Notícias

Reclame Aqui entra no mercado de comparadores de preço

Lilian Calmon
Lilian Calmon
pessoa acessa notebook com cartão de crédito em mãos representando Reclame Aqui entra no mercado de comparadores de preço

A startup Reclame Aqui entra no mercado de comparadores de preço a partir desta semana com a plataforma Confie Aqui. Saiba mais.

O Reclame Aqui entra no mercado de comparadores de preço a partir desta semana. A plataforma Confie Aqui é a primeira de um pacote que vem sendo preparado há meses para aumentar a receita em meio à pandemia.

O plano tem sido executado com o caixa da empresa e o desenvolvimento da tecnologia é feito internamente por uma equipe de 200 pessoas.

Continua após a publicidade

O objetivo da startup é ser reconhecida no mercado como um unicórnio, que é o nome dado àquelas que chegam ao valor de mercado de US$ 1 bilhão.

Com informações do O Globo.

Reclame Aqui entra no mercado de comparadores de preço: plataforma é dotada de inteligência artificial

A plataforma Confie Aqui é dotada de inteligência artificial e conta com uma base de dados que compila preços em tempo real de mais de 1.500 empresas vendedoras, inclusive de grandes varejistas digitais, como Amazon, Magazine Luiza, B2W (dona das marcas Americanas.com e Submarino) e Via Varejo (de Casas Bahia, Ponto Frio e Extra.com). As notas referentes às respectivas reputações também são exibidas.

Além dos valores, o Confie Aqui mostra também a lista de promoções que tais empresas fazem via anúncios digitais, com os do Lomadee. A varredura das ofertas é realizada por algoritmo desenvolvido pela startup.

O usuário ainda pode colocar o CEP do endereço de entrega para saber qual é a opção com menor frete e instalar uma extensão em seu navegador para avisá-lo quando estiver para comprar um produto por um preço que não é o melhor do mercado.

Comparadores de preço são tendência forte, especialmente na América Latina

Na opinião do sócio da consultoria KPMG Fernando Gamboa a consolidação dos comparadores de preço é uma tendência no varejo digital, sendo especialmente mais forte em regiões como a América Latina. Afinal, por aqui, o preço é considerado o principal fator de compra pelo consumidor.

“No atual quadro de retração econômica, o consumidor tem buscado preços menores. A procura via esses buscadores substituem em boa medida a pesquisa de preço tradicional. Para os grandes varejistas, funciona na estratégia de marketing digital porque pode estar na lista de opções pode despertar a intenção de compra”, disse ao Globo.

Startup está de olho em eventuais investidores do Brasil e do exterior

Embora o caixa do Reclame Aqui comporte o investimento em novas áreas de negócio, a startup contratou dois escritórios para monitorar, no Brasil e fora, eventuais investidores para uma nova rodada. Atualmente, 80% do capital da startup pertence a seus fundadores.

“Preparávamos uma rodada para este ano, fizemos até um roadshow em janeiro, mas com a pandemia decidimos parar o projeto. Não precisamos dos investimentos para executar nossos planos, e temos caixa. Estamos conversando com eventuais investidores, no entanto. A desvalorização do câmbio fez o Brasil ficar mais atrativo para estrangeiro”, afirmou o diretor-executivo do Reclame Aqui, Edu Neves.

Gostou deste post? Então, assine a newsletter do iDinheiro e receba todas as novidades em tempo real.

Publicidade

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

    Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *