido como sangria, são algumas das vantagens do novo formato.

O fim do monopólio da ponte entre o dinheiro físico e digital também trará mais competição a esse setor, na opinião do fundador da consultoria financeira Spiralem, Bruno Diniz, em entrevista ao NeoFeed.

Já a TecBan afirma que os saques no varejo são complementares à rede tradicional. Stefani diz que, nos países em que esse modelo fez mais sucesso, ele alcançou 6% do volume dos saques.

TecBan investe em novidades 

Atenta a esse novo cenário, a TecBan investe em novidades. Em julho, a empresa lançou sua solução para saques no varejo. Por agora, ela está disponível apenas para clientes do Banco24Horas Saque Digital, serviço que permite o saque de dinheiro nos ATMs, sem a necessidade de cartão, via aplicativo.

Para saques no varejo, o cliente recebe a autorização do valor a ser retirado por meio de um QR Code. O montante em espécie é entregue pelo lojista sem a cobrança de taxa. Por sua vez, ele ganha um percentual (não informado) do dinheiro depositado em sua conta, a ser efetivado via POS, Totem ou token.

Outra novidade da TecBan são os caixas eletrônicos recicladores, que recebem os depósitos das sangrias. Até 2021, o seu plano é que esse perfil de ATMs chegue a 20% da base. Hoje é 10%.

Por fim, a empresa fechou parceria com a Ozone, responsável pela plataforma adotada na implantação do Open Banking no Reino Unido. Esse acordo tem a ver com a preparação da TecBan para se firmar com uma das fornecedoras de infraestrutura de Open Banking no Brasil.

Segundo Stefani, o foco da empresa é, em um primeiro momento, consolidar-se a como uma fornecedora à altura. “Mas, no médio prazo, pensamos em atuar em todos os nichos do Open Banking”, destaca.

Mais informações sobre as mudanças da Tecban podem ser conferidas na reportagem do Neofeed.

Quer saber mais sobre o sistema de pagamentos instantâneos PIX? Então, assine a newsletter do iDinheiro e receba tudo em tempo real.

Publicidade

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

    Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *